Pesquisa Imagens Maps Play YouTube Notícias Gmail Drive Mais »
Entrar
Livros Livros
" Ó glória de mandar, ó vã cobiça Desta vaidade a quem chamamos Fama! Ó fraudulento gosto, que se atiça C'uma aura popular, que honra se chama! Que castigo tamanho e que justiça Fazes no peito vão que muito te ama! Que mortes, que perigos, que... "
Camões, Os Lusiadas e a renascença em Portugal - Página 75
por Joaquim Pedro Oliveira Martins - 1891 - 324 páginas
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras de Luis de Camões ...

Luís de Camões - 1779
...que fé atiça Co' húa aura popular , que honra fé chama ! Que caftigo tamanho , e que juíliça Fazes no peito vão que muito te ama ! Que mortes...Que perigos ! Que tormentas ! Que crueldades nelles exprimentas ! . • . XCVI. ^ Dura inquietação da alma , e da vida ; Fonte de defamparos , e adultérios...
Visualização integral - Acerca deste livro

Dr. Martin Luther's sämmtliche Werke: Homiletische und katechetische Schriften

Martin Luther - 1805
...hua aura popular , que honra fe chama ! Que caltigo tamanho , e que jultiça t Faces no peito váo que muito te ama ! Que mortes ! Que perigos ! Que tormentas ! Que crueldades nelles exprimentas ! Dura inquietacaö tía alma, e da vida; Fonte de defamparos, e adulterios; in ber (Srfdjeimmg...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras do grande Luis de Camões ..., Volume 1

Luís de Camões - 1815
...via cobiça Desta vaidade, a quem chamamos fama! Oh frandulento gosto, que se atiça Co' húa anra popular, que honra se chama ! Que castigo tamanho,...Que perigos! Que tormentas! Que crueldades nelles exprimentas ! XC vI. Dura inquietaçaõ da alma, e da vida; Fonte de desampares, e adulterios; Sagaz...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras do grande Luis de Camões ..., Volume 1

Luís de Camões - 1815
...fraudulento gosto, que se atica Co' húa aura popular, que honra se chama! Que castigo tamanho, e que justica Fazes no peito vão que muito te ama! Que mortes! Que perigos! Que tormentas! Que crueldades nelles cxprimcutas! XCvI. Dura inquietacaõ da alma, e da vida; Fonte de desampares, e adulterios; Sagaz consumidora...
Visualização integral - Acerca deste livro

Exame analytico e parallelo do poema Oriente do R. do José Agostinho de ...

Nuno Alvares Pereira Pato Moniz - 1815 - 355 páginas
...! van cobiça Desta vaidade a que chamamos fama! • Oh ! fraudulento , goste que se atiça C'huma aura popular, que honra se chama ! Que castigo tamanho , e que justiça Fazes no peito váo que muito te ama ! . Quê mortes , que perigos , que tormentas , Que crueldades aelles exprimentas...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas, Volumes 1-2

Luís de Camões - 1818
...Oh van cobiça Desta vaidade , a quem chamamos fama ! Oh fraudulento gosto , que se atiça Co'huma aura popular , que honra se chama ! Que castigo tamanho , e que justiça Fazes no peito vaõ que muito te ama ! Que mortes ! Que perigos ! Que tormentas ! Que c rueldades nelles exprimenlas...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas: poema epico

Luís de Camões - 1819 - 420 páginas
...mandar! Oh va"a cobiça Desta vaidade , a quem chamamos fama ! Oh fraudulento gosto, que se atiça C'huma aura popular, que honra se chama! Que castigo tamanho,...que perigos, que tormentas, Que crueldades nelles exprimentas ! xcv. 155 Dura inquietaçao d' alma, e da vida, Fonte de desamparos, e adulterios, Sagaz...
Visualização integral - Acerca deste livro

Portuguese literature

Friedrich Bouterwek - 1823 - 405 páginas
...Co' liunm aura popular, que honra se chama ! Que castigo tamanho, e que justi9a Faces no peito vao que muito te ama ! Que mortes ! Que perigos ! Que tormentas ! Que crueldades nelles exprimentas ! Dura inquietacao da alma, e da vida ; Fonte de desamparos, e adulterios ; Sagaz consumidora...
Visualização integral - Acerca deste livro

O romanceiro portuguez: ou collecção dos romances de historia ..., Parte 1

Ignacio Pizarro de Moraes Sarmento - 1841
...CRUZ. Oh gloria de mandar ! ó vaã cobiça ! Oh fraudulento gosto que se atiça Co'uma gloria popular Que castigo tamanho, e que justiça Fazes no peito...mortes! que perigos! que tormentas! Que crueldades nollas experimentas. OAJI. Lês, CANTO III. N 'um castello edificado Sobre rochedos do mar, Castel...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras completas de Luis de Camões, correctas e emendadas pelo cuidado e ...

Luís de Camões - 1843
...mandar! Oh vãa cobiça Desta vaidade,* a quem chamámos fama! Oh fraudulento gosto, que se atiça C'huma aura popular, que honra se chama! Que castigo tamanho,...que perigos, que tormentas, Que crueldades nelles exprimentas ! XCVI. Dura inquietação d' alma, e da vida. Fonte de desampares e adulterios, Sagaz...
Visualização integral - Acerca deste livro




  1. A minha biblioteca
  2. Ajuda
  3. Pesquisa de livros avançada
  4. Transferir ePub
  5. Transferir PDF