Imagens das páginas
PDF
ePub

CAPITOLO XXV.

De como Vasco da gama se partio pera Portugal, of

do que lhe aconteceo até a ilha Danjadiua. A inda qi Vasco da gama estaua cötête de ter descuberto Calicut, nã ho podia ser de todo por nã ficar em amizade cổ el rey pera tornar seguraměte a frota q el rey seu senhor mädasse. E vendo q não era mais em sua mão, contentouse com ter descuberto o q tinha , & ter sabido da Indja & sua nauegação quầto abaslaua pera poder tornar a ela. E cổ leuar mostras despeciaria , droga , & pedraria , & doutras cousas q auia nela, como agora vemos : q tudo lhe ouue Bötajbo. E não tendo mais ĝ fazer, partiose levando os Malabares ģ linha , porą por meo deles se fizesse a paz cổ el rey de Calicut quando tornasse outra armada. E logo a quîta feyra ao meyo dia ãdãdo è calmaria hứa legoa abaixo de Calicut forão ter coele obra de setenta tones grâdes carregados de gente de guerra, com que parece q el rey de Calicut cuydou de ho tomar, & vendo os mầdoulhes tirar com a artelharia : & se ela não fora sempre eles chegarão aos nossos & os meterão em trabalho, porque andasão obra de hora & mea ladrådo apos eles, por

hüa trouoada que sobreveo, que por força leuou os nossos pera ho mar, os deixarão os immigos, & se forão : & os nossos seguirão seu caminho pera Melinde com grandes calmarias. E indo coelas ao longo da costa sem andar quasi nada, pareceo bề a Vasco da gama, que posto que el rey de Calicut the fizesse tantas roindades, ģ pola necessidade que os nossos que tornassem despois dele a Calicul, avião de ler de sua amizade, pera se poder auer carrega despeciaria , ġ seria bộ fazer coele algú comprimêto, & mais pois lhe não podia ja empecer, & que el rey fölgaria coele segundo ho vira amigo de honrras. E hìa segunda feyra dez dias de Setebro

&

The escreueo hìa carta em arabigo feyta per Bontaibo, em q dizia que lhe perdoaşse de lhe leuar os Malabares, porque os não leuaua se não pera testemunhas do que tinha discuberto como lhe mädara dizer, & se não deixara feylor è Calicut (do que lhe pesaua muyto ) fora por recear ģ ho matassem os mouros, por amor de què não fora muytas vezes a terra, mas nem por isso deixaua de ser muyło gråde seu seruidor, & que

el rey seu senhor auia de folgar muyto com sua amizade, & mandaria muy cedo sua armada em que lhe mandasse muyta abastăça do que lhe mandaua pedir, & que ainda ho trato dos Portugueses em sua cidade lhe auja dacrecentar muylo suas rendas. E esta carta deu a hů dos Malabares que leuaua pera que a leuasse por terra onde ho mandou deitar: & despois se soube que a dera a el rey de Calicut. E continuando Vasco da gama dali sua viagem indo a vista de terra no sabado seguinte a duas legoas dela foy ter com a frota a hûs ilheos & dù deles que era pouoado acodirào logo muytas almadias com gête a vender pescado & outros mantimetos. E Vasco da gama lhe fez muylo gasalhado, & The mandou dar camisas & outras cousas com que mostrarão muyto contenta mèto : & pregütoulhes se folgarião de deixar ali metido hů padrão com bùa Cruz & armas del Rey de Portugal em sinal que os Portugueses erão seus amigos. E eles disserào que si, & ģ coele affirmarião que erão os nossos Christãos : & então ho mandou meter, & chamauase ho padrão de sancta Maria : & por isso se chamou ağle ilheo do mesmo nome. Daqui como fey noyle ộ ventou ho terrenho se fez á vela, & indo sempre ao lõgo da costa a quinta feyra seguinte dezanoue de Set@bro foy ter có hùa terra alta ni uy to graciosa & de bồn ares, & estauão jūlo dela seys ilhas peqnas & ali surgio: & indo a terra pera fazer agoada achou nela hů homě mancebo , q preguntado se era mouro se Christão , disse ở christão & isto deuia de ser cỏ medo q ho nào matassem, que por ağla terra não auia nenhüs Christãos:

&’este leuou os nossos por detro de hû rio & lhe foy mostrar hüa. fermosa agoada que nacia antre hûs penedos, & por isso lhe foy dado hü barrete vermelho. Ao outro dia pela menhaa vierão de terra quatro homes em hữa almadia abordo da capitaina que trouuerão a veder muytas aboboras & pepinos : & pregütados se auia nağla terra canela ou piměla , disserão que não auja mais que canela. E pera Vasco da gama auer mostra dela , mandou coeles dous dos nossos , ģ Ihe trouuerão dous grandes ramos daruores de q se ela tira , & diziã q auia ali hừa muyto grande mata delas, porem que era braua: & quâdo tornarào coela vierão em sua companhia vinte homës da terra cô muytas galinhas aboboras & leyte de vacas : & disserão a Vasco da

gama , ģ mandasse coeles algüs dos nossos, porque dali a hũ pedaço tinhão muyla canela seca , & ở tornariã ao outro dia coela , & com vacas porcos & galinhas: pore ele não lhe quis dar ninguë, porą receou de ser aquilo treição. E ao outro dia antes de jätar indo os nossos cortar lenha a terra, enxergarão' lõge do lugar onde estauảo dous naujos pegados cô terra. E estãdo Vasco da gama pera ir saber s nauios erão , mandou ver da gauia se parecião outros, & folhe dito ý obra de seis legoas ao mar parecião oyto .naos grådes q andauam em calmaria : & coesta noua deixou de ir saber que nauios erã os dous, & posse apique a esperar as naos se ho fossem cometer, & elas como lhes igoalou a viração tomarão de lo quáto poderão: & sēdo duas legoas dos nossos ģ os podião ver foisse Vasco da gama a elas : ho que vềdo a gěte ở ya nelas começarão logo darribar pera terra a popa. E indo assi quebrou ho leme a hứa antes de chegar lá, & a gente dela se passou logo ao paraó & se acolheo a terra, & Niculao coelho que ya mais perto da nao a foy logo abalroar, cuydãdo dachar nela algủa riqueza , & não achou mais q cocos & jagra ğ be açucar de palmeiras, & læbê achou muytos arcos frechas espadas lâças & escudos, & as outras sete derão è seco, & porġ nas

naos os nossos lhe não podião chegar, passarãse aos bateis & forãonas esbõbardear, & os îmigos fugirão deixandoas : & vendo isto Vasco da gama tornouse pera os nauios. E estãdo surto ao outro dia chegarão a bordo sete homês da terra e hũa almadia , & disserålhe q aquelas oyto naos erão de Calicut, ĝ as mandaua el rey pera ho tomarë, & ğ isto squberão da gente que fugira delas.

CAPIT O L O XXVI.

De como Vasco da gama foy fazer agoada , a ilha Dan

jadiua, gde como prendeo hi hum mouro. Sabido isto per Vasco da gama nở quis ali estar mais, & foi surgir na ilha Dâjadiua, que era dali dous liros de bõbarda em ở lhe disserão que auja agoa. He ilha pequena, & está hứa legoa da terra firme, ba nela muy. to aruoredo , & tě dous tâques dagoa doce nadjuel, & são inuyto grâdes & todos de cantaria, & hû deles era daltura de quatro braças. Ha no inar desta ilha muyto pescado & marisco. Antes que os mouros viessể aa India era pouoada de gětios & auia nela grandes edificios, principalmente hů pagode, & despois da nauegação dos mouros do mar roxo que aqui tomauảo agoa & lenha, forão deles tão mal tratados que ho não poderão sofrer, & a despouoarão : & antes que se fossem derribarão quasi todo ho pagode de q lhe não deixarão mais que a capela, & assi os outros edificios. E cô tudo ainda os genties đa terra firme (ỹ he del rey de Narsinga ) tinhảo tamanha deuação neste pagode que yão fazer nele suas orações a tres pedras negras q estauão no meyo da capela. E esta ilha foy chamada Anchediua q na lingoa Malabar quer dizer as cinco ilbas, porở ao derrador dela estão outras quatro, & os Portugueses corröperão este nome & ficou em A njadiua como lhe chamão. Surto aqui Vasco da gama mådou Niculao coelho a terra a descobrir; & ele foy armado cô os seus , & achou tudo assi

labares que

como digo , & mais hứa praya muyto boa pera espalmar os nauios. E porğ Vasco da gama tinha ainda muyto caminho pera àdar, & não sabia quando acharia outra praya tam boa , ouue conselho com os outros capitães ģ espalmassem ali. E ho primeyro nauio que tirarão a monte foy ho berrio: & cada dia vinha gente da terra a vender mantimetos aos nossos. E estando nisto virão vir duas atalayas que sam como fustas & vinhảo êbandeiradas, & com eslendartes nos topos dos mastos & dentro soauảo atambores & trombetas como 'cousa de festa & vinha nelas muyta gente, & elas vinhão a remos , & è sua goarda ficauão cioco ao longo da costa. E dos Ma

Vasco da gama leuaua, soube q aquelas fustas erão de ladrões de q era capità hừ gentio chamado Timoja morador em hů lugar dali perto chamado Honor, & andaua a furtar com manha de mostra que era de paz, & despois que entrava nos naujos se via que os podia tomar os tomaua. E por isso chegando os paraós a tiro de bombarda lhes mảdou tirar dos dous naujos que estauão no mar ás bombardadas : & a gête começou de bradar. Tambarane, Tambarane, porque assi chamão a Deos , & dizião q erão Christãos. E não lhe deixando os nossos de tirar fugirão pera terra. E Niculao coelho que estaua no seu batel foy a pos eles ás bombardadas: & seguio os tanto que mandou Vasco da gama leuantar hữa bandeira pera que se torpasse, & tornouse. E ao outro dia estando os capitães em terra com quasi toda a gête da frota trabalhando no berrio, chegarað dous paraós pequenos en q virião ate doze hómês da terra , ģ ê seus irajos parecjão bõrrados, & derão a Vasco da ga ana hů feixe de canas daçucar, & logo è lho dầdo The pedirão que lhe deixasse ver os nauios porque núca virão outros : do que se ele agastou muyto, parecendolhe que erão espias : & nesta pratica chegarão outros dous paraós com outros tâtos homes. Eos que vierão primeyro vendo ğ Vasco da gama se agastaua coeles disserão aos que chegauão que não desembarcassé & se tor

« AnteriorContinuar »