Os Lusiadas, Lief. Vergleichung der besten Texte, mit Angabe de bedeutendsten Varianten und einer kritischen Einleitung herausg. von C. von Reinhardstoettner. 2 Luf

Capa
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 135 - Eram já neste tempo meus irmãos Vencidos e em miséria extrema postos, E, por mais segurar-se os deuses vãos, Alguns a vários montes sotopostos. E, como contra o Céu não valem mãos, Eu, que chorando andava meus desgostos, Comecei a sentir do fado imigo, Por meus atrevimentos, o castigo.
Página 85 - Bem puderas , ó Sol, da vista d'estes, Teus raios apartar aquelle dia , Como da seva mesa de Thyestes^, Quando os filhos por mão de Atreo comia ! Vós, ó côncavos valles, que pudestes A voz extrema ouvir da boca fria, O nome do seu Pedro que lhe ouvistes , Por muito grande espaço repetistes...
Página 284 - No' mais, Musa, no' mais, que a lira tenho Destemperada ea voz enrouquecida, E não do canto, mas de ver que venho Cantar a gente surda e endurecida! O favor com que mais se acende o engenho, Não no dá a Pátria, não, que está metida No gosto da cobiça e na rudeza Duma austera, apagada e vil tristeza.
Página 287 - Ou fazendo que, mais que a de Medusa, A vista vossa tema o monte Atlante, Ou rompendo nos campos de Ampelusa Os muros de Marrocos e Trudante, A minha já estimada e leda Musa Fico que em todo o mundo de vós cante, De sorte que Alexandro em vós se veja, Sem à dita de Aquiles ter inveja. FIM DE "os LUSÍADAS" RHY TH MAS DE LVIS DE CAMÕES, Diuididas em cinco partes.
Página 243 - Já não fugia a bella nympha, tanto Por se dar cara ao triste, que a seguia. Como por ir ouvindo o doce canto, As namoradas maguas, que dizia. Volvendo o rosto já sereno e santo, Toda banhada em riso e alegria, Cahir se deixa aos pés do vencedor, Que todo se desfaz em puro amor.
Página 130 - Potestade (disse) sublimada: Que ameaço divino ou que segredo Este clima e este mar nos apresenta, Que mor cousa parece que tormenta?
Página 135 - Ó ninfa, a mais formosa do oceano, Já que minha presença não te agrada Que te custava ter-me neste engano, Ou fosse monte, nuvem, sonho ou nada?
Página 236 - Claras fontes, e limpidas manavam Do cume, que a verdura tem viçosa ; Por entre pedras alvas se deriva A sonorosa lympha fugitiva.
Página 125 - Vi claramente visto o lume vivo, Que a maritima gente tem por santo Em tempo de tormenta, e vento esquivo De tempestade escura, e triste pranto. Não menos foi a todos excessivo Milagre, e cousa certo de alto espanto, Ver as nuvens do mar com largo cano Sorver as altas aguas do Oceano.
Página 84 - Naquelle, por quem mouro, criarei Estas reliquias suas, que aqui viste ; Que refrigerio sejam da mãi triste.

Informação bibliográfica