Portugal antigo e moderno; diccionario ... de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias, Volume 4

Capa
Mattos Moreira, 1874
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Palavras e frases frequentes

Passagens conhecidas

Página 408 - DOM LUIZ, por graça de Deus, Rei de Portugal e dos Algarves, etc. Fazemos saber a todos os nossos súbditos, que as cortes geraes' decretaram e nós queremos a lei seguinte: Artigo 1.° É appr ovado o código administrativo que faz parte da presente lei.
Página 302 - As suas orações não excitavam unicamente sentimento religioso; mas quantas vezes entusiasmavam, quantas vezes também verberavam a corrupção da corte e os escândalos do governo. Era um poeta e um pensador. O homem que nos sermões sabia casar com um...
Página 138 - ... e dois frades observantes, vimos por isso queimados. El-rei teve tanto a mal a cidade tal fazer, que o titulo natural de nobre e sempre leal lhe tirou e fez perder; muitos homens castigou e officios tirou ; depois que Lisboa viu tudo lhe restituiu eo titulo lhe tornou.
Página 138 - Estando só a cidade por morrerem muito n'ella, se fez esta crueldade ; mas el-rei mandou sobr'ella com mui grande brevidade ; muitos foram justiçados, quantos acharam culpados, homens baixos e bargantes, e dois frades observantes, vimos por isso queimados.
Página 176 - Alemquer aos 16 de setembro de 1487. — Na primeira se manda fazer um encanamento desde o chafariz até á muralha do mar, para os baléis da Ribeira alli receberem a agua precisa para as aguadas da marinha: cuja obra tinha sido orçada em 12(3000 reis.
Página 398 - Dom Joham pella graça de Deus rey de Portugal e do Algarve a...
Página 302 - ... o homem que fazendo vibrar essa lyra de mil cordas que tinha na voz, ora arrancava lagrimas ao auditório, ora lhe fazia correr nas veias o frémito do patriotismo, da ira sagrada, do nobre...
Página 350 - Manoel de Azevedo. João da Silva do Valle. Miguel da Silva. Gregorio da Costa. O Alferes Francisco de Tavora.
Página 226 - De um relatorio publicado em 1727, pelo provedor da casa de Santo Antonio, o desembargador José Soares de Azevedo, consta ter-se gasto até junho de 1726 a quantia de 32 contos de reis.
Página 250 - Por cima das capellas corre um friso de pedra, e sobre elle, no meio do arco de cada capella, Пса urna tribuna, com bastante vào para seis pessoas. Estas tribunas téem no fundo largas janellas de vidraças, que da

Informação bibliográfica