Bella Donna: Amor no Feminino

Capa
INDEX ebooks, 11/07/2016 - 130 páginas
0 Críticas
Nos tempos da velha República dos Doges venezianos, Antonia, uma viúva aristocrata, decide passar o resto dos seus dias num convento da ilha de Murano, após a morte do seu marido. Ali encontra Elena, uma freira conversa, por quem se enamora, apesar da censura da abadessa . Um dia, Elena aparece misteriosamente doente, deixando Antonia angustiada.

Terão estas mulheres que viveram nos conventos venezianos do período renascentista existido realmente? Terão sofrido como estas sofreram? Terão amado como estas se amaram? Será que esta estória é, na verdade, uma parte da História? Talvez.

Bella Donna
é um romance histórico de amor entre duas mulheres que consegue escapar ao lugar-comum das paixões inflamadas, embalando-nos, com a sua escrita escorreita, para uma leitura compulsiva de um enredo quase policial, muito bem arquitectado e com um desfecho inesperado.
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Índice

Secção 1_
Secção 2_
Secção 3_
Secção 4_
Secção 5_
Secção 6_
Secção 7_
Secção 8_
Secção 12_
Secção 13_
Secção 14_
Secção 15_
Secção 16_
Secção 17_
Secção 18_
Secção 19_

Secção 9_
Secção 10_
Secção 11_
Secção 20_
Secção 21_
Direitos de autor

Palavras e frases frequentes

Acerca do autor (2016)

Fabiula Bortolozzo nasceu em 1970 – no mesmo ano em que a ditadura militar no Brasil estava impondo ao país um período que deixou marcas até os dias atuais e no mesmo ano em que a seleção brasileira de futebol ganhou o tricampeonato mundial no México – , em uma casa em que se lia, no máximo, o jornal de domingo. No entanto, sua adoração pelos livros e pela leitura fez com que, quando criança, preferisse se trancar na biblioteca da escola do que brincar com as outras crianças. Sua carreira de bookaholic fez com que as palavras sempre a ultrapassassem, até que optou por contorná-las e colocá-las na tela em branco. Foi selecionada para a oficina de criação de perfis da FLIP (Feira Literária de Parati) de 2010 e para a oficina de escrita com o escritor Luis Ruffato, em 2011. De lá para cá, decidiu deixar de ser uma escritora de gaveta: escreveu alguns contos e ensaios e deixou-os trancados, para terminar seu primeiro romance e publicá-lo. Vive em Curitiba com sua esposa e vários cães.

Informação bibliográfica