Livro do centenario (1500-1900)

Capa
Impr. nacional, 1900
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 26 - Parte do antigo bosque, escuro, e negro, Onde ao pé de uma lapa cavernosa Cobre uma rouca fonte, que murmura, Curva latada de jasmins, e rosas.
Página 26 - Caitutú , que treme Do perigo da irmã , sem mais demora Dobrou as pontas do arco , e quiz tres vezes Soltar o tiro , e vacillou tres vezes Entre a ira eo temor...
Página 41 - Todas as arvores tão odoriferas, e produzem gommas ou oleos, ou algum outro licor, cujas propriedades todas, se fossem conhecidas, não duvido que andariamos todos sãos. E por certo que se o...
Página 25 - Pálida a cor, o aspecto moribundo, Com mão já sem vigor, soltando o leme, Entre as salsas escumas desce ao fundo: Mas na onda do mar, que irado freme, Tornando a aparecer desde o profundo: "Ah! Diogo cruel!
Página 42 - SOZINHA; ninguém me procura! Acaso feitura Não sou de Tupá! Se algum dentre os homens de mim não se esconde: — "Tu és,
Página 10 - ... de Portugal, e fazem uma harmonia quando um homem vai por este caminho, que é para louvar ao Senhor, e os bosques são tão frescos que os lindos e artificiais de Portugal ficam muito abaixo.
Página 26 - Melancólica sombra. Mais de perto Descobrem que se enrola no seu corpo Verde serpente, e lhe passeia e cinge Pescoço e braços, e lhe lambe o seio.
Página 47 - Disse-me, quando a minh'alma Em saudades lhe deixei : E agora esta saudade Tão triste e pálida. . . assim Como a saudade que geme Por ela dentro de mim ! . . A namorar-me os sentidos ! A fascinar-me a razão ! . . Julgo que sinto a voz dela Falar-me no coração ! Exulta, minh'alma...
Página 30 - Esses homens de vários acidentes. Pardos e pretos, tintos e tostados, São os escravos duros e valentes. Aos penosos serviços costumados: Eles mudam aos rios as correntes. Rasgam as serras, tendo sempre armados Da pesada alavanca e duro malho Os fortes braços feitos ao trabalho.
Página 27 - E rompe em profundíssimos suspiros, Lendo na testa da fronteira gruta, De sua mão já tremula gravado, O alheio crime ea voluntária morte, E por todas as partes repetido O suspirado nome de Cacambo.

Informação bibliográfica