As Portas do Céu

Capa
Escrytos|Ed. Autor, 04/04/2013
António Sequeira, nascido em Montemor-o-Velho no ano de 1782, narra o despertar da sua vocação mística na adolescência e a sua vida monástica, como Frei António dos Anjos, no Mosteiro de Santa Cruz do Buçaco, até 1838, data posterior à extinção das ordens religiosas. Durante o período de vida carmelita, Frei António dos Anjos dedica-se a escrever a crónica do deserto, desde a fundação até à data em que ele se recolheu no mosteiro. O monge assume-se como narrador autobiográfico e cronista, alternando presente e passado, onde o amor divino e humano apresenta interrogações e tensões, buscando o sentido e as barreiras do indecifrado, num íntimo diálogo de convívio humano e num amargo e ilusório jogo de espelhos.

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Informação bibliográfica