Annaes do Rio de Janeiro: contendo a descoberta e conquista deste paiz, a fundação de cidade com a história civil e ecclesiastica, até a chegada d'el-nei Dom João VI, além de noticias topographicas, zooligicas e botanicas, Volume 5

Capa
Na Typ. Imp. e Const. de Seignot-Plancher, 1835
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 207 - Rei de Portugal e dos Algarves daquem, e dalém mar, em África senhor de Guiné, e da conquista, navegação, commercio da Ethiopia, Arábia, Pérsia, e da índia &c.
Página 127 - Faço saber aos que esta minha Provisão virem que tendo respeito ao que se me representou por parte...
Página 58 - ... lhe tocarem. Pelo que mando ao meu Governador da Capitania do Rio de Janeiro...
Página 233 - Eu el-rei faço saber aos que esta minha provisão virem, que tendo respeito...
Página 74 - ... na disposição, e penas das Leis, que sobre esta matéria se tem publicado; o que somente se não entenderá nas moedas, meias moedas, quartos de ouro das fábricas antigas, patacas, meias patacas, reales dobrados, e singelos, que mando correr a peso na forma referida nesta Lei.
Página 170 - ... exerceu actos do seu poder e jurisdicção n'aquellas partes, fazendo-se companheiro d'aquelles de quem era superior, e se recolheu para o seu governo levando mostras que o podiam enriquecer, posto que da bondade...
Página 237 - Officiaes da camará da villa de S. Paulo. — Eu el-rei vos envio muito saudar. Havendo visto a conta que me deu Pedro Taques de Almeida sobre a incapacidade...
Página 89 - Rei de Portugal e dos Algarves, daquem e dalem mar, em África, senhor de Guiné e da Conquista, Navegação e Commercio da Ethiopia, Arabia, Persia e da India etc.
Página 343 - Paiva; e só as partilhas destes se publicou passarem de quatrocentos mil cruzados, querendo por todos os caminhos entregar quanta moeda tinha esta terra nas mãos do inimigo: e por este, e outros motivos está este Povo certo que a entrega da Praça foi uma mera negociação (HO).
Página 342 - Amaral com a sua gente, fez o inimigo sinal de paz, e lhe mandou dizer, que ele não vinha a pelejar, e lhe pedia mandasse suspender as suas armas, porque vinha somente a tratar do resgate da cidade, e que este ajuste desejava fazer com...

Informação bibliográfica