Imagens das páginas
PDF
ePub

Extrasia Felippa de Noronha condessa do mesmo titulo, e o mais velho que ficara por morte do dito seu pai, como constava da sentença do juiz das Justificações, que offerecia, lhe fizesse a mercê mandar passar carta de confirmação da doação das ditas cem legoas de terras em seu nome, para as lograr na mesma forma em que as possuiu o dito conde seu pai; e visto seu reqnerimento e sentença de Justificação referida, carta nesta encorporada e resposta do procurador da minha Coroa, a quem se deu vista, hey por bem e me apraz fazer mercê ao dto Antonio Carneiro de Souza, conde da Ilha do Principe, de lhe confirmar a dação das ditas cem legoas de terra, formadas em Capitania, no districto do Rio de Janeiro (*) para que as logre e possua por successão com todas as jurisdicções, preiminencias, derrogações, e tudo o mais que na doação, nesta carta encorporada, vae declarado, assim como as teve, logrou e possuiu o dito seu pai Francisco Luiz Carneiro, Conde da Ilha do Principe, pelo que mando ao meu governador e Capitão General do Estado do Brasil Governador da Capitania do Rio de Janeiro e a todos os mais Ministros da Justiça e mais Fazenda do mesmo Estado, aquem pertencer, cumpram e guardem esta minha carta de confirmação doação muito inteiramente como nella se contem e na sua conformidade dou posse ao dito Conde da Ilha do Principe, Antonio Carneiro de Souza da dita Capitania e terra dellas na forma desta doação e lha cumpram e guardem como nia se contem, sem duvida alguma, a qual se registrará nos livros dos contos da cidade de São Salvador e nos da Camara da dita Capitania e nas mais partes de for necessaria e do que os escrivães que a registrem passarão suas certides nas costas della, etc.

[ocr errors]

Dada nesta Cidade de Lisboa, aos 19 de Fevereiro de 1709. - Rey - Miguel Carlos.

(*) A Capitania de Itanhaen estava subordinada ao Governo Geral do Rio de Janeiro e não a Capitania de São Vicente ou de São Paulo que foi creada ea Novembro desse mesmo anno de 1709. Em outro capitulos nos occuparemos dessas novas questões, entre a capitania de Itanhaen e a de São Paulo, por causa das respectivas jurisdicções.

RELAÇÃO DAS VILLAS QUE SE ACHAVAM SOB A JURISDICÇÃO
DA CAPITANIA DE ITANHAEN E QUE TIVERAM PREDI-

CAMENTO, OU FORAM PROVIDAS, PELOS RESPECTIVOS
GOVERNADORES DE ITANHAEN.

Não julgue o leitor que tivessemos a pretenção de dar, nesta modesta « lista », um resumo completo da historia de ssas primitivas povoações que tiveram o predicamento de villa durante esse periodo de 1624 a 1753 que foi a época historica em que a Villa de Nossa Senhora de Itanhaen est eve como cabeça da Capitania dos herdeiros de Martim Affonso de Souza, em toda a sua jurisdicçà.

Esse largo periodo tão notavel e tão rico nos fastos da historia Paulista é, entretanto, como adiante se demonstrará, -o mais obscuro e o mais pobre em < apontamentos» e « memorias » ; pois que, os nossos historiadores e chronistas que desdenharam sempre fazer consultas e pesquizas sérias nos registros dos archivos de Itanhaen e de suas villas annexas, contribuiram assim, com o seu desleixo, para que esses archivos, na época da decadencia dessas villas do littoral, cahissem no mais completo abandono e fossem, na mór parte, destruidos pelas traças e pela acção do tempo.

Paranaguá e Iguape são as unicas povoações do antigo littoral paulista, que ainda conservam alguns documentos dessa época.

Aquella, porque teve a suprema ventura de encontrar. entre os seus dilectos filhos alguns que se interessaram pelos annaes memoraveis de sua terra, perscrutando nesses velhos alfarrabios, nesses registros puidos e indecifraveis, todos ou parte desses fastos olvidados pelos historiadores coetaneos.

Vieira dos Santos, Romario Martins, Rocha Pombo, Ermelino de Leào, têm com a boa vontade e com os fracos subsidios desses velhos archivos deteriorados, procurado com feliz exito, reviver os factos e as tradições tão gloriosas dessa parte esquecida da nossa costa maritima e desse sertão onde teve inicio a epopéa heroica dos primeiros bandeirantes, nas famosas « entradas » e << descobertas » de minas auriferas que deu como resultado a expansão e conquista do nosso patrio territorio.

Iguape, si entre seus tão dignos filhos não encontrou até agora quem se propuzesse a fazer o mesmo que fizeram os filbos de Paranaguá e Corityba, publicando « memorias historicas », achou, entretanto, entre os seus moradores, um filho adoptivo -o incansavel investigador sr. Guilherme Young, que mergulhando uma boa parte de sua vida na poeira do velho archivo-iguapense, pôde d'ali resurgir, si nào toda, ao menos

[graphic]

Dr. Affonso A. de Freitas

1. Secretario do Instituto Historico de São Paulo que poderosa e efficientemente nos auxiliou na publicação do presente trabalho.

Ao illustre intellectual e historiador consagramos esta pagina em tributo sincero de homenagem.

« AnteriorContinuar »