Imagens das páginas
PDF
[ocr errors]
[blocks in formation]

que parece tentiam tremer a caía ao fom das fuas difcipliIl3S. 5 Acabada a Congregaçam foram tantos os rogos do Collegio,do Bipo, & da Cidade,4 houve de ficar em Coim

Como o o-
'rigiram
a ficar em

Coimbra.

bra,prègando, & fazendo dou

pegar logo ao outro dia na Sè, 1

cinas da cafa, aonde nenhü dos

trina,como cutumava em Lil. boa. Chegou a Quarefma feguinte de 1598, piegou a primeyra feta feyra naCapella da Vniverfidade; nefe me{mo dia adoeceo, mas nam deyxou de prègar ao Domingo em a nofía Igreja, porque nam batava a força da febre pera vencer hum animo tam valerofo: acabado o fermâm, fe veyo a render ao mal,do qual finalmête morreo, pera que podefemos com ver. dade dizer,que morrèra em feu oficio pregando, & doutrinando. Na doença(que hé a pedra de tôque,em que os Religiofos motram a virtude, que aprendèram tendo faude)motroubé os preciofos quilates de fua ad

miravel virtude: pedio que to-}

dos os dias lhe defem o Sanctifimo Sacramento, que por vezes felhe concedeo:fuas praticas todas eram fempre das

coutas do céo : gatava o dia |

quafitodo em coloquios com Chrito Senhor nofo, & com a Virgem Sanétifima, de quem era devotifimo; & temos por: tradiçam que eta foberana Senhora lhe à pareceo à hora da morte,acompanhando, & ajudando a efte feu grande devoto naquella perigofa occafiam; & num podia deyxar de a ter muy boa, quem em tal tormenta tinha tal e trella. . . . ' " 6 Etando huma vez pera

receber o Sanótifimo Sacra

ImentO,

Como adoeceo em Coimbra.

[ocr errors][ocr errors]

"Pan-TTYETILIT2, o

[merged small][ocr errors][merged small]

|fempre em fua vida pota,como

|ha de caminhar por eta etra|da; quem por outra quizer to

naquella hora mais o cófolava eram duas coufas: primeyrater

em mefa,fua confciencia a feus fuperiores, & que o Senhor que etava prefente o fabia muyto bem: afegunda coufa era nam ter traçado nunca em fua vida o que havia de fazer, deyxando{e fempre governar pela [an: &ta obediencia. Etas duas coufas de tanta confideraçam cõfolavam a ete fervo de Deos; & na verdade nam há caminho

bediencia; quem quer acertar.

mar,como diz Samo Bernardo, neceffariamente ha de errari Tambem lhe era matéria de

alheas,porque fendo afim que foy varâmtam fanéto, & vivêdo tantos annos na Cópanhia, nunca nella foy fuperior, que tambem pôde fervir de alivio aos que viverem defconfolados orp feverem fóra de governos; fendo afim que à hora da morte mais nos ha de confolar a cana da doutrina, que a vara da prelazia. ... , . . o 7 Durou a doença toda aquella fomana, áquinta feyra

mais feguro que o da fancta o| o noviço,fez a doutrina na en

grande confolaçam naquela | hora(como elle diffe)nam ter| | que dar conta a Deos de vidas

[ocr errors]

pedio a fancta Vnçam, que re

imento de pois de fazer a prote-1 ccbeo com grande confolaçam taçam à2 Fè,diffe, que o que:

fua. Foylhe fempre omal carregando com grande malignida

efpertar,& alegrar lhe fallavam

tinham no cubiculo da enfernaria,em que eftava,a fua cana da doutrina, & huma das fuas bondeyras. Huma vez lhe perguntou o Padre Reytor, que era o que defejava de feu goto, & confolaçam,repondeo, q ver a alguns irmãos noviços fazer a fâncta doutrina, o que lhe foy concedido,afim pera alivio feu, como pera exéplo nofo. Veyo

| fermaria,alivioufe, & alegroufe

o enfermo, com eta vita: de |forte que eta era a cithara que

o enlevava,eta a mufica, & me

[merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small]

de: porêm quando o queriam

lodia que o recreava, eta era a |

que hum convidado gota que | tragam á mela mais vezes o |

[ocr errors]

na fanéia doutrina;pera ifo lhe falandolhe

na /antià doutrina,

[ocr errors][ocr errors][ocr errors][merged small]

eta iguaria, & quem mais|h.

• repetia

[ocr errors][ocr errors]
[blocks in formation]

infigne general, ete o habito d'aquelle commédador do cêo; como fe atè depois de morto, do modo que pudefe, nos quizefe da fepultura fazer a doutrina; parecendolhe que entam defcanfariam melhor feus ofos,quando entre as cinzas de feu corpo,femiturafem as reliquias da fua cana. * " " 8. Veyo finalméte a morrer eftegrande fervo de Deos, ao feteno de fua enfermidade, á húa hôra depois do meyo dia, em o ultimo de Fevereyro de 1598. com grande paz de fua àlma, & com tal fembrante, & exterior compofiçam, que fe

| duvidou por bom efpaço deté.

po feetava morto, que na ver

dava nos quarenta annos, que |

turados os que morrem em o Senhor,porque tal morte he penhor certo de melhor vida; era de quafi Zo.anhos de idade, tinha da Companhia 51.Temos entre nòs por tradiçam, que o diabo à hora da morte o quiz perturbar, como fez a outros grandes Sanctos: porêm pela me{ma tradiçam nos conta,po caufa da nôva alegria, & outros

dade por ifo a voz do céo no "Apocalypte o chama bemaven

[ocr errors]
[ocr errors]

notaveis finaes, que nelle viram,que naquella me{ma hora o confolou o Senhor com vifitas celetiaes, querendo em tal occafiam animar, a quem em tantas tambem fervio a tambõ Senhor,que veyo acompanhar

com Anjos, a quem doutrinou innocentes.

que o tinham morto,foy tratordinario o fentimento, chorando todos a perda incomparavel de hum varâmtam proveytofo: & etas lagrimas ferenovaram,

uando hindo pera o amortalhar,lhe acháram o corpo todo duro,& denegrido, comofe por toda a vida andara á torreyra do Sol; por todas as partes lhe apareciam grãdes finaes de chagas,& nodoas das difciplinas, q a todo o corpo abrangiam, porque havia vinte annos, que todos os dias fe difciplinava com grande rigor: & na cintura fe

via claraméte o final que tinha

[ocr errors][ocr errors]

9 Quando fe refolvèram, |

De fua grãde mor tificaçam.

---- |

[ocr errors][ocr errors][ocr errors]
[merged small][merged small][merged small][ocr errors]

ParteRE: - T quarto. C7. TIII 241

deyxado o cilício, que afim e

fabia cingir,& apertar, confor-
me o confelho do o Evangelho,
ete fiel,& verdadeyro fervo do
Senhor; & entam fe defcubrio

|humfegredo que tinha confia

do do Irmam,a que chamamos:
em Coimbra o mandador da

|gente,a quem pedio lhe defe a
| chave de húa cafinha muy ef-

cufa,que etava no corredor da

terra,aonde fe hia todos os dias,
difciplinar rigorofifimamente; •• · · ·
- - . . . . Refere{ê o que focedeo depois
mulaçam,& em tempos em que |||}}, ... , A - + * * ,
lhe faltafiem tetimunhas, por-

fazendo ito com grande diffi

que tratava de bufcar a mor-
tificaçam, & de fugir da hon-
ra • - • •

[blocks in formation]

|pregadas difciplinas, pois tanto,

tédèram,que fizeram 4 o P.M.
Ignacio fofehúa imagem viva
do mefmo Chrito chagado;bé

fe podia cóprarácuta de finaes |
tam penofos, repréfentaçam de |

chagas tam preciofas, & né por

fahirtam chagado,era menos ef-
• • | a nóva da morte do P. M. Igna-
valéte neta peleyja do epirito

forçado: antes nam feria tam

[ocr errors]
[blocks in formation]

da mortedo Padre M.Ignacio
Martins,ção teffimunho, que
deu o Reytorda Viverfidade
de Coimbra,& do grande fêm-
timento,que houve em todo
o Reyno, com fia
falta.

# Epois, que entre | ## tãtas lagrimas,foy

45 amortalhado o bê*aventurado corpo, o levâram à Capella do Collegio de Coimbra, 4 he húa peça grande,que fica dentro de cafa, & ally em hum lugar alto, muyto bem alcatifado,foy pofto revetido em ornamentos Sacerdotaes muyto ricos. Tanto que na Cidade fe divulgou

[blocks in formation]
[ocr errors]

-----——

r=

| "... = "...--- --- ---.......... ................... ********-*--*-******* - ---

X gente

[graphic]
[graphic]
[graphic]
[ocr errors]

2.E Criada Companhad Iguan Fonogal

gente. Acudiram logo ao Collegio todas as pefloas graves |da cidade, pera lhe venerarem o corpo morto, pois já o nam podiam lograr vivo, veyo o Bif. po Dom Afonfo de Catello|branco, Prelado tam celebrado |nette Reyno; veyo o fenhor D. |Alexandre,filho da fenhora D. Catherina, veyo o Reytor da Vniverfidade AffófoFurtado de Mendoça (de qué logo falarey) |& com ele a Vniverfidade toda o fem haver quem pudefe | |refitir à grande multidam de gente, que entrava no Collegio, & na Capella, a lhe beyjar as mios, & os pés, & alhetomar alguma reliquia; choran-| | do todos a perda de varàm tam}; fonéto, renovando(e neta occafiam aquelle gêral pranto, & univerfilfentimento, que COmo conta Samo Gregorio Nazianzeno, houve na morte, & | g- no enterro de feu mayor amigo Sam Bafilio Magno. * 2 Daqui com huma grane procifam,em que hiam mais de trezentos lumes, foy levado {á Igreja,pera fer fepultado, mas foy tam notavel o concurfo da gente, & o pezo do povo, que carregava cada vez mais a reverenciar o corpo, & a lhe tomar. alguma reliquia, que nam foy pofível podello enterrar de dia. Pera defenganarmos a gente |que nam havia de fer aquelle dia mandado à terra, & pera

[ocr errors]
[ocr errors]

|curto de gente;renovandofelhe

[blocks in formation]

InchtO. , dio ao Collegio o me{mo con

as lágrimas pelo acharem jà en

| terrado,contentandofe com lhe

beyjar à côva, os que lhe vi

|nham à reverenciar o corpo. Foy em fim tam trafordinario

ete concurto a ver, & reverenciar o corpo do Padre Metre Ignacio,foy tam notavel o fentimento da gente neta morte,

]] que procuraram os Padres,pera | memoria dos vindouros, feto

mafiem tetimunhos autenticos, do q neta morte focedeo, & afim fe pediram, & federam pelo Bipo de Coimbra D. Affonto de Catellobranco, pelo fenhor Dom Alexandre (que

entametudava, & honrava aquella Vniverfidade)pelos Co

negos,Inquifidores,& mais pel

temos contado, cujos tetimu

nhos autenticos, efiam jütos no - - . - cartorio

nos deyxarem, & (e hirem pe

porque os outros hiam quafi |

te,& com as portas fechadas, fe

[ocr errors]

Logó antemanham acu

oas graves,que affitiam ao que

« AnteriorContinuar »