Lições elementares de eloquencia nacional

Capa
Typographia Rollandiana, 1840
1 Crítica
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Páginas seleccionadas

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 284 - Roma edificaram: 127. ó tu, que tens de humano o gesto eo peito, (Se de humano é matar uma donzela Fraca e sem força, só por ter sujeito O coração a quem soube vence-la) A estas criancinhas tem respeito, Pois o não tens à morte escura dela: Mova-te a piedade sua e minha, Pois te não move a culpa que não tinha.
Página 275 - Aqiíelle que depois a fez Rainha, As espadas banhando , e as brancas flores , Que ella dos olhos seus regadas tinha , Se encarniçavam, férvidos e irosos , No futuro castigo não cuidosos.
Página 275 - Mas ela, os olhos, com que o ar serena (Bem como paciente e mansa ovelha), Na mísera mãe postos, que endoudece, Ao duro sacrifício se oferece...
Página 155 - Potestade (disse) sublimada: Que ameaço divino ou que segredo Este clima e este mar nos apresenta, Que mor cousa parece que tormenta?
Página 285 - Entre leões e tigres ; e verei, Se nelles achar posso a piedade, Que entre peitos humanos não achei : Alli co'o amor intrínseco, e vontade Naquelle, por quem mouro, criarei Estas reliquias suas, que aqui viste ; Que refrigerio sejam da mãi triste.
Página 280 - Não só para escutar os vossos votos, Mas para que saibais e fiqueis certos Que a corte não fazeis a um nume ingrato.
Página 147 - ... logo fortificar. Pois, senhor, de que servirá logo tanto trabalho e tanta despesa sem fruto? Não falo dos juros que fidalgos têm vendido, nas joias empenhadas, nas lágrimas das mulheres, na pobreza da gente nobre, na miséria dos que pouco podem.
Página 284 - Ante os pés do cavallo, vê a terra Em profundos abysmos despenhar-se. Mas das potencias recobrando o uso, Que o subito desgosto lhe embargara, Escumando de raiva, entre si disse: «Pois não querem a paz, haverá guerra.
Página 102 - Mas moura em fim nas mãos das brutas gentes ; Que pois eu fui... E nisto , de mimosa, O rosto banha em lagrimas ardentes , Como...
Página 285 - E se, vencendo a Maura resistencia, A morte sabes dar com fogo e ferro, Sabe tambem dar vida com clemencia A quem para perde-la não fez erro.

Informação bibliográfica