Imagens das páginas
PDF
ePub

Sol no tempo do inverno, com ta , pera o que tem grossas renfontes muy curiosas no meyodas, todas dadas por leu real lū

Quantos destas claustras, cõ cercas muy || dador. Os Mestres de Theolo- Ileum es grandiosas, com ortas, com la-gia fam quatro, tres enfinanı nefires de ranjaes,& com grande varieda- || Theologia Escholastica, & hũ Theologia de de arvores; & he finalmente explica a sagrada Escritura. Te cm Ezora. tal toda esta magnifica obra, á mais dous mestres,g lem Theo

com rezám quadra bem a este logia moral. Quatro que lem real Collegio o nome de filho Cursos de Artes. Dous mestres primogenito de hum Infante, de Rhetorica. Dous de Humaque teve as licenças de Legado nidade, & quatro de Gramati fupremo, & os poderes de Rey ca; com mais dous de elchola, soberano.

hū de ler, & outro de escrever,

com substitutos necesarios, p2 CAPITVLO XXIII.

ra acudirem ás faltas que pode Tem hum

haver entre anno. Tem mais Cūceltario. Referemse algumas particu- l hum Cancellario, que necellalaridades do Collegio de Evo- riamente hade fer Doutor em

Theologia, & cultuma sempre ra,& das grandezas,& pri- fer pelloa grave , & de authorivilegios daquella Vni dade, porque he ofuperior da versidade. Theologia espiculativa , & og

da os graos aos que os tomam

na Vniversidade Emos jà fundado

2 Tem mais hum Prefey. Prefeyto o Collegio de E

to,a quem toca, o governo das dos eflu. vora,temos a Vni- ||escholas,& tem fuperentenden dos.

versidade erigida, | cia nas Artes,& mais claffes in&jà vizitada por seu real fun- || feriores da Rhetorica, Humani dador; bem he que digamos al- ||dade,& Grāmatica. Tem mais guina cousa das grandezas do hum Padre que he Secrctario Collegio, & dos privilegios da da Vniversidade. E como este Vniversidade, pera que à vista Serenissimo Princepe entregade huma,& outra cousa , se vejava à Companhia o governo da a grandeza, & liberalidade do Vniversidade; ordenou que o animo do fundador. Primey-Reytor do nosso Collegio de ramente os fogeytos, que no

Evora folie juntamente o Rey-gio he . Collegio de Evora se luftentam tor da Vniversidade, & tem to-ramente ordinariamente , sam cento & da a jurisdiçam espiritual do or- Reytor da quarenta, atè cento & sincoen.'1 dinario,de qué a izentàram,&

Vniversi

1

Reytor do Colle

dede.

Reytor da

de izegain

&

exemiram os Summos Pontifi mo autores,ou sejam requeridos
ces, a requerimēto do Cardeal, como reos,& anda este officio
& Ray Dom Henrique, & trel tam authorizado, que tal vez
passàram toda esta jurisdiçam | lucede ser Cõservador da Vni-
pera o Padre Geral da Compa- | |versidade o Bispo de Anel do
nhia,pera o Provincial, Reytor, || Arcebispado.

Poderès do
& mais Religiosos,em tudo og 4 Alem desta jurifdicam,
nam repugnasse a nossas consti-

& poder Ecclesiastico, tem o vniversituiçoens(como consta da Bulla Reytor da Vniversidade toda a dade. do Papa Pio Quinto, paslada jurisdiçam lecular, que os lepo'anno de 1568.da quat adiā nhores Reys de Portugal lhe te faremos mençam), de tal ma concedèram privativamére, em

neyra que nem os Arcebispos tudo o cocante ao Coll.gió,& Privilegio deitaCidade, né seus officiaes,& Vniversidade, que pertence ao

outros ministros té algũa jurisdi-| foro secular , a qual jurisdiçam
çain, ou superioridade sobre a

exercitam pormuycos officiaes,
Vniversidade, ou sobre seus of que lam todos da eleyçam,
ficiaes,estudantes, & privilegia- nomeaçam do dito Reytor, que
Jos,como nem lobre suas izen pera isso tem obrigaçam de ou-
çoens,liberdades, estatutos , & vir primeyro seus conselheyros.
privilegios, porque de tudo the Exercica esta justiça hum Con-
concedeo a Sé Apostolica ple servador secular

que té, o qual naria,& liberal izençam. de propriedade pellos estatutos,

3 Exercitale esta jurisdiçamhe sempre o Corregedor daCoEcclesiastica por hum Cõserva marca,como consta do Alvarà

.
der Eccle: dor Ecclesiastico, pera o qual pasado por el Rey Dom Sebal-
Jiafiico da officio elege,& nomea o Rey tiam em 6. de Dezembro de
Vniversi- tor(conforme a Bulla do Papa. 1566.à instancia do Serenissi-
dade.

Şixto Quinto, passada no anno mo Cardeal In fante. E faltan-Conserva-
de 1586.como apontaremos a do este, ou tendo algom outro lar.
diante a qualquer pefloa con legitimo impedimento, pode o
tituida em dignidade, ainda que Reytor, ouvidos seus colelhey-
leja regular, porque pera isto tē ros,eleger por Conservador ao
particular breve da Śè Apofto- luiz de fóra da mesma Cidade,
lica, o qual Cõservador conhe ou ao Provedor,ou ao luiz dos
ce de todas as causas , affiin ci.

ortãos,&com sua nomeaçam,
ris,ci mo criminaes dos Cleri- lem mais confirmaçàm real, po-

de ordens Sacras, & de to Jem estes eleytos administrar o dos os mais que gozam do foro | dico officio. É a este ConservaEcclefiaftico, ou demandé co dor pertencem todas as causas

dos

dor secu

gos

lle

OU

dus estudantus feculares : & té se luiz privativo das appella-
obrigaçan de primeyro tomarçoens,& agravos, que le tiralsē
jura nento dos lanctos Evan do Conservador em materia
gelhos no cõlelho da dita Vni de jurisdiçam, ou de privilegios
verlidade, em que se obriga de

se obriga de dos officiaes, estudantes, fa-
servir bem,& direytamente seu miliares,& pessoas della,o qual
officio. De cudo se passou hum Dezembargador do Paço,com

Alvará ein 2 3. de Outubro do outro da casa da Supplicaçam,
anno de 1559.

ou do civel, qual elle escolhet
s E pera bom serviço , & se,determinaria as dicas appel-
Meyrinho
davniver. administraçam da justiça destes laçoens,ou agravos, como fufle
lidade. Conservadores, tem o mesmo justiça, sem diflo le poder mais

Reytor poder pera nomear , & appellar,ou agravar ; & logo o
cleger hum meyrinho da mef- primeyro luiz nomeado foy -
ma Vniversidade, o qual nam insigne Doutor Pero Barboza.
soinente exercita este officio 7 Tambem se concedeo à
en tudo o tocante á Vniversi Vniversidade de Evora o privi-
dade, & seus estulantes, & mais legio de ter cada fomana às ter-
priviligiados, ou sejam clerigos, ças feyras huma feyra franca,
ou leculares, mas he tambem izenta de cizas,& outros quaef-
meyrinho de toda a cidade, & quer direytos ; foy passado em
por isso he a melhor vara, & de Lisboa em 12.de Setembro de
mayor proveyto, a qual nam 1961,
sòmente he data do Reytori, 8. Nam fe contentava efte
mas havendo caufa legitima o Serenissimo Princepe com estas Vuiver.
po de fuspender , & prover no graças,& privilegios que nos al- todos os
officio a quem lhe parecer. He cançou , porque nam deyxava privilegios
tambem data do mesmo Rey. passar oci aliam alguma de fa- que tem a

de Coim-
tör,depois de ouvidos seus con. vorecer, & acrecētar a sua Vni-

bra.
selheyros,o provimento dos es versidade , affim no elpiritual,
crivaens das duas conservato como no temporal: no anno de
rias, aslım ecclesiastica, como 1562.fez dar à lua Vniversida-
lecular, que sam os melhores de todos os privilegios, liberda-
officios da cidade.

des,graças; franquezas, & izcn.
6 Eno anno de 1577.co. çoēs da Vniversidade de Coim-
Privilegio cedeo o melmo Rey hum no bra, & do noslo Collegio de
acerca dos
Conserva.

tavel privilegio nesta materia IES. V da nelma cidade, o que dores. da jurdiçam dos Conservado

tudo lhe concedco el Rey poi res,que foy nomear huin De huma provisam, affnada pela zeinbargad ir do Paço, que fof. Rainha D. Catherina , pasta da

[ocr errors]
[merged small][ocr errors]

1 1.3.10 de IESU della,de qualquer forre, Parte segunda. Livro quinto. Cap. XXIII. 361 em 4. de Abril no dito anno liberdades, & izençoēs,que ham,

de 1562. & depois por huma tem, & de que gozam, oy uzamo postila assinada

por elRey Dom Reycor,Lentes, Deputados, ConselheySebastiam a 27. de lulho de os,officiaes, estudantes matricula1573. passada em Evora . E dos da Universidade da cidade de porque das palavras da conces

Coimbra peras, pera seus criados, sam se colhe bem a grande von & familiares,pelas cartas

, & provicade que el Rey tinha de fazer | Joens,que pera iflo tem del Rey Dom merces,& dar gosto a este Sere

Manoel meu visavó, & delkey meu nilsi.no Princepe seu tio , as senhor,& avó, que sãča gloria hajam, quero logo aqui lançar

O minhas

. Dos quaes privilegios,

liberdades afsım gozaràm, uzaPARTE DA PRO

rám em quanto nam forem contra os
estatutos

feyros, & por fazer da dira visam real,pela qual el-Universidade de Evora. E mando a Rey Dom Sebastiam todos os meus Dezembargadores

, Corconcede à Vniversida- 1 regedores

, &c. que mostrando o dito

Reytor, Lenees, Depurados, y Consede de Evora os privile- llegros.officraes,etudantes da dita gios da Vniversida

Vniversidade,por

sy o por seus pro

curadores o treslado autentico das carde de Coim

tas,& provisoés dos privilegios , que bra.

assim a dira Universidade de Coim

bra,os deyxem delles uzar, gozar, Om Sebaftiam , por lhes cumpram,& goardem,& fagraça de Deos, Rey çam inteyramente coprir, & goardar, de Portugal,@sc.Ea como se foram concedidas , orerga

ço saber aos que esta das á dicaUniversidade d'Evora,ėsc. minha carta virem, que por mo pedir.

E na Postila diz aslim. o Cardeal. Infance Dom Henrique

E por quanto minha rençam he, e da provi

Na Postila men muyto amado , & prezado tio, foy sempre que todos os privilegios, lihey por bem, & me praz de fazer | berdades;graças franquezas, izen- cede o mel mercé ao Reyror, Lentes

, Depurados, || çoēs, que por qualquer via fam conce- mo. of Comfeiheyros,officiaes , & estudan didas, os ao diante se concederem á

tes matriculados da Universidade da Vniversidade de Coimbra,e ao Collefundou, & dotou , qne elles tenham, Öy calidade que sejam, assim da justibijam,gozem, uzem daqui em diante

ça,como da fazenda,cizas,imposiçoens, bora ly& pera seus criados , & fa-l aposentadorias , direyros reaes, o miliares, de todos os privilegios,graças,

quaesquer outros,pofto que sejam raes,
Hh

que

9

IO

sám con

gum

que , conforme minhas Ordenaçoens, | privilegios que nos concediam:
je howesse de fazer expresa mençam

& como estes da real Vniver-
de cada hum'aelles, & da substancia

fidade de Coimbra sam tam
delles, © cumpram, & goardem á di- amplos, tambem 'o ficam sen.
taUniversidade,& Collegio do Espirito do os desta Vniversidade de
Sancto de Evora, assim, o tam cum Evora , à qual nam sò defen-
prida,inteyramente, como se cada de o poder Pontifical,mas tam-
hum delles The foße particularmente bem empara o braço real.
concedido. E declaro assim, & sene-
cesario he de nóvo lhe faço mercè de
The conceder cada hum dos diros privi CAPITVLO XXIIII.
legins,graças, & franquezas em par-
ucular; nam por via de communica-| Dos mais officios que ha nef-
çam, senam que á dita Vniversida-

ta Vniversidade, & de outros
de, & Collegio do Espirito Sanéto os
concedo todos na maneyra que dito he; poderes, &preeminencias que
O hey por

bem

que

Tudo o que for tem o Padre Reytor d'a-
contra os datos privilegios , ou cada al-
delles , nam tenha força , 014 yi-

quelle Collegio

, &
gor , fe especialmente. Senam fizer men. Vniversida-
çam desta provifám, ö do

de.
particular se quizer derogar della, &
dos diros privilegios, fem embargo da
Ordenaçam do livro segundo, titulo

Ois entramos ne-
quarenta @ nove,que difpoem que se-

stä materia, nam nam entende fer derigada por mim

quero fahir della ordenaçam alguma fe da fubftancia

sem dar plenaria della nam fizer expressa mencam, noticia dos muytos poderes, Ofc.

dignidades ; & preeminencias

, 11 Deyxo outras muytas que este liberalissimo Princeconceffoens particulares, que pe concedeo , & alcançou pe

na dita carta , & poftilla fe ef ra o seu Reytor, da Vniversiprovisam pecificam : & parece que era

dade de Evora: mas primeyro muytos tanto o amor com que este apontarey os mais officiaes, que privile: Princepe nos solicitava os favo o Reytor elcolhe , & prove, gios.

res , & com que o Rey os con pera governo , & serviço da Enquere. .
cedia , que nam achavam pa Vniversidade, a qual tem mais
lavras bastantes pera mostrar hum Enqueredor, que nas in-
quanto defejavam que se nos quiriçoens das conservatorias
goardassem estas" mercès , & inquire , & pergunta - as-te-

que

[ocr errors]

I

Contema

outros

dor.

« AnteriorContinuar »