Parnaso Lusitano: ou, Poesias selectas dos auctores portuguezes antigos e modernos, illustradas com notas. Precedido de uma historia abreviada da lingua e poesia portugueza, Volume 2,Parte 1

Capa
J. P. Aillaud, 1827
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Índice

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 190 - Neptuno soffreu a cruel sanha, E dos ventos, e vagas açoutado, Undivago correu por longos mares, Vendo de muitas gentes as cidades, As varias artes, os costumes varios, Até que levantou, na foz do Tejo, A rainha do mar, Lisboa invicta...
Página 205 - Em quanto tu, no collo recostado Da prezada consorte, entre os seus mimos, Do bispo e do deão te estavas rindo. A alegria reinava em toda a meza; Mil chistes, mil apodos, mil pilhérias Giravam sem cessar; sua excellencia De todos era o alvo; todos n'elle Malhavam satisfeitos e contentes; Posto que era malhar em ferro frio. Uns a brilhante escolha lhe...
Página 153 - O que desejas Ali tens. Solta o freio a teus suspiros, As lições, que te dei, vai por em uso.
Página 61 - Que de humanas mãos, ou, se lhe apraz , de muitos Depositára executiva força. Eis a fonte das leis, do Imperio a origem; E nada mais teus calculos nos dizem Em aureo estylo...
Página 94 - É d'aspeeto nnifonne e mnda e fria ; Mas á voz do Immortal se esparge a vida ; O seio se lhe rasga , o mar...
Página 62 - E já, não rude habitador das brenhas, Nem surdo á voz da Natureza, o homem Sente do imperio paternal o jugo Incognito até'lli, pois se dos peitos, E braços maternaes se desprendia, Findava a dependencia, amor findava, Hia ao longe buscar pasto, e guarida. Foi da excelsa razão primeiro ensaio A affeição paternal, ea lei primeira; E na mesma caverna o Esposo, a Esposa (Dulcissima união!) co' os tenros filhos Da humana sociedade a idéa mostrão.
Página 109 - Ensinando-lhes vai co' proprio exemplo , Linguagem expressiva , a limitarem Os desejos a gozos innocentes, A desprezar o orgulho , a ambição louca , Oppostos sempre á solida ventura.
Página 158 - Chega, observa na areia as tristes provas Da tragedia cruel: olha o virote • No peito de Arenêo todo entranhado, E d'isto não contente, e ainda irosa Da acção de Amor, e intrepidez do amante...
Página 69 - Inda a forma alli está , e existem mumias; Inda , a favor do harharo sepnlero , A einza qnasi organisada ohservo.
Página 76 - As hases firmes Da geometria ao templo se lançaram No portentoso Egypto. A geometria Ahre da vasta natnreza as portas , E leva a sens aleaçares o snhio.

Informação bibliográfica