Memorias de litteratura portugueza, Volume 5

Capa
Academia, 1793
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 12 - Porque co'a agua a jacente agua molhe ; As ondas torna as ondas, que tomou : Mas o sabor do sal lhe tira, e tolhe. Vejam agora os sabios na escriptura, Que segredos são estes de natura.
Página 12 - E fendo da ociofa mao movido Pela cafa do moco curiofo , Anda pelas paredes , e telhado Trémulo aquí , e alii dejjocegado. Cant. VIII. Eft. 87. A natureza modificada pela induftria humana , ifto he , a Agricultura , a Mecánica , a Náutica , e outras...
Página 84 - Na quai vos deu por armas e deixou As que Ele pera si na Cruz tomou); Vos, poderoso Rei, cujo alto imperio O Sol, logo em nascendo, vé primeiro; Vê-o...
Página 260 - ¡gad u га , que moftra , que era para allí fe encaixar outra peca ? Da tudo ifto indicios , de que aquelle marmore era huma Ara , e que aquelle buraco era aonde fe introduzia a peca de metal , em que fe accendia o fogo para o Sacrificio. Mas vamos ao grande...
Página 377 - ... diverfos tempos ; devo principiar por dividir as Epochas , para abrir o plano, que me propuz feguir. No principio da nofla Monarchia a...

Informação bibliográfica