Os filhos de D. João I

Capa
Imprensa Nacional, 1891 - 471 páginas
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 251 - Que uns tinham as caras baixas e os rostos lavados com lágrimas, olhando uns contra os outros; outros estavam gemendo mui dolorosamente, esguardando a altura dos céus, firmando os olhos em...
Página 345 - Quando os caracteres são, como foram os dos filhos de D. João I, eminentemente accentuados e profundamente differenciados, a galeria torna-se um verdadeiro curso da alma individual nos seus phenomenos mais suggestivos. E quando, finalmente, a pleiade é, como esta foi para nós, a iniciadora da vida nova que tivemos na Renascença, a psychologia historica eleva-se á altura de uma interpretação das causas determinantes do nosso heroismo passado — mais milagroso que muitos milagres perante...
Página 441 - Cur faciem tuam abscondis, et arbitraris me inimicum tuum? Contra folium, quod vento rapitur, ostendis potentiam tuam, et stipulam siccam persequeris: scribis enim contra me amaritudines.
Página 50 - Começando por Ceuta a viagem gloriosa, Portugal iria também atacar o Turco pelo flanco da índia e cravar-lhe no peito um punhal envenenado. Por isso, o momento da tomada de Ceuta não é apenas decisivo para a nossa história particular: é grave para a história geral do Mundo, porque marca o princípio da era das descobertas; é gravíssimo para os factos do duelo europeu com o islamismo, porque, ao mesmo tempo, começava a ser vencido na África setentrional...
Página 54 - o primeiro elo de uma cadeia que havia de apertar e estrangular o império de Marrocos, dando-nos, com a posse dele, o .domínio em toda a África desconhecida...».
Página 244 - Porem vos quero aquy screver como ainda per pungimento de natural influencia, este honrado príncipe se inclinava a estas cousas. E esto he, porque o seo acendente foe Aryes, que he casa de Mars. e he eixaltaçom do sol e seu senhor está em a xj. casa, acompanhado do sol, E porquanto o dicto Mars foe em Aquaryo, que he casa de Saturno, e em casa d'esperança, senificou ( ' ) que este senhor se trabalhasse de conquistas altas e fortes, especyalmente de buscar as cousas que eram cubertas aos outros...
Página 207 - Era propósito que atara em sua alma com firmes nós de muita fé.» Dominado por esta obsessão, pensava em mudar o moto da sua vida Talent de bien faire para a palavra IDA (a ida a África), agregação simbolicamente fatal das iniciais do seu nome Infante Dom Anrique.
Página 244 - ... e secretas, segundo a callydade de Saturno, em cuja casa elle he. E por seer acompanhado do sol , como disse, eo sol seer em casa de Jupiter, senificou todos seus trautos e conquistas seerem lealmente feitas, ea prazer de seu rey e senhor (1).
Página 215 - ... África e Belamarim por tão árdua e dificultosa, que a vós e aos Reis de Espanha todos juntos com vosso poder e postos em um acordo, daria bem que fazer: quanto mais a vós só, que ainda que a conquistásseis não teríeis gente com que a povoásseis e sustivésseis, nem fortalezas em que a defender.
Página 32 - I contou o que dissera a rainha, o condestavel sorriu amoravelmente, e acabando o rei de fallar, depois de uma pausa, disse-lhe: — O que a mim me parece é que este feito não foi achado por vós, nem por nenhuma outra pessoa d'este mundo: somente que foi revelado por Deus1.

Informação bibliográfica