Imagens das páginas
PDF
ePub

The

de lhe el rey falar nele: dizêdolhe logo que ele lhe dissera q era de hů rey muylo poderoso & rico, & que nã trazia nenhũa cousa, trazêdolhe embaixada damizade, que nã sabia que amizade queria coele quem lhe não mandaua nada. Ao que Vasco da gama respondeo, que se não espåtasse de The não trazer nada, porque nào tinha certeza de ho achar, & agora que ho achara veria o q el rey seu senhor lhe nàdaua, se ho Deos deixasse leuarlhe as nouas de seu descobrimento: &

que se ele quisesse dar credito a suas cartas q ali Thas leuaua , & que nelas veria o que lhe dizia. E el rey è vez de lhe pedir as cartas, disselhe que ou ho mãdaua ho seu rey descobrir pedras ou homès, & se màdaua descobrir homès como lhe não mandaua algủa cousa : & pois a não trazia que lhe disserão q tinha bûa sancta Maria douro que lha desse. Vasco da gaina se achou muy afrontado de lhe el rey estranhar tanto não lhe leúar presente, & mais de lhe pedir tão sem vergonha aquela imagem. E respõdeolhe que a sancta Maria que lhe disserão era de pao dourada & não douro: & posto que ho fora que lha não ouuera de dar por quanto ela ho goardara no mar: & ho leuara a sua terra. E el rey não repricou a esta reposta, & pediolhe as cartas que leuaua del rey: & ele lhas deu , hủa em lingoagem Portugues outra em arabigo. E disselhe que vinhão assi porque não sabia el rey senhor qual daquelas lingoas se entèderia em sua terra. E pediolhe que pois a lingoa Portuguesa se não entèdia se não a arabiga, & auia hi Christãos Indios que a entendião que as mandasse ler por hů deles, porque por os mouros- serê immigos dos Christãos receaua que mudassem as palauras da carta. E el rey ho mandaua assi : porem não se achou Indio que soubesse ler a letra mourisca ou foy feyto acinte. E vendo Vasco da gama que a auião de ler mouros pedio a el rey q fosse Bõtajbo hû deles, & isto por lhe parecer que falaria mais verdade q os outros pelo conhecimento que tinha coele : & el rey mandou que a les

se com outros trés : & lida por eles primeyro antre si, a lerão alto declarådo a el rey o que dizia: Que era ở sabendo el rey de Portugal como ele era hů dos mais poderosos reys da India & Christão desejara de ter coele amizade & trato, pera auer de sua terra especiaria que sabia q auia nela muyta,

&

que de muylas partes do mundo a yão ali comprar. E que se ele lhe quisesse dar licença pera mandar por ela que lhe mandaria de seus reynos muytas cousas que no seu não aueria, as quaes lhe diria aquele seu capitão mór & embaixador. È quando daquelas cousas não fosse contente, mandaria moeda douro ou de prata pera a cõprarem. E que assi das mercadorias como das moedas lhe daria ho seu capitão mostra. El rey ouuindo estas palavras, como desejaua que pera acrecentamento de suas rendas fossem muylos mercadores a Calicut, mostrouse cõtente cô a carta , & fez melhor rosto q dåles : & pregütoulhe ĝ mercadorias auia è portugal. Ele nomeou muytas,

& disse ĝ de todas trazia mostra, & assi das moedas: ģ Ibe desse ele licèça pera ir por elas aos nauios ,

&

que deixaria na pousada quatro ou cinco homěs dos seus em quanto lá fosse. El rey crendo mais o que lhe ele dizia, que o que lhe os mouros linhão dito, disse he ğ fosse embora, & que leuasse os seus consigo que não era necessario ficar nenhà em terra, & que trouuesse sua mercadoria, & que a vendesse ho melhor que podesse. Coesta licêça ficou ele muyto ledo, porque segůdo vio el rey mal assombrado no começo da pratica , pareceolhe que lha não desse. E coisto se foy pera a pousada , acompanhandoo ho Catual por mandado del rey. E por ser ağle dia ja tarde se não quis partir.

C A P I T O L O XXI.

ne,

fosse apos

ģ

De como tornandose Vasco da gama pera os nauios ho

deteue ho Catual em Pandarane. E ao outro dia que foy ho derradeyro de Mayo mandou ho Catual hum caualo ei osso a Vasco da gama pera ir nele a Pandarane. E por ho caualo vir daquela maneyra não quis ir nele, & pedio hů andor ao Calual, ỹ The logo madou dar, & nele se partio pera Pandara

& todos os seus coele, & assi muytos Naires q ho acompanhauão. E quãdo os mouros hộ virão ir, parecendolhe que se ya de todo, ficarão lão magoados que se forão ao Catual, & peitarâlhe muylo dinheiro porque

ele & ho prendesse dessimuladamente, & que eles terião maneyra como ho matassem pera que ele ficasse sem culpa. E posto que lhe el rey quisesse dar algúa pelo prender, que eles lhe auerião perdão. E tizerżno partir logo , & andou tanto que passou pelos nossos que ficauão atras de Vasco da gama por ele ir depressa , & eles não poderem andar tanto que fazia calma & afrontauão. E chegado ho Catual a ele, disselhe que porque andaua tão de pressa que parecia que ya fugindo: & isto por acenos. () q ele bem entendeo: & disselbe tambě por acenos que fugia da calma. E chegados a Pådarane, porque os nossos não parecião ainda, disse Vasco da gama que não auia dentrar sem eles no lugar, & meteose em hů estao (que auia muytos por aquele caminho pera se acolherem das chuuas) & hi esperou por eles ate quasi sol posto, que tudo isto tardarão por errarè ho caminho. E Vasco da gama se queixou coeles, dizêdo que não era aquilo tempo pera ho deixarem, & que ja fora nos nauios se não fora sua tardança. E pedio logo hứa almadia ao Catual pera se ir aos nauios : & ele pelo que esperaua de fazer lhe disse que era ja muyto tarde, & que os nauios estauão

longe & como fizesse escuro que os poderia errar que melhor se iria ao outro dia. Ao que ele disse q se lhe logo não desse almadia pera se ir que se tornaria a el rey, porque el rey ho mandara ir pera os naujos & que ele ho queria deter, & que era muyto mal feyto sendo ele Christão como eles. E isto disse muyto meněcorio, & mostrầdo que se queria tornar pera Calicut. E ho Catual por dissimular disse q lhe daria xx. almadias se tầtas quisesse, q ele lhe acõselbaua por bề ficasse , se se quisesse ir que se fosse : & fez que mandaua buscar almadias, & dissimuladamente mandou esconder os donos delas, porğ as não dessem. E entre tãto que as yảo buscar leuou Vasco da gama ao longo da praya: & como ele ja tinha má sospeita desta gèle pelo ở lhe fora feyto em Calicut, disse à Gonçalo pirez ho marinheiro, que cô outros dous dos nossos ‘fosse diante ho mais ģ podesse : & se achasse Niculao coelho com os bateis, The disesse que se escõdesse porque auia medo q ho Catual lhe tomasse os bateis com a muyta gěte que leuaua: Gonçalo pirez & os outros forão fazer isto. E ho Catual se deu tanto de vagar cô a almadia por mais q se Vasco da gama a pressaua, q se carrou a noyte de todo, & erão passadas dela bem tres horas. E assi por isto, como por não tornarê mais os q leuarão ho recado a Niculao coelho, se deixou Vasco da gama ficar ali ağla noyle, & føy apousentado è casa de hů mouro. E ho Catual os deixou, cô dizer que ya buscar Gonçalo pirez & os outros dous, & foyse: & nå tornou se não pola menbaå. E tanto ģ tornou logo lhe Vasco da gama pedio almadias pera se ir: & ele lhe disse que mandasse chegar mais pera terra os nauios , & que elão se iria : do que se ele agastou muyto, parecendolhe que lho dizia, pera com a muyta gente que tinha , The ir tomar os nauins em almadias: & por isso não quis. E respon- . deo cô grãde animo, que não auia de mandar al cousa estando em terra, porque se ho mandasse, que pareceria a seu irmão que ho tinhão preso, &

que

ilho fazião

fazer por força , & que se iria pera Portugal sem ele. Ho Catual & os outros falãdo todos juntaměte muyto rijo lhe disserào q se ho não fizesse ho não deixariảo ir: ao q ele mostrandose muy desagastado: respondeo que se ho não deixassem ir, que se tornaria a el rey de Calicut, & lho diria , & quando ho ele quisesse deter em sua terra, que folgaria muyto de morar nela. Ho Catual disse que se fosse queixar. Porem não lhe daua lugar pera isso, porque as portas da casa estauão todas fechadas, & ela toda chea de Naires com suas armas,

& não deixavão sair nenhum Portugues. E quis Deos que ho Catual não ousou de matar Vasco da gama nem os seus, que bem quisera fazelo, por amor dos mouros que lhe peitarão : & sendo ele muyto grande priuado del rey, tomoulhe tamanho medo dele que não ousou. E ho porğ dizia a Vasco da gama'que mandasse chegar os naujos pera terra, era porque chegados os poderião os mouros tomar, & matar quantos estauão dětro: & vendo q Vasco da gama não ģria mädar chegar os naujos pera terra, por ter causa de ho ter & darlhe opressão, ja ğ ho nấ ousaua de matar, cometeolhé q lhe desse as velas dos nauios & os lemes: do ğ se Vasco da gama começou

de rir, dizêdo q nã auia de dar hủa cousa nem outra , pois el rey ho deixaua ir sem nenhủa condição, que fizesse ho que quisesse, porque el Rei ho saberia & lhe faria justiça. E cổ tudo estaua muyto agastado. E estando assi chegou gonçalo pirez com recado de Niculao coelho ị ho esperaua com os bateis : a q logo Vasco da gama mandou dizer que se tornasse aos nauios, noteficandoThe como ficaua, & assi ho fez Niculao coelho, & acoTheose com grande afronta, porque forão apos ele muytos immigos em almadias por mädado do Catual pera ho tomarem, mas não poderão. O que sabido pelo Catual · tornou a cometer Vasco da gama que escreuesse a seu irmão que fizesse chegar os nauios pera terra : & ele não quis, com dizer que ho fizera : mas que seu irmão não auia de

querer, & posto que quisesse; q sabia muy

« AnteriorContinuar »