Pesquisa Imagens Maps Play YouTube Notícias Gmail Drive Mais »
Entrar
Livros Livros
" A fortuna me faz o engenho frio, Do qual já não me jacto, nem me abono: Os desgostos me vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno sono: Mas tu me dá, que cumpra, ó grão Rainha Das Musas, co'o que quero, á nação minha! "
Os Lusiadas - Página 346
por Luís de Camões - 1882
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras de Luis de Camões ...

Luís de Camões - 1779
...goílo de efcrever , que you perdendo. IX. Vão os annos defcendo , ejá doEftio Ha pouco que paíTar até o Outono : A fortuna me faz o engenho frio , Do qual já me naõ jacto , nem me abonos Os defgoftos me vaõ levando ao rio Do negro efquecimento , e eterno...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas: poema epico

Luís de Camões - 1819 - 420 páginas
...nascera em i5i7; mas acaso náb seria hum erro de imprensa de ambos, pois Correa na nota aos versos Váo os annos descendo, e já do Estio Ha pouco que passar até o Outono, Vem a acordar-se com a opiniao de Manoel de Faria (na segunda Vida), e com a minha. Bem assim Manoel...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras completas de Luis de Camões, correctas e emendadas pelo cuidado e ...

Luís de Camões - 1843
...escrevo, e em vão pretendo, O gosto de escrever, que vou perdendo. IX. Vão os ânuos descendo, e ja do estio Ha pouco que passar até o outono; A fortuna me faz o engenho frio, Do qual ja não me jacto, nem me abono. Os desgostos me vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras completas de Luis de Camões, correctas e emendadas pelo cuidado e ...

Luís de Camões - 1843
...em vão pretendo, O gosto de escrever, que vou perdendo. n. Vão os ânuos descendo, e ja do esti« Ha pouco que passar até o outono; A fortuna me faz o engenho frio, Do qual ja não me jacto, nem me abono. Os desgostos me vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas poema epico de Luis de Camões: restituido a' sua primitiva ...

Luís de Camões - 1846 - 585 páginas
...porque em pago Me tornes do que escrevo . e em vão pretendo, O gosto de escrever, que vou perdendo. II. Vão os annos descendo, e já do estio Ha pouco que passar até o outono : A fortuna me faz o ingenho frio, Do qual já não me jacto , nem me abono. Os desgostos me vão levando ao rio Do negro...
Visualização integral - Acerca deste livro

Estudo moral e politico sobre Os Lusiadas

José Silvestre Ribeiro - 1853 - 236 páginas
...porque em pago Me tornes do que escrevo, e em vão pretendo, O gosto de escrever, que vou perdendo. Vão os annos descendo, e já do estio Ha pouco que...vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno sono: Mas tu me da que cumpra, ó grão Rainha Das Musas, c'o que quero á nação minha. E note-se...
Visualização integral - Acerca deste livro

Diccionario bibliographico portuguez: estudos de Innocencio Francisco da ...

Innocencio Francisco da Silva - 1858
...com as circumstancias a que alludiu o nosso incomparável épico, n'aquelles seus magoados queixumes: Vão os annos descendo, e já do estio Ha pouco que passar até o outomno ; Os desgostos me vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno somno (í). Prescindi...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras, precedidas de um ensaio biographico, augmentadas com ..., Volume 6

Luis Vaz de Camoens - 1870
...em vão pretendo, O gosto de escrever, que vou perdendo. IX Vão os annos descendo, e já do eslio Ha pouco que passar até o outono ; A fortuna me faz...vão levando ao rio Do negro esquecimento e eterno sono: Mas tu me dá, que cumpra, ó grão Rainha Das Musas, co'o que quero, á nação minha! Cantava...
Visualização integral - Acerca deste livro

Selecta camoniana: ou, excerptos dos Lusiadas

Luís de Camões - 1863 - 314 páginas
...maviosamente se lastima de seus desgostos vra Aqui, minha Calliope, te invoco Neste trabalho extremo; porqje em pago Me tornes, do que escrevo, e em vão pretendo...vão levando ao rio Do negro esquecimento, e eterno sono: Mas, tu me dá, que cumpra, ó grão Rainha Das Musas, co'o que quero á nação minha! Começa...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas, poema epico de Luis de Camões

Luís de Camões - 1865 - 536 páginas
...apprendeo no immenso lago. Qual lopas não soube, ou Demodoco, Entre os Pheaces hum, outro em Carthugo. Aqui minha Calliope te invoco, Neste trabalho extremo,...vão levando ao rio Do negro esquecimento, e eterno sono : Mas, tu me dá que cumpra, ó grão Rainha Das Musas, co' o que quero A nação minha! Cantando...
Visualização integral - Acerca deste livro




  1. A minha biblioteca
  2. Ajuda
  3. Pesquisa de livros avançada
  4. Transferir ePub
  5. Transferir PDF