Imagens das páginas
PDF
ePub

"igualmente que ha de sempre separar similhantes 'correspondencias das outras, pelas quaes quizer "ficar responsavel por meio da nota seguinte: "O Redactor não fica responsavel pelo que se "segue. Não se obriga, comtudo, a transcrever 'qualquer peça insultuosa, ou se tendente a sa"tisfazer odios particulares, exceptos no caso de "ter inserido anteriormente alguma coisa que di"rectamente accuse a algum individuo, pois nesse "caso obriga-se por este a inserir a resposta a "essas accusações em quaesquer termos que seja "concebida. O artigo 4.o do plano junto fica todo "a cargo do redactor, pois que elle se incumbe "de dirigir os trabalhos das copias e por isso os "srs. subscriptores podem mandar procurar os "numeros á casa do redactor na rua de São "Bento n. 79, devendo remetter, na fórma do "plano, a importancia de um mez adiantado, ad"vertindo igualmente que cada 8 peças ordina"rias farão um mez. De resto o redactor protesta "que o seu fim principal é conciliar os espiritos "e fazer convergir todas as opiniões para este "unico centro Independencia e Monarchia "Constitucional,

"Feliz elle si forem ouvidas as vozes com que "bradar para reconduzir á paz e socego a sua "querida patria. São Paulo, 17 de setembro de "1823.

"Plano de um estabelecimento patriotico "para supprir a falta da typographia. Como "desgraçadamente não tem sido possivel a pro"vincia de São Paulo obter um prélo para se "communicarem e disseminarem as idéias uteis "e as luzes tão necessarias num paiz livre, para "dirigir a opinião publica cortando pela raiz os

"boatos que os malevolos não cessam de espa"lhar para conseguir seus fins occultos é mistér "lançar mão do unico meio que nos resta. De"verá, pois, ser supprida a falta da typographia "pelo uso de amanuenses, que serão pagos por "uma sociedade patriotica, e aos quaes incumbe "escrever o numero de folhas, que devem ser re"partidas pelos subscriptores no dia determinado "para a sua publicação. 1.o — Em consequencia, "pois, deve haver um redactor que se encarregue "de dar duas folhas cada semana, conforme o "prospecto por elle apresentado; e supondo que "este redactor ou redactores tomarão esse tra"balho sómente por patriotismo, trabalhará gra"tuitamente, e fica outrosim a seu cargo dirigir "e applicar ao trabalho os amanuenses a quem "se pagará por ajuste. 2.o Far-se-á uma "subscripção de 40 assignaturas sendo o preço de "cada uma de 320 réis mensaes que serão pagos "impreterivelmente no dia 1.o de cada mez; e "como não é possivel dar a cada subscriptor uma "folha, serão distribuidas a cada 5 subscriptores "uma folha repartindo-se os subscriptores em 8 "turnos, arranjando-se em sociedades de 5, dos "quaes um deve ficar encarregado de procurar "em casa do redactor, ou onde a este aprouver, "a folha que pertence ao seu turno e deixará de"clarado que recebeu a dita folha. Haverá, pois, "em casa do redactor uma lista nominal dos "subscriptores com a declaração dos turnos a "que pertencem. 3.o Repartidos assim OS "subscriptores segue-se que deve o amanuense "apromptar oito copias de cada folha a qual de"vendo ser de folha e meia de papel de peso. "ou de uma folha de papel ordinario, receberá por

"cada folha 140 réis, que a razão de 16 folhas por
"semana faz por mez a somma de 10$000, que
"serão pagos a um ou dois amanuenses confor-
"me o ajuste. 4.o Nomear-se-á um thesoureiro
"que receberá a quota de cada subscriptor e que
"pagará o ordenado ao amanuense no fim de cada
“mez, de que deve apresentar uma conta, assim
"como da despeza, etc. que fará com os 2$800
"que restam do total da subscripção, na casa onde
"forem distribuidas as folhas para chegar ao co-
"nhecimento dos subscriptores e ficar assim o
"dito thesoureiro ao abrigo de qualquer juizo
"avesso. Este thesoureiro póde ser o mesmo re-
"dactor, querendo.
5. Como é natural que

"mesmo na cidade e nas diversas villas haja mais "subscriptores dever-se-ão augmentar as folhas "na mesma razão de uma folha para cada cinco "subscriptores e augmentando-lhe assim a som"ma da subscripção póde augmentar-se o orde"nado ao amanuense ou crescer o numero delles "6.o Depois de feita a subscripção e apresentado "pelo redactor o prospecto da folha será tudo "levado ao conhecimento do exmo. governo, para "este autorizar um similhante estabelecimento, "que sendo desempenhado com a dignidade con"veniente será de grande vantagem para esta pro"vincia. São Paulo, 20 de setembro de 1823."

Voltemos ao "Farol Paulistano": circulou o seu primeiro numero pela manhan do dia 7 de fevereiro de 1827. Imagine-se o alvorôto, a alegria, a satisfação dos paulistas ao terem entre as mãos, diante dos olhos, o seu primeiro jornal, o seu acalentado sonho convertido em realidade!

Nos primeiros mezes de publicidade vinha "O Farol" a lume apenas uma vez por semana, passando, porém, de junho

seguinte a bi-semanario: seus redactores primeiros foram o dr. José da Costa Carvalho e Antonio Mariano de Azevedo Marques, o fundador do jornal manuscripto "O Paulista" e o mais graduado representante dessa dynastia de jornalistas. emeritos que poz a serviço da redacção do "Novo Farol" as pennas brilhantes de José Xavier e Manoel Eufrasio de Azevedo Marques e que fez do captião Joaquim Roberto o fun

[graphic]

O primeiro prélo que funccionou em São Paulo. Nelle foram impressos o "Farol Paulistano", "O Observador Constitucional", o primitivo "Correio Paulistano", "O Novo Farol Paulistano", "O Paulista e outros, tendo sido o ultimo a "Sentinella", do dr. João Mendes de Almeida que circulou de 1876 a 1879.

Sua producção era de 25 exemplares por hora.

dador e, por muito tempo, redactor do moderno "Correio Paulistano".

O primeiro compositor e impressor d'"O Farol Paulistano" foi o artista José Maria Roa, hespanhol de origem,

que viveu bastante para ainda trabalhar, embora velho e decrepito, no actual "Correio".

"O Farol" era impresso em prélo de madeira, systema dos mais primitivos; sua impressão, entretanto, era excellente, como se verifica dos numeros ainda existentes, só apresentando a inconveniencia da morosidade, pois não permittia a tiragem sinão de 25 exemplares por hora ou 225 por dia de 9 horas de trabalho.

[graphic]

Funccionamento do primitivo prélo que imprimiu em São Paulo, (Caricatura do "Cabrião por Angelo Agostini).

Nella o homem da manivela é representado pelo Cons. Carrão, o das tintas pelo Cons. Gavião Peixoto e o impressor por José Bonifacio, o moço.

O prélo actual do "Correio Paulistano" produz 60.000 exemplares de jornal em uma hora.

Do prélo primitivo possuimos uma pequena gravura que foi por nós mandada ampliar.

« AnteriorContinuar »