Brasileiras celebres

Capa
Livraria de B.L. Garnier, 1862 - 232 páginas
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
Apresenta biografias de mulheres brasileiras importantes por suas contribuições na literatura, na luta pela independência do Brasil e na vida religiosa.
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 58 - Vendo avançar-se a nau na via undosa, E que a esperança de o alcançar perdiam: Entre as ondas com ânsia furiosa Nadando o esposo pelo mar seguiam, E nem tanta água que flutua vaga O ardor que o peito tem, banhando apaga.
Página 60 - Choraram da Bahia as ninfas belas, Que, nadando, a Moema acompanhavam; E vendo que sem dor navegam delas, À branca praia com furor tornavam: Nem pode o claro herói sem pena ve-las, Com tantas provas que de amor lhe davam; Nem mais lhe lembra o nome de Moema, Sem que ou amante a chore, ou grato gema.
Página 58 - Bárbaro (a bela diz) tigre, e não homem... Porém o tigre por cruel que brame, Acha forças amor, que enfim o domem; Só a ti não domou, por mais que eu te ame: Fúrias, raios, coriscos, que o ar consomem, Como não consumis aquele infame?
Página 65 - Se acaso aqui topares, caminhante, Meu frio corpo já cadáver feito, Leva piedoso com sentido aspeito Esta nova ao esposo aflito, errante . . . Diz-lhe como de ferro penetrante Me viste por fiel cravado o peito, Lacerado, insepulto, e já sujeito O tronco feio ao corvo altivolante: Que...
Página 53 - ... mas em vão, mallograr o meu patriotismo e bons desejos, o estudo da natureza e dos livros no seio da amizade, ea voz da consciência, foram sempre o bálsamo salutifero, que cicatrizam estas feridas do coração, cumpre pois deslembrar-me do passado.
Página 43 - Atlântico; com um sem número de rios caudais e de ribeiras empoladas, que o retalham em todos os sentidos; não há parte alguma do sertão, que não participe mais ou menos do proveito que o mar lhe pode dar para o trato mercantil e para o estabelecimento de grandes pescarias.
Página 42 - Consola-me, igualmente, a lembrança de que, da vossa parte, pagareis a obrigação em que está todo o Portugal para com a sua filha emancipada, que precisa de pôr casa, repartindo com ela das vossas luzes, conselhos e instruções.
Página 53 - É esta, illustres académicos, a derradeira vez, sim a derradeira vez (com pezar o digo), que tenho a honra de ser o historiador de vossas tarefas literárias e patrióticas ; pois é forçoso deixar o antigo, que me adoptou por filho, para ir habitar o novo Portugal, onde nasci.
Página 192 - Não vos deixeis enganar Por amigos, nem amigas, Rapazes e raparigas Não sabem mais que asnear; As conversas e as intrigas Servem de precipitar.

Informação bibliográfica