Obras completas de Luis de Camões, correctas e emendadas pelo cuidado e diligencia de J. V. Barreto Feio e J.G. Monteiro ...: Redondilhas &c. Sextinas. Elegias. Epistolas. Oitavas. Comedias. Cartas

Capa
Baudry, 1843
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 133 - podrá, Pues el alma va, Que el cuerpo se quede. Con él por que muero Voy, porque no muera; Que si es marinero, Seré marinera. Es tirana ley Del niño Señor, Que por un amor Se deseche un Rey. Pues desta manera Quiero irme, quiero Por un marinero A ser marinera. Decid, ondas, cuando Vistes
Página 13 - cantar, Das gentes tão celebrado? Porque o deixava de usar, Pois sempre ajuda a passar Qualquer trabalho passado? Canta o caminhante ledo No caminho trabalhoso Por entre o espesso arvoredo; E de noite o temeroso Cantando refreia o medo. Canta o preso docemente, Os duros grilhões tocando; Canta o segador contente; Eo trabalhador, cantando, O trabalho menos sente.
Página 15 - tu, terra de glória. S'eu nunca vi tua essência, Como me lembras na ausência? Não me lembras na memória, Senão na reminiscência: Que a alma he taboa rasa, Que com a escrita doutrina Celeste tanto imagina, Que voa da própria casa. E sobe á pátria divina.
Página 16 - he quem se ha de buscar; He raio da formosura, Que só se deve d'amar. Que os olhos, ea luz que ateia O fogo que cá sujeita, Não do sol, nem da candeia, He sombra daquella ideia, Qu'em Deos está mais perfeita. E os que cá me
Página 216 - Qualquer quieto, humilde e doce estado, Onde com minhas Musas só vivera, Sem ver-me em terra alheia degradado; E alli outrem ninguém me conhecera, Nem eu conhecera outro mais honrado, Senão a vós, também como eu contente; Que bem sei que o serieis facilmente: E ao longo d'huma clara e pura fonte,
Página 19 - encantas. Filha de Babel tão feia, Toda de miséria cheia, Que mil vezes te levantas Contra quem te senhoreia; Beato só pôde ser Quem co'a ajuda celeste Contra ti prevalecer, E te vier a fazer O mal que lhe tu fizeste: Quem com disciplina crua Se fere mais que huma vez; Cuja alma, de vícios nua, Faz
Página 10 - os danos Se causavão das mudanças. E as mudanças dos anos; Onde vi quantos enganos Faz o tempo ás esperanças. Alli vi o maior bem Quão pouco espaço que dura: O mal quão depressa vem; E quão triste estado tem Quem se fia da ventura. Vi aquillo que mais vai
Página 232 - mana Hypocrisia, engano e falsidade; Cá donde ousada toda carne humana A todo arbítrio vive da vontade; Cá donde enrouqueceo da Lusitana Musa o furor heróico e suavidade; Cá donde se produz por cega via Matéria a quanto mal o mundo cria ; Cá donde o puro Amor não tèe valia, Porque Baccho o
Página 87 - sorte Leonor Suspende de quando em quando Sua dor; e em si tornando, Mais pezada sente a dor. Não deita dos olhos ágoa, Que não quer que a dor s'abrande Amor, porque em mágoa grande Sécca as lagrimas a mágoa. Despois que de seu amor Soube novas perguntando, D'improviso a vi chorando. Olhae que extremos de dor!
Página 203 - Olha aquelle Deos alto e increado, Senhor das cousas todas, que fundou O ceo, a terra, o fogo, o mar irado; Não do confuso caos, como cuidou A falsa Theologia, e povo escuro, (Que nesta só verdade tanto errou; Não dos átomos leves d'Epicuro; Não do fundo Oceano, como Thales,

Informação bibliográfica