Imagens das páginas
PDF
ePub

guerra despois de sua partida, por el rey de Calicut ficar como disse. E partido de Cananor pera Portugal, chegou a Melinde ho primeyro de Feuereyro, onde sem ele sayr em terra Antonio de saldanha foy aa cidade por muytas & muy ricas presas que hi deixara, que fez no cabo de Goardafum quando passou pera a India, & daqui foy ter Lopo soarez a Quiloa pera arrecadar as parias do rey dela, que ele nã quis dar. E dali partio a dez de Feuereyro, & sem lhe acontecer cousa que de contar seja chegou a Lisboa a vinte dous de lunho de mil & quinhentos & cinco annos , com mais duas naos das que leuara quando partio pera a India & todas carregadas de muytas & muy grossas riquezas, pelo que lhe el rey dõ Manuel fez muyla hõrra , & assi a Duarte pacheco sabendo o que fizera na India, com que lhe sosteue as feytorias que la tinha, & ho credito de seu poder. E porque todos soubessem seruiços tão assinados, logo a hùa quinta feyra despois da chegada do capitão mór mandou fazer hứa solêne procissão como em dia de corpo de Deos: em q foy da See ate ho mosteiro de sam Domingos, leuädo cõsigo a Duarte pacheco. E pregou dom Diogo ortiz bispo de Viseu & disse por ordem todas as cousas que Duarte pacheco fez na guerra contra el rey de Calicut. E não somente se fez isto em Lisboa , mas no Algarue, & em todas as cidades & vilas notaueis de Portugal: & isto por mădado del Rey & ele escreueo todo ao Papa per dố loão sutil, bispo que então era de cafim q leuou as cartas, & assi ho escreueo a muytos reys da Christảdade pera ĝ fossem la sabidas façanhas tão notaueis. O que se não acha q phů rey nestes reynos fizesse por vassalo.

L A V S D E 0,

1

Foy impresso este primeiro Liuro da Historia da India em a muyto nobre & leal cidade de Coimbra , por João da Barreyra' impressor del rey na mesma vniuersidade, Acabouse aos vinte dias do mes de Iulho. De M. D. LIIII.

44

49

52

63

65

67

Cap. xu. Do grăde poder del rey de Calicut, f. de

seus costumes : g. assi dos outros reys do Malabar, 8

da maneyra ģ viuem os Naires.
CAP. xv. De como Vasco da gama mandou recado a
el rey de Calicut

que lhe queria falar.
CAP. xvi. De como el rey

de Calicut mãdou

por

Vasco
da gama a Pandarane.
Cap. xvii. De como Vasco da gama deu a el rey de
Calicut a embaixada que lhe leuaua.

58
CAP. XVIII. De como Vasco da gama quisera mandar
hu
presente a

el

rey, og lhe foy cốsētido.
Cap. XIX. Do s os mouros ordenarão côtra Vasco da

gama.
CAP. xx. De como Vasco da

mo Vasco da gama ouue licença del rey
pera se tornar aos nauios.
CAP. XXI. De como tornandose Vasco da gama pera os
nauios ho deteue ho Catual em Pandarane.

70
CAP. xxn. De como Vasco da gama se foy pera os na-
uios, f. do que se passou despois disto.

73
CAP. xxin. De como Vasco gama quisera deixar em

Calicut feitor of escriuão ģ, el rey quis.
CAP. XXIIII. De como el

rey

de Calicut mandou Diogo
diaz g. Alvaro de Braga, g. do mais que passou. 80
Cap. xxv. De como Vasco da

gama se partio pera Por-
tugal, f do que lhe aconteceo ate a ilha Danjadiua. 83
CAP. xxvi. De como Vasco da gama foy fazer agoada,

a ilha Danjadiua, 9 de como prendeo hi hum mouro. 86
CAP. XXVII. Do s acôteceo a Vasco da gama ate a ilha

Santiago.
CAP. XXVII. De como Niculao coelho deu noua a el rey

dỔ Manuel que a India era discuberta,
CAP. XXIX. De como Vasco da gama chegou a Lisboa. 94
CAP. xxx. De como Pedraluarez cabral foy por capi-

tão mór de hûa armada a Calicut.
Cap. XXXI. De como çoçobrarà quatro naos. 97
CAP. XXXII. De como Pedraluarez Cabral se vio com
el Rey de Qúiloa,

99

76

89

91

95

115

Cap. xxxii. De como ho capitão mór Pedraluarez Ca-
bral se vio com el Rey de Melinde.

101
CAP. xxxi. De como ho capitão mór Pedraluarez Ca-
bral, chegou a Calicut.

102
CAP. xxxv. De como Pedraluarez Cabral falou a el

rey
de Calicut.

104
CAP. xxxvi. Do que aconteceo a Pedraluarez cabral em
Calicut.

109
Cap. xxxvII. De como Pedraluarez cabral, mådou to-
mar hứa nao pera el Rey de Calicut.

112
CAP. XXXVIII.- Do ģ passarão os mouros de Meca el

rey de Calicut, og de como se leuâtarã cõlra os Por-

tugueses ģ estauã ê terra.
CAP. xxxix. De como Pedraluarez cabral se vingou do
que os mouros fizerão.

118
CAP. XL. De como Pedraluarez cabral assentou amiza-
de com el Rey de Cochim.

120
CAP. xli. De como Pedraluarez cabral se partio pera
Portugal.

122
CAP. xlii. Do que aconteceo a Pedraluarez cabral tor-
nando pera Portugal.

124
Cap. xlii. De como foy por capitão moor da segunda
armada da India loão da noua.

1 26
CAP. XLIII. De como do Vasco da gama tornou á In-
dia por capitão mór de húa armada.

130
CAP. xlv. De como dom Vasco da gama chegou ao
porto de Calicut, g. do que fez.

131
CAP. xlvi. De como do Vasco da gama chegou a Co-
chim , g do mais que passou.

134
CAP. XLVII.

el
rey

de Calicut mandou dizer a
el rey de Cochim que não desse carrega a dom Vasco. 136
CAP. XLVIII. De como indo do Vasco da gama pera Ca-

nanor foy cometido de vinte noue naos de mouros. 137
Cap. xlix. De como foy sabido é Cochim q el rey de
Calicut lhe auia de fazer guerra.

140
CAP. L. De como el rey de Calicut declarou aos senhores

que ho ajudauão, que queria fazer guerra a Cochim. 142

De como

[blocks in formation]

164

CAP. LI. Do grande aperto em que

estauão os Portugue-

ses medo que el rey de Cochi os étregasse a el rey
de Calicut.

146

CAP. lii. De como ho prìcipe de Calicut cometeo muy-

tas vezes délrar na ilha de Cochim pelo passo do vao. 149

Cap. Lui. De como foy morto Naramuhim principe de

Cochim por treyção del rey de Calicut.

151

Cap. Lin. De como se perdeo Vicente sodré' g, outros

em Curia muria.

CAP. lv. De como partirão pera a India por capitães

móres de tres armadas Francisco dalbuquerque, f

Afonso dalbuquerg, f Antonio de saldanha. 157

CAP. lvi. De como Francisco dalbuquerque começou de

fazer guerra aos immigos del rey de Cochim. 159

CAP. Lvil. De como Francisco dalbuquerque começou de

edificar ho castelo Manuel.

CAP. Lyili. De como Afonso dalbuquerque chegou a Co.

chim.

CAP. Lix. Do ģ Duarte pacheco fez em Repelim, f em

Cambalão.

166

CAP. LX. De como Duarte pacheco desbaratou trinta g

quatro paraós.

CAP. LXI. De como Afonso dalbuquerque foy carregar a

Coulão f assentou feytoria.

171

CAP. LXII. De como se assentou paz antre Francisco

dalbuquerg go el rey de Calicui , & como foy que-

bradās

Cap. xl. De como Francisco dalbuquerque f Afonso

dalbuquerque se partirão pera Portugal, og deixarão

por capitão mór a Duarte pacheco em Cochim.

CAP. LXIII.

Do

que aconteceo a Antonio de saldanha g

aos seus capitães ate chegarem á India.

CAP. Lxv. Do que ho capitão mór Duarte pacheco fez

em Cananor indo pera Cochim: f do s passou com

184

CAP. lxvi. De como ho capitão mór Duarte pacheco fez

que não despouoassem a cidade, os mouros de Cochim. 187

« AnteriorContinuar »