Imagens das páginas
PDF
ePub

Almirante, e Martim de Freitas. Eftes Era vulg,
dous ultimos Cabos vinha com or-
dem da Corte para ireni a Dio del.
carregar a gente , e munições que
traziao para reforçar a nova Fortale-
za , de que El-Rei tivéra noticia por
Diogo Botelho, como com effeito ex-
ccutárað.
Sabendo o Governador

que

sem embargo da guerra nað se haver decla- . rado em Dio , a Corte de Cambaya estava desconfiada, o commercio roto, e que o Grao Turco preparava em Suez huma poderosa Armada para vir sobre a Fortaleza

3

elle se embarcou em outra de 80 náos, e foi regular os negocios respectivos á ameaçada Ilha, e pôr a Fortaleza em estado de fazer vigorofa defensa. Entao se fez a famofa cisterna para recolher a agua, que era na praça a sua mais sensivel falta : levantou o baluarte da Villa dos Rua mes para segurança dos Officiaes da Al(fandega : reparou humas obras, e mandou fe fizefem outras de novo, sendo Coge Çofar o agente, que entao se desvelava sobre todos nas nossas vanta

gens,

[ocr errors]
[ocr errors]

Era vulg. gens. Para se informar dos designios

dos Turcos , e melhorar de fortuna à D. Fernando de Lima, 'o mandou com huma Esquadra ao Mar Roxo com regimento de ir invernar a Ormuz, aonde acharia deposto do governo a D. Pedro de Castello Branco, e lhe succederia nelle , por ser mais rendoso, que o de Goa, em que viera provido.

Este Fidalgo des de Ormuz, e ElRei de Lisboa avisárað ao Governador da India das disposições dos Turcos no Cairo, e em Suez. Ellas tiverab origem nas negociações de Çafar-Cað, aquelle Mouro que Sultab Badur quando se vio apertado dos Mogores, mandou a Meca com a Rainha sua muTher, com grande parte dos seus thesouros para merecer por elles a protecçao do Gra6 Turco. Çafar-Cað tratou amizade em Meca com o Baxa Solimaó, que o fez transportar a Conftantinopla, aonde foi attendido dos Miniltros do Turco. Nada executou o Mensageiro de Badur , nem descobrio ao Imperador Selim os thesouros, quo levava , senaó depois da morte do mes,

ma

[ocr errors]

mo Badur. Ella, se fez pública por hu- Era vulg ma carta , que o simulado Coge Çofar escreveo ao Rei de Zebit , em que lhe pedia meteffe em obra todos os seus esforços para conseguir de Selim enviar a sua Armada de Suez a Dio para vingar aquella morte com a tomada da For. taleza , donde lhe ficavað faceis as ex. pedições para lançar os Portuguezes da India.

Forao entao abertos os cofres de Badur na presença de Selim, que formou huma alta idea da riqueza de Cambaya : tað alta , que ficou nella refoluta', nag a vingança da morte de Badur

, mas a conquista do Reino, que em huma parte do thesouro do Principe mostrava soberba a sua opulencia. Com o pretexto de soccorrer o novo Rei contra os Portuguezes, o mesmo Solimao, Baxa do Cairo, foi nomeado para General da expediçao , mais pelas intrigas do Serralbo , que pelos merecimentos da peffoa. Elle era hum velho de 80 anyos, de naçao Grego, natural da Morea, hum Eunuco horrorosamente feio, que por isso escolhido

pa

a

[ocr errors]

Ira vulg. para Guarda-Damas do Turco mere:

ceo esimações na Corte. Mais torpe
que o corpo era a fealdade da alma der-
te homem abandonado a huma bruta-
lidade dominante

que o deixava vêr
mais deshumano, que as mesmas féras,
Com poderes plenos, e independentes
The forað encarregados os aprestos de
huma Armada de 70 velas, em que
embarcou 70 000 homens entre Geni.
zeros, e Mamelucos. Entað se servio
este monstro das atrocidades mais enor-
mes , de proscripções, roubos , effu-
sões de sangue por todo o Egypto , fem
lhe escapar a dignidade de David , Rei
da Thebaida , que elle pendurou em
huma forca por premio de apromptar
ás suas ordens tudo o que delle preten-
deo.

Em quanto a Armada Turca nao sahe ao mar, demos nós huma volta á Ilha de Dio. Depois que partio della, para Goa o Governador Nuno da Cue nha , Coge Çofar continuou a servirnos com as apparencias bem coradas de bom amigo, em quanto a sua sagaci. dade dispunha os meios de se escapar

com

[ocr errors]
[ocr errors][merged small]
[ocr errors]
[ocr errors]

com a sua numerosa familia para o con. Era vulg.
tinente de Cambaya. Depois de seu fi-
lho Rumecao á vista de todos vadear o
paffo da Ilha em hum cavallo soberbo,
o Pai continuou a enganar o Gover-
pador Antonio da Silveira , attribuindo
a fugida do moço á acçað sua , e fir-
mando as provas da fidelidade pessoal
na importancia dos generos, que car-
regava á sua custa em huma náo para
Meca. Tal foi a industria de Çofar,
que nella fugio para Surrate com to-
da a sua casa, e fazenda. Paffou logo
para a Corte de Amadaba , aonde foi
recebido com grandes honras por Sul-
tao Mamud, e com as mesmas achou
já tratado a seu filho Rumecao. Paffa-
dos poucos dias pedio Çofar audien-
cia a El-Rei na presença dos seus Of.
ficiaes e Conselho , e sendo-lhe con- .,
cedida , lhe fez a falla seguinte:

Naó concebais , Senhor potentissi-
mo, contra mim a idéa , de que o ha-
ver-me demorado até agora em Dio
entre os perfidos Portuguezes, foi
crime, ou falta de fidelidade á memo,
ria do grande Badur , que me hoorou,

[ocr errors]
[ocr errors]

a

me

« AnteriorContinuar »