Os Lusiadas de Luiz de Cam#E4oes: Unter vergleichung der besten texte : mit angabe der bedeutendsten varianten und einer kritischen einleitung herausgegeben

Capa
K.J. Trübner, 1874 - 318 páginas
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 261 - Isto fazem os Reis , cuja vontade Manda mais, que a justiça , e que a verdade : XX.
Página 294 - No' mais, Musa, no' mais, que a lira tenho Destemperada ea voz enrouquecida, E não do canto, mas de ver que venho Cantar a gente surda e endurecida! O favor com que mais se acende o engenho, Não no dá a Pátria, não, que está metida No gosto da cobiça e na rudeza Duma austera, apagada e vil tristeza.
Página 297 - Ou fazendo que, mais que a de Medusa, A vista vossa tema o monte Atlante, Ou rompendo nos campos de Ampelusa Os muros de Marrocos e Trudante, A minha já estimada e leda Musa Fico que em todo o mundo de vós cante, De sorte que Alexandro em vós se veja, Sem à dita de Aquiles ter inveja. FIM DE "os LUSÍADAS" RHY TH MAS DE LVIS DE CAMÕES, Diuididas em cinco partes.
Página 244 - Claras fontes, e límpidas manavam Do cume, que a verdura tem viçosa: Por entre pedras alvas se deriva A sonorosa lympha fugitiva.
Página 49 - Era no tempo alegre, quando entrava No roubador de Europa a luz phebea; Quando hum eo outro corno lhe aquentava...
Página 3 - E aquelles, que por obras valerosas Se vão da lei da morte libertando : Cantando espalharei por toda parte, Se a tanto me ajudar o engenho, e arte.
Página 94 - A branca e viva cór, co' a doce vida. cxxxv As filhas do Mondego a morte escura, Longo tempo chorando memoraram; E, por memoria eterna, em fonte pura As lagrimas choradas transformaram : O nome lhe puzeram, que inda dura, Dos amores de Ignez, que alli passaram.
Página 95 - Mas quem pode livrar-se por ventura Dos laços que Amor arma brandamente Entre as rosas , ea neve humana pura , O ouro , eo alabastro transparente ? Quem de huma peregrina formosura , De hum vulto de Medusa propriamente , Que o coracaõ converte que tem preso , Em pedra naõ , mas em desejo acceso ? i43.
Página 112 - Da patria, por fazer que o Africano Conheça pelas armas, quanto excede A lei de Christo á lei de Mafamede.
Página 284 - Carpella, Com todo o seu terreno mal querido Da natura, e dos does usados della: Carmania teve...

Informação bibliográfica