Imagens das páginas
PDF
[merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][ocr errors][merged small][ocr errors][ocr errors][merged small][merged small][merged small]

very*>

que fez fendo Governador detes Reynos, que apontamos no feu memorial) na cidade de Evora (na qual habitou muytos annos, afim quando nella etava a Corte, como porque nella duas vezes foy Arcebif po) deo grandes demontraçoens, deta fua boa inclinaçam, como fe vê nos muytos edificios que nella fez, como

foy o real Collegio da Compa

• + • nhia, com o da Purificaçam, a Vniverfidade, o mofeyro

de Sanóto Antonio em Evora, & o de Valverde, ambos da |

[ocr errors][ocr errors][ocr errors]

Provincia da Piedade,as fontes de marmore da agoa da prata, & porta nóva, o moteyro do

Calvario, que por feu repeyto ally mandou fazer a Infante Dona Maria fua irmã: as | quaes obras todas fe fizeram por fua traça: tambem fez as | cadeyras do coro, & orgãos da Sé, com outras peças, que fervem muyto no culto divino.

Alem do Collegio de Sancto Antâm em Lisboa, & das obras

[ocr errors]

teyro d'Arrabida junto a Alco

[ocr errors]

em Almeyrim. E entre as mais

| notaveis obras q fez, húa delas foy 4 refez os muros de Maza

gam, q ficâram arrazados cõ o memoravel cerco do Xarife, &

os retaurou detal forte,4fenam

Mm 2 podem

Obrasgrãdio/as que

[ocr errors]
[graphic]
[ocr errors][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors]

|falhado do Princepe,em quebé

motrava a cófiança de fenhor,

vernança,fem perder nada, ganhava muyto(que os Princepes tem privilegios pera fazer mer

vos lançam.) Tinha tambem grande acatamento, & reverencia a elReyDom Sebatiam feu fobrinho,ainda quando era minino, etando fempre desbarretado diante delle,pera dar exêplo aos grandes do Reyno, & a feus vafallos. Foy fempre puriffimo em fua vida, & catifi

[ocr errors]
[ocr errors]

gitrado da cidade, fazendo1
| porque fetinha por depenfey-

| ecclefiaticos que pofuia, nem

| alguns Princepes fazem) aos | quaes dam tudo, deyxando ou

• |nha antiga do diabo, que tudo &a benignidade de pay. E com | eta honra que fazia aos da go

cès (ó com hús bons ólhos que | • +- - - - -
| defconfolado, porque a todos
dizia, quando dava algüa cou-

mo em feus cutumes: & por hum cafo, que delle conta o nofo Padre o Antonio de Vafconcellos, femelhante ao que focedeo a San&to Thomás,com rezàm diz que afim como a efte glorioío Sanóto chamamos o Doutor Angelico, afim a efte efclarecido Rey, podemos chamar Princepe Angelico, pois entre as delicias de grande foube etimar as purezas de

3 Foy fempre muy liberal, &amigo de fazer bem, poto que no fazer das mercês mais dava a muytos, que a hum fó,

ro,&nam por fenhor dos bens

b In vitaReg. Henrici fol. 336.

De fua li: beralidade

fe entregava a privados (como

tros cõ nada, que ito he já ma

juntamente oferecia a Chrito no deferto,o &he erro manifeto, por contentar a hum def. confolar a muytos; & d'aqui vinha que a todos acudia, & ninguem fe levantava de feus pés

fa,que ele fe lembraria adiante de lhe fazer mercè; de forte que nam sò dava de prefente, mas tambem animava com ef

[ocr errors][merged small][ocr errors]
[merged small][merged small][ocr errors]

_Parte figuda. Livro quuuu. Cap. XXXV. 4 I 3

lofo de acudir a todos os pobres da terra; & pera ito ti. nha efmoleres de muyta confiança, que tinham feyto li.

vro de todas as pefoas neceffitadas, em que entrava muyta |gente nobre, & honrada, & todos eram focorridos, conforme fua necelsidade, & qualida|de. E por ifo Deos lhe dava | tanto, porque detribuía muyto, que fe os Princepes foubef fêm aproveytarfe deta nobre afura, feriam mais ricos, &haveria menos pobres. Foy fempre muy livre em feu governo, nam admittindo lifongeyros, nem fe fogeytando a validos, como fazem alguns Princepes, que de tal maneyra cativam fuas vontades, & alvidrios, que mais fe podem chamar e{cravos,que fenhores,obrando con

[merged small][merged small][ocr errors][merged small]

ra a Lisboa, á vinda o hia epe

tra os bens, que a me{ma natu

os fez livres, & elles fe off

fuas ovelhas era efte grande | | Prelado; quando hia de Evo

[ocr errors][merged small]

do povo, pondofe de joelhos diante delle, rogandolhe todos pela vida, & dandolhe muytos vivas; & quando chegava à Sé "nam havia quem pudefe entrar nella com gente, & daqui lo acompanhavam até fe meter no Collegio do Companhia,

aonde morava. Ajudava muy}to a efte bom recebimento, |nam sò a muyta afabilidade |com que recebia a todos, mas |tambem a muyta liberalidade |de que ufava netas entradas, | porque logo em chegando mandava abrir o celeyro, &

repartir o pam pelos pobres. E

com fer muyto amado, era | tambem muyto repeytado; antes parece que quanto mais fe | fazia amavel, mais fahia etimado; erradamente pretende

}hum Princepe grangear a ve

neraçam com fe motrar fevero,

| 5 Tambem merecia a to

dos ete grande amor que lhe tinham, com a facilidade com que deferia, & ouvia a todos: quando da fegunda vez foy | Prelado em Evora, habitando

| no Collegio da Companhia, rar o Cabido,mais de meya legoa fôra da cidade; receben

depois de jantar,em dando húa hora,etava a porta patente a

[ocr errors]

do ele a todos com todo bom! fermbrante, & alegria, lançan-"

todos,{em ter pagé, nem quem levaffe recado, dando a toda a

Mm 3

hora

da cidade, affin nôbres, como .

[ocr errors]

Era muyto facil em dar audiencia.

[ocr errors][ocr errors]

hora liberal audiencia; que he exemplo raro em Princepes, os quaes fe cutumam fazer " difficultofos em dar audiêcia, que talvez mais facil he fervi

ter huma entrada no Paço. 7 Celebrava os officios divinos,& aísitia a elles com grãdifima piedade;& algumas vezes chorava tantas lagrimas, &

tapaz, o encento, & o livro a beyjar, era neceffario tirarlhe pela roupa pera o efpertar. No tempo da Coreíma,etando em Evora,hia amanhecer à Sé, poí

des,& fempre hia a pè. Eratam temente a Deos, & tinha huma confciencia tam delicada, que affirmam todos os que o conhecéram, que acabado de lhe di

zer qualquer coufa,por mais inclinaçam que tiveffe, ou goto á motrafe em a fazer,no mef. -mo ponto parava,dizendo, Nam | helicito,pois namfefaça; & afim era fraze cõmua entre os cortefaõs,cutumarem a dizer, al| ludindo a efta fua boa inclina}çam, & pureza de confciencia, Que nam havia cavalo melhor arren| dado,que o Infante Zom Henrique.

mais larga do que pede abrevidade,que aqui profefamos, fe

i-||gular protector da Companhia. los muytos annos na guerra, 4 ||

|pôde dar todo o bom credito,

|ta verdade, as que aqui ponho, |que nam andam imprefas,tirey

[ocr errors]

menor todas as virtudes deíte | grande Prelado, & efclarecido Princepe, honra de Portugal, gloria da Igreja de Deos, & fin

As coufas que aqui aponteyfe

porque àlem de muytas dellas ferétiradas de autores de muy

de algús memoriaes, que delle | deyxaram efcritos algumas pef. foas de muyta authoridade, af. fim Religiofos nofos,como criados feus,como foram o Metre Francifco Galvâm, o Conego lorge Pinto,& o Padre Vicente

mando que cada vez que falava

dito,& authoridade,o qual concińe hum feu memorial, affir

com o Infante Dom Henrique

zerem, que nam era licito fade Anjo; & por remate cutu,

|aqui as palavras dete honrado |capellam, das quaes bem fe vê

|rara nos homens,os quaes uzam 8 Seria hitoria muyto || |flores,que fam agradaveis, em

quizeffemos aqui apontar porl.

lhe parecia, que via hum roto

mava a dizer muytas vezes ef tas palavras, Se hoje o Cardeal tormâra ao mundo, Q eu einera com huma mitra muy honro/a, @ copio/a, eu a deyxèra,com condiçam de ofervir/em outra nenhãa e/perança. Até

fua gratidam, que hoje he muy

los beneficios, como fe fofem

# etam frefcas.E tambem evé abondade detam prezado

amo, .

• • X "tiam muyGuerreyro, beneficiado na Sè os dici.

de Evora, homé de muyto cre-deal

[merged small][ocr errors][ocr errors][ocr errors][ocr errors][ocr errors][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small][ocr errors]

OS que fingio hum autor e trangeyro, aos quaes cõ rezâm polemos chamar tetimunhos falfos,falando no lugar que apon. tamos à margem falfa, & teme

bulla,paflada no anno de 1561.

de feu confelho, & prudencia, | lhe diz afsim,In animo habuerimus |

noir e/olicitudinis partem cura tua | |committeres@r demandare tibi, cuius | fides,vite integritas,/ngularis virtutis

merita, nobis iam, ante nofiram ado

tregar parte do governo univer/al da l'

1o Etes tetimunhos fam mais certos,& verdadeyros,que

rariamente noomodo com que,

diz,que fe houve com o fenhor Dom Antonio, contra a verdade das hitorias,& contra a authoridade das pefoas. Bem he verdade(pera que digamos tudo) q outros autores o culpam por ellemefmo nam nomear em fua vida quem era o fuceflor detes Reynos,porém tambem alguns julgam eta pela mayor de fuas acçoens, porque quanto mais fiava da jutiça da fenhora Dona Catherina fua fobrinha, podia entregarfe mais confiada

tos,tendo por obra indigna de Rey Catholico, & Princepe ecclefiatico,que as coufas tam faceis de accomodar pelas regras do direyto, fe occafionafsé a fe arbitrarem pela furia das armas. Peraito nomeou juizes

que podefem julgar fobre tam

| grandes entereces; como fere

folveria, fenam foffe q a morte o tomou antes deta decifám; &

[ocr errors]

forme os termos que as leys dif

Summo Pontifice (como tetificam os mefmos autores o Catelhanos)entráram as armas, & as dadivas delRey Philippe o Prudente: de forte que a rençam delRey Dora Henrique foy de

tuna. Eito bate por agora de | te-Sereniffimo Princepe, Car

verfo.

mente ao juizo de homens dou-o

poem, & conforme advertia o |

[ocr errors]
[ocr errors]
[ocr errors]

Porf nam nemeou . /ucellor no

Reyno.

C Vide Ludoicum Cabr. hift. Phil L.

[ocr errors]

deal & Rey,Rey de homens,&

Mm 4 Sacer

« AnteriorContinuar »