Imagens das páginas
PDF
ePub
[graphic][merged small][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][ocr errors][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][subsumed][ocr errors][subsumed][subsumed]

CAPITULO III

Pedro de Andrade Caminha

[ocr errors]

Epoca provavel do nascimento de Caminha. - Dados biographicos tirados dos seus versos. Sua amisade com Francisco de Sá de Menezes, com Sá de Miranda, Ferreira, Bernardes e Jorge de Monte-Mór. - Odio de Pedro de Andrade Caminha contra Luiz de Camões. O serviço do Duque Dom Duarte contribuiu para a mediocridade dos seus versos. Protecções que encontrou no paço. Seu testimunho contra Damião de Goes, quando estava preso na Inquisição. — O exagerado catholicismo levou-o a deixar uma sombra no seu caracter. — Outras amizades litterarias. — Epoca conhecida da morte de Caminha.

De todos os Quinhentistas foi este o que primeiro teve relações com Sá de Miranda; as suas poesia's estiveram ineditas até ao anno de 1791, mas era grande a fama d'ellas devida aos encomios de Ferreira, que hoje se não acham completamente confirmados. Caminha foi de todos os Quinhentistas o que teve menos talento; por alguns factos da sua vida tambem o seu caracter nos apparece menos sympathico.

Pedro de Andrade Caminha era de origem castelhana, como Camões; tanto Fernão Caminha, sexto avô do poeta, como Vasco Pires Camões, seguiram o partido de el-Rei Dom Fernando nas suas pertenções á corôa de Hespanha; vencido o monarcha portuguez, os fidalgos castelhanos e gallezianos que o apoiaram refugiaram-se em Portugal. Vasco Pires Camões foi recompensado por el-Rei Dom Fernando com a Alcaida

ria de Porto Alegre; Fernão Caminha foi recompensado com o senhorio da Terra de Santo Estevam. Esta circumstancia faz com que o silencio de Pedro de Andrade Caminha por Luiz de Camões, seu contemporaneo, se torne mais odioso. Era neto de Affonso Vaz Caminha, e filho de João Caminha casado com Dona Filippa de Sousa. O nome de seus paes acha-se conservado em um Epitaphio que escreveu, aonde fala na casualidade de terem morrido ambos no mesmo dia: «A meu Pay e Mãy mortos em um mesmo dia:

Aqui João, aqui Filippa jazem,

Os quaes em santo nó juntou sua sorte,
E assi mortos inveja aos vivos fazem
Com sua santa vida e santa morte.
Suas almas no céo se satisfazem
Vendo o clarissimo e divino norte
Que na vida foi sempre sua guia,

E que ó céo os guiou juntos n'um dia.» (1)

Nos Poemas Luzitanos do seu amigo Doutor Antonio Ferreira, se encontram em outro Epitaphio os nomes por extenso dos seus progenitores; aí diz n'uma rubrica: «A João Caminha e Dona Philippa de Sousa, sua mulher, ambos mortos e enterrados n'um dia. » E termina:

Oh almas santas, bemaventuradas,

Nunca na vida, nem morte apartadas. (2)

(1) Epitaphio xxxv e xxxvi, p. 274.
(2) Poemas Luzitanos, t. п, p. 120.

No Epitaphio a Dona Anna de Toar, confirma Ferreira esta mesma circumstancia:

Innocente Dona Anna, irmã d'Andrade,
Filha dos pays que juntos Deos chamou.

Nasceu Pedro de Andrade Caminha na cidade do Porto; não tem sido possivel determinar o anno em que veiu ao mundo, mas poderemos apontar uma epoca aproximadamente. Na Epistola que escreveu por occasião da partida de seu irmão Affonso Vaz Caminha para a India, diz:

Inda que, Irmão, te baste outro conselho,
Ouve-me o que te quero ora dizer,

Como amigo maior e irmão mais velho. (1)

O tempo em que se pode fixar esta partida de Affonso Vaz Caminha, é o anno de 1557, porque em outra Epistola escripta a seu irmão «estando na India» fala no Vice-Rei Dom Constantino de Bragança, que só succedeu no governo da India a 3 de Septembro de 1558:

Será lá Constantino forte muro

Que os amigos defenda, offenda imigos,
Grão Capitão, e ós bons amigo puro. (2)

(1) Poesias de Caminha, p. 46.
(2) Pag. 57.

Quando Affonso Vaz Coimbra foi seguir a carreira das armas teria quando muito vinte annos, pelo que se deprehende do Epitaphio de seu irmão:

Affonso Vaz Caminha foi chamado
Vinte annos, pouco mais, viveu na terra.
Como pode soffrer espada ao lado,
Logo do espirito foi levado á guerra.
Foi n'ella Capitão e foi soldado,

Fez seu dever em tudo. Agora encerra

Esta pedra seu corpo. Ah extranha sorte,

Que tão longe e tão cedo o achou a morte. (1)

Á vista d'este documento seu irmão Affonso Vaz Caminha teria nascido em 1537; mas se nos lembrarmos que o poeta teve 'mais os seguintes irmãos: Gaspar Caminha, Dona Joanna de Toar, Dona Anna de Toar, Dona Giomar de Sousa, e Dona Catherina de Toar, todos mais moços, como se vê pelo modo sentencioso como lhes escreve nos seus versos, podemos crêr sem risco de grande hypothese, que Pero de Andrade nasceu muito antes de 1520. Caminha tambem escreveu um Epitaphio á rainha Dona Maria, segunda mulher de Dom Manoel morta em 1517, e outro a Dom Manoel, morto em 1521; d'onde se conclue que embora não os escrevesse ao mesmo tempo do successo, comtudo não The passaram desapercebidos. Tambem na Epistola XXI canta o Duque de Barcellos Dom Theodosio (1) que succedeu a seu pae o Duque Jaime em 1532; por

(1) Epitaphio XLVI, p. 278.

« AnteriorContinuar »