Imagens das páginas
PDF

izado de Apollo, porque junto. detas,& á fua vita fe tem criado infignes Poetas na lingoa Latina, q podiam fazer enveja

esta pro aos que fe prefávam, como de

alguns dizia o outro b de ter fonhado júto da fóte dos dous cabeços de Parnaffo. Fica ete |grãde pateo tam apparatofo á vita, tam engraçado na architectura,tam magetofo na fortaleza da obra, q pôde fazer enveja às melhores, & às mais |reaes obras de toda Hepanha. | 1o E porque jà nam po|dia fazer huns corredores, ou dormitorios que pude[sé igoa|lar, ou ao menos competir com los de Coimbra (por fenam ha|verem de desfazer os que já ti|nha també accomodados)man|dou levantar de novo hum lan|ço de corredor(continuando có o que etava feyto pela parte do Norte) a que hoje chamamos a galaria do Cardeal, que verdadeyramente bem motra |feu autor, & he oftentaçam digna de fua grandeza. Tem | oyto cubiculos muy fermofos da parte do Norte, & com janellas ragadas pera a outra parte,com muy larga, & aprazivel vita:he obra Romana, & tam fumptuofa, que nam sòmente igoala outra tamanha do Colilegio de Coimbra,mas tambem } lhe leva muy conhecida ventagem. Por bayxo no fegundo andar deta fermofa gallaria, vav

o refeytorio, que he huma valente peça, com colunas pelo meyo de marmore luftrado, & de tamperfeyto polimento,que parecem finifimos alabatros: tem cada huma de alto defafete palmos & meyo, cõ bazes,&

capiteis.té de groflofete & me

[ocr errors]

arcos que nellas defcantam, pi

lares de cantaria,com fuas cornijas,em que elles affentam: de

forte que de cada coluna nacé|

quatro arcos, que igoalmente afeguram a obra,& contentam à vita: abremfe pelos dous lados deta grande,& fermofa falla, defafeys janellas, oyto por banda,& duas no topo: o tecto he de etuque, & o mais ornato

da cafa muy aparatofo, de ma

neyra,que pôde competir, com

[ocr errors]

torio.

as melhores peças que ha no Reyno todo. 11 Tambem acudio logo ete benignifimo fundador a fazer cafa 6 fervifle de noviciado,a qual faz por fy outro Collegio; &té no andar de bayxo vinte cubiculos, outros tantos por fima; entrando nete numero as capellas; eta obra he feyta em quàdro, & no meyo da clautra tem fua fonte feyta de marmore com fua taça, & tan. que do me{mo. Em huma das capellas fe venera huma excelente pintura de nofa Sé. nhora do Populo, & por outro

Galaria da
Cardea/,

»go. Nec }
1 bicipiti

omniafe 'atnaílo renini.

\

Cafa do

noviciado

nome Sancta Maria a Mayor,

tirada

[graphic]
[ocr errors][merged small][ocr errors][ocr errors][ocr errors]

Parte fogunda. Livro quinto. Cap. XXII. 357

• tirada pela que pintou Sam Lu

cas,que foy doaçam do infigne varám Ignacio de Azevedo,pinrada por hum dos feus ditofos companheyros, como "difemos. Tem todo o Collegio grande

|devaçam a ete paynel, & os | noviços reconhecem a eta Se

nhora por mãy, prezandofe

|mnyto de fe criarem à fombra

de Senhora tam milagrofa. He ete fitio muy accommodado pera criaçam de noviços, porque ficam quafi (eparados, com etarem recolhidos no mefmo Collegio. * . * * * * 9 Depois fe acrecentáram muyto todas etas obras do Collegio, com o corredor da portaria, que edificou o Padre

Chriftovam de Gouvea; com a | fancritia nova,que fez o Padre | Pero Novaes,com hum fermo

[ocr errors]

fo lanço de dormitorio á fé fez

[blocks in formation]

fobre as clafes da parte do naf | cente, fendo Reytor o Padre | Ieronymo Dias, ao qual també | (e deve a fonte,que età na ca

duvida parece a melhor peça, 4] nete gênero ha no Reyno to

fempre rindo, ou em lugar do rizo perêne, lançam agoa pe. rennante,a qual ally vem da fõ. te da agoa da prata, merecendo eta obra o nome de obra de ouro:que eu agora deyxo com as mais, pera fedefcreverem a feu tempo. ro També agora ha pou. cos annos acrecentou muyto o edificio o Padre Antonio de Souza Reytor daquelle Colle. gio, q nelle morreo fendo Pro vincial;entre as quaes,as principaes foram a livraria que etav. começada,& acabou com toda a grandeza, & perfeyçam; . capella dos irmãos, que acrecé tou,& ornou; o retabolo do altar môr,feyto pela traça do de

[blocks in formation]

| bem engraçados, que ou etam

[ocr errors][merged small][merged small]

Sam Roque, que defcrivi no |

[ocr errors]
[ocr errors]

| nostinha,porque todo eteCo!cuito 16 palmos. Brota eta|

- -

Selno tempo do inverno, com fontes muy curiofas no meyo detas clautras, cõ cercas muy grandiofas, com ortas, com laranjaes,& com grande variedade de arvores; & he finalmente tal toda eta magnifica obra, % com rezám quadra bem a ete real Collegio o nome de filho primogenito de hum Infante, que teve as licenças de Legado |fupremo, & os poderes de Rey foberano.

C A PITV L O XXIII.

|Referemfi algumas particu|laridades do Collegio de Evora,ê5 das grandezas,85 pri| vilegios daquela Vii. verfidade.

&####5 vora,temos a Vni$#### verfidade erigida, &jà vizitada por feu real fun|dador, bem he que digamos al

guma coufa das grandezas do Collegio, & dos privilegios da Vniverfidade, pera que à vita de huma,& outra confa, fe veja a grandeza, & liberalidade do animo do fundador. Primeyramente os fogeytos, que no | Collegio de Evora fe fuftentam ordinariamente , fam cento & quarenta, atè cento & fincoen

ta, pera o que tem groflas remdas,todas dadas por feu real fúdador. Os Metres de Theologia fam quatro, tres enfinam Theologia Efcholatica, & hú explica a fagrada Efcritura. Té mais dous metres,á lem Theo.

1 $###### Emos jà fundado # o Collegio de E

logia moral. Quatro que lem Curfos de Artes. Dous metres de Rhetorica. Dous de Humanidade, & quatro de Gramati ca; com mais dous de efchola, hú de ler, & outro de efcrever, com fubtitutos neceffarios,pe. ra acudirem ás faltas que pôde haver enfre anno. Tem mais hum Cancellario, que neceffariamentchade fer Doutor em Theologia, & cutuma fempre fer pefoa grave, & de authori

Theologia epiculativa, & o q

dade, porque he o fuperior da

[ocr errors][ocr errors][merged small]

da os graos aos que os tomam na Vniverfidade.

2 Tem mais hum Prefey.

efcholas,& tem fuperentenden. cia nas Artes,& mais claffes inferiores da Rhetorica, Humani

hum Padre que he Secretario

va à Companhia o governo da Vniverfidade, ordenou que o Reytor do nofo Collegio de Evora fofle juntamente o Reytor da Vniverfidade, & tem to

[ocr errors]

to,a quem toca o governo das

dade,& Grãmatica. Tem mais

da Vniverfidade. E como etel Serenifsimo Princepe entrega

[ocr errors]

da a jurifdiçam efpiritual do or

[ocr errors][merged small]

o Reytor do Colle |

[ocr errors]

eximi

dade.

[ocr errors][ocr errors]

Parte/gunda. Livro qunta Cap. XXIII, 359

exemiram os Summos Pontifi- | ces, a requeriméto do Cardeal, & Roy Dom Henrique,& tref> paísàram toda eta jurifdiçam pera o Padre Gèral da Companhia,pera o Provincial, Reytor, & mais Religiofos,em tudo o q nam repugnaffe a nofas contituiçoens(como conta da Bulla do Papa Pio Quinto, paflada no anno de 1 568.da qual adiãte faremos mençam) de tal maneyra que nem os Arcebipos detaCidade,né feus officiaes,& outros minitros té algüa jurifdiçam, ou fuperioridade fobre a Vniverfidade,ou fobre feus of

[blocks in formation]

Ecclefiatica por hum Cófervador Ecclefiatico, pera o qual officio elege, & nomea o Reytor(conforme a Bulla do Papa Sixto Quinto, paflada no anno de 1586 como apontaremos adiante)a qualquer pefoa confo tituida em dignidade,ainda que teja regular,porque pera iteté párticular breve da Sè Apotolica,o qual Cófervador conhese de todas as caufas, afim civis,como criminaes dos Clerigos de ordens Sacras, & de todos os mais que gozam do foro Ecclefiaftico, ou demandé co

[blocks in formation]

| de propriedade peloseftatutos, Exercitafe eta jurifdiçam |

he fempre o Corregedor da Comarca,como conta do Alvarà pafado por elRey Dom Sebaf. tiam em 6 de Dezembro de 1566.à intancia do Serenifi

mo Cardeal Infante. E faltan

do ete, ou tendo algum outro legitimo impedimento, pôde o Reytor, ouvidos feus cõfelheyros,eleger por Confervador ao Iuiz de fóra da me{ma Cidade, ou ao Provedor,ou ao luiz dos orfãos,&sò com fua nomeaçam, fem mais confirmaçàom real,podem etes eleytos adminitrar o

dito officio. E a ete Confervador pertencem todas as caufas

[blocks in formation]

confervador Eccle: fafico da }'ni verfi

dade.

Confervador /ecu

lar.

dos

• •

[ocr errors][ocr errors]

obrigou de primeyro tomar juramento dos famétos Evangelhos no cófelho da dita Vniverfidade,em que fe obriga de fervir bem,& direytamente feu officio. De tudo fe pafou hum Alvará em 23 de Outubro do anno de 1 559. verial, , 5. E pera bom ferviço; & yrinho | • • • • #.... adminitraçam da jutiça detes fidade. Confervadores, tem o me{mo Reytor poder pera nomear, & eleger hum meyrinho da me{|ma Vniverfidade, o qual nam sòmente exercita ete officio em tudo o tocante á Vniverfi|dade,& feus etudantes, & mais privilegiados,ou fejam clerigos, ou feculares, mas he tambem rneyrinho de toda a cidade, & por ifo he a melhor vara, & de mayor proveyto, a qual nam sòmente he data do Reytor, mas havendo caufa legitima o pôde fufpender, & prover no officio a quem lhe parecer. He tambem data do me{mo Rey|tor,depois de ouvidos feus confolheyros,o provimento dos ef. crivaens das duas confervato

officios da cidade.

... . 6 E no anno de 1 577.cõ#### cedeo o me{mo Rey hum no. #.... tavel privilegio neta materia da jurdiçam dos Confervado. res,que foy nomear hum Dezembargador do Paço, que fof.

Chronica da Companhia de lef,em Portugal.

*** feculares: &

[ocr errors]

fe Iuiz privativo das appellaçoens,& agravos, que fe tiraí é do Confervador em materia de jurifdiçam,ou de privilegios| dos officiaes, eftudantes, ou familiares,& pefoas della,o qual, Dezembargador do Paço,com outro da cafa da Supplicaçam,

rias, afim ecclefiatica, como fecular, que fam os melhores

ou do civel, qual elle efcolhef fe,determinaria as ditas appel| laçoensou agravos, como fofo jutiça, em diffo (e poder mais appellarou agravar; & logo o primeyro Iuiz nomeado foy e infigne Doutor Pero Barboza. 7 Tambem fe concedeo à Vniverfidade de Evora o privilegio de ter cada fomana às terças feyras huma feyra franca, izenta de cizas,&outros quaef> quer direytos; foy pafado em +Lisboa em 12.de Setembro de 1 561, • 8 Nam fe contentava ete|, ... Serenifimo Princepe com etas 4/*# M graças,& privilegios que nos al- todos os ! cançou, porque nam deyxava privilegios

vorecer,& acrecétar a fua Vniverfidade, afim no eípiritual, como no temporal: no anno de 1562.fez dar à fua Vniverfidade todos os privilegios, liberdadesgraças,franquezas, & izen | çoés da Vniverfidade de Coimbra, & do nofo Collegio de I E SV da me{ma cidade,o que tudo lhe concedeo elRey foi huma provifam, afinada pela

bra.

Rainha D. Catherina, pafia da

[ocr errors]
[ocr errors]

dores.

« AnteriorContinuar »