Imagens das páginas
PDF
ePub
[ocr errors]

loso de acudir a todos os po-l dolhe os braços no piscoço.
bres da terra ; & pera isto ti. || Tambem o labiam a esperar,
nha esmoleres de muyta con perto de legoa , infinita gente
fiança, que tinham feyto li da cidade, asin nobres, como
vro de todas as pessoas necessi-. do povo, pondose de joelhos
cadas; em que entrava muyta | 1 diante delle; rogandolhé rodos
gente nobre, & honrada, & pela vida, & dandolhe muytos
todos eram locorridos, confor- vivas ; & quando chegava à Sé
ne fua necessidade ,& qualida- 'nam havia quem pudelle en-
de. E por isso Deos "The dava erar nella com gente; & d'aqui
tanto, porque destribuia muy: o acompanhavain arê le meter
to, que le os Princepes souberno Collegio della Companhia,
rem aproveytarse desta nobre aonde morava. Ajudava muy-
asura, feriam mais ricos , & hato, a este, boor recebimento,
reria menos pobres · Foy fem-nam sò: a muyta affabilidade
pre muy livre em seu governo, com que recebia a todos, mas
nam admittindo lisongeyroș, tambem a muyta liberalidade
nem fe sogeytando a validos, de que usava nestas entradas,
como fazem alguns Princepes, porque logo em chegando
que de tal maneyra cativammandava abrir o celeyro, &
suas vontades , & alvidrios, que repartir o pampelos pobres. E
mais fe podem chamar escra- com ser muyto amado, era
vos,que senhores;obrando con-| tambem muyto respeytado; an-
tra os bens, que a mesma natu tes parece que quanto mais le
teza lhes deo, porque a fortei fazia amayel, mais sabia esti-
os fez livres, & elles se offe- mado; erradamente pretende
recem em cativeyro; antes he hum Princepe grangear a ve-
o peor, cativeyro, porque fi- || neraçam com se mostrar le-
cam elcravos de seus mesmos vero,
servos.

is Tambem merecia a to-'Eramuya 4. Por todas estas boas dos este grande amor que lhe to facil em ta amado

partes, nam se pòde crer quam tinham, com a facilidade com de todos.

amado , . & quam prezado de que deferia, & ouvia a todos:
suas ovelhas era este grande quando da segunda vez foy
Prelado; quando hia de Evo Prelado em Evora, habitando
ra a Lisboa, á vinda, o hia elpeli no Collegio da Companhia,
raro Cabido, mais de meya le-depois de jantar,em dando hűa
goa fora da cidade; receben-||| hora,estava a porta patente a
jo elle a todos com todo bom todos,lem ter pagē, nem quem
ferobrante, & alegria, lançan. 'I levafle recado, dando a toda a

hora

Era mily

dar nudi. encia.

Mm 3

tiam muy

hora liberal audiencia ; que

he menor todas as v irtudes deste exemplo raro em Princepes, os grande Prelado, & esclarecido quaes le custumam fazer tam Princepe , honra de Portugal, difficultolos em dar audiēcia, gloria da Igreja de Deos, & sinque cal vez mais facil he servi- gular protector da Companhia. los muytos annos na guerra, ģ As cousas que aqui aportey se ter humà entrada no Paço. pôde dar todo o bom credito,

7 Celebrava os officios di-porque àlem de muyras dellas vinos,& assistia a elles com grā- feré tiradas de autores de muy

diflima piedade;& alguma's ve ta verdade, as que aqui ponlio, De Jua

zes chorava tantas lagrimas ; & que nam andam impressas,tirey grande estava tam transportado em de algūs memoriaes, que delle devaçam

Deos,que hindolhe levar o por- deyxàram escritos algumas pel-
tapaz, o encenso, & o livro a roas de muyta authoridade, af-
beyjar , era necessario tirarlhe sim Religiosos nossos,como cri-
pela roupa pera o espertar. No ||ados seus,como foram o Mestre
tempo da Corelma,estando em

Francisco Galvàm, o Conego
Evora;hia amanhecer à Sė, pof-| forge Pinto;& o Padre Vicente o que fena
to que os frios fossem muy grā- Guerreyro, beneficiado na Sè

tos docár. des,& sempre hia a pè. Era tam de Evora, homé de muyto cre- deal

. temente a Deos, & tinha huma dito,& authoridade, o qual conconsciencia tam delicada, que ciùe hum feu memorial, affir: . affirmam todos os que o conhe-mando que cada vez que falava céram , que acabado de lhe di

com o Infante Dom Henrique zerem, que nam era licito fa-| lhe parecia, que via hum rosto zer qualquer coula, por mais in. de Anjo ; & por remate custu. clinaçam que tivesse , ou go to mava a dizer muytas vezes esý mostraffe em a fazer, no mel tas palavras , Se hoje o Cardeal rormo ponto parava,dizendo,Nam nårá ao mundo, e eu estivera com he licito, pois nam se faça; & affim huma mitra muy honrosa, & copiosa, era fraze cömua entre os cor eu a deyxàra,com condiçam de o fertesaõs,custumarem a dizer, al- vir,sem outra nenhūa esperança

. Até
ludindo a esta sua boa inclina-, aqui as palavras deste honrado
çam, & pureza de consciencia, capellàń, das quaes bem se vè
Que nam havia cavallo melhor arren sua gratidam, que hoje he muy

que o Infante Dom Henrique. råra nos homens, os quaes uzam
8 Seria historia muyto

los beneficios, como se fossem
mais larga do que pede a brevi-|| Aores,que sam agradaveis, em
dade, que aqui professamos, selquanto estam frescas.E tambem
quizessemos aqui apontar por!lse vé a bondade de tam prezado

amo,

dado, que

d

quam

libertas gráticr

fub Rege i fo.

p.o.

mihi 720

[ocr errors]

que

[ocr errors][ocr errors]

amo, & a rezárn que teve o ou rariamente no modo com que, ClauNuf-'cro fabiopera dizer, que nam

nam diz,que se houve com o senhor Hier. Franha melhor liberdade, que ser Dom Antonio, contra a verdade chi Inlib.e excat, qu.d servo de hum Princepe piedo- das historias,& contra a aucho. tug. & Car

ridade das pessoas. Bem be ver

tel.lib.3.fol. 9 E sobre todos os festi- |dade(pera que digamos tudo).ģ verfo. munhos,que Te podé trazer em outros autores o culpam por elabonaçam das reaes virtudes, & le mesino nam nomear em sua rəros talentos deste muy escla vida quem era o sucesor destes recido Princepe, he o teftimu- Reynos,porém tambem alguns nho delle dá o Sanctisimo julgam esta pela mayor de suas Padre Pio Quarto, em hűa: sua acçoens, porque quanto mais Dorg nam butla, paslada no anno deis 61.

fiava sla jultiça da senhora Do- sucessor no no segundo anno de seu Ponti

na Catherina sua fobrinha , po- 'Reyno. ticado, aonde mostrando odos dia entregarse mais confiadaTejo que tinha de se aproveycar mente ao juizo de homens doude leu conselho , & prudencia, tos,tendo por obra indigna de

The diz assim, In animo habuerimus Rey Catholico, & Princepe
Teflimu pro universais. ecclefiæ felici regimine, ecclesiastico, que as cousas cam
nho dosū nostre solicitudinis partem curæ i tya

faceis de accomodar pelas re-
mo Ponti.
committere,& demandare tibi , cuius

gras

do direyto, le occasionassé
fice,em a-
bonaçam fideszvita integritas,fingularis virturis a se arbitrarem pela furia das
do carde. merita , nobis iam, ante noftram ad armas. Pera isto nomeou juizes
al.

summi Apoftolatus aßumptionem,cogol: que podeflem julgar sobre tam

nica, o probata existunt,&c. Que grandes entereces; como se re-
vema dizer, Que eftere pera lhe en folveria , senam folle g a morte
tregar parte do governo universal da o tomou antes desta decilám; &
Igreja, em rezám de sua , inceyreza

. logo sem esperar a lentença,cõ.
de vida, & merecimentos de suas fin- forme os termos que as leys dil-
gulares circudes, que tinha bem co poem, & conforine advertia o
nhecidas @ provadas antes do.tem Summo Pontifice (como certifi-
po de sua affumpçam ao fummo Ponti cam os melinos autores e Caste-
ficado.

lhanos)entráram as armas, & as VideLudoi19 Estes testimunhos sam dadivas del Rey Philippe o Pru- fcum Cabr. mais certos,& verdadeyros,que dente : de sorte que a tençam lib.12.c.19. os que fingio hum autor estran delRey Dom Henrique foy.de eyro, aos quaes cõ rezâm po sancto, mas o luceslo foy da fordemos chamar testimunhos fal tuna. E isto baste por agora de sos, falando no lugar que apon.

ste. Sereniffimo Princepe , Cartamos à margem falfa, & teme deal & Rey,Rey de homens, &

Sacer

fol. mihi 1054

MM 4

Chrifto de

dre Leam

Anna de, Sacerdote de Christo, porque , na ilha da Madeyra, do illustre Anno da

nam quero continuar mais, di- solar de seus pays,& aròs, & de Cipanira 1554. minuindo , por culpa do meu sua entrada na Companhia, dif- !5;

engenho,suas obras immortaes, semos na primeyra a parte. Nodignissimas de serem postas em taveis foram os exemplos que 1.p.01.277

. melhor solfa, & cantadas por nos deyxou de fuas viitudes etCyrnes mais sublimes.

te muyco insigne varám no té

po, em que governou o ColleCAPITULO XXXVI. gio de Evora fendo Reytor, &

a Provincia toda, sendo Provin-
Do primero Reytor que teve

cial."
i Vniversidade de Evora, que o principal meyo, por ende a

2. E como na via espiritual
foy o Padre LeàmHenriques, divina bondade le communica
de sua grande óraçam , & de a seus servos, allumiandolhe os

entendimentos com luzes divicono Deos lhe communicavá

nas, & abrazandolhe suas von.

Foy o Pa. muytos segredos permeyo tades com resplandores celel

Henriques deste sancto exer tiaes, seja o meyo da òraçam;foy muyro dacicio.

o Padre Leàm Henriques tam de é òradado a este sancto exercicio , ģ

cõ trazer tantos negocios exte-
Sh Ois temos dado riores,affim se recolhia cõDeos,

conta das coplas no interior de sua alma,como le
do-Collegio de sua vida sò fosse de hum grande

Evora, & da Vni contemplativo, metido no lan-
versidade referindo, ainda que eto ocio de hum muy' remon-
breve mente, vida , & virtudes tado delerto. A continuaçam

le feu insigne fundador, bein he deste santo crato com Deos,era
tambem que, conforme nosso tam grande , que ainda depois
Custume , façamos comemora de velho tinha cada dia, entre
pando primeyro Reytor,ậteve dia,& nogte, sere horas de òra-
quella Vniversidade, que foy, çam mencal,& vocal, & o que
como jà dislemos,oPadre Leam poem mais admiraçam era a
Henriques, que na verdade foy! postura do corpo, porque lem-
huma das principaes columnas, pre estava de joelhos. Sendo
em que se levantou, & lustētou Superior, desta maneyra repar-
o fermoso edificio da Compa ria o tempo, que dava a Deos;
nhia em Portugal. De seu naci tinha em se levantando huma
méto na villa da Ponta do Sol, hora de òraçam mental com a

[ocr errors]

I

com

[ocr errors]

quc

1

Anno de

communidade, acabada ella di ber:bate a porta do cubiculo, & Anno da Christo de

zia logo miffa na cappella aos nam acudindo o Padre, sabendo Cēpanhia 1554: Irmãos, & logo no mesmo lu-, de certo que estava dentro,tor- 15.

gar rinha tambem 'de joelhos na o porteyro a segūdar os gol-
outra hora de òraçam mental; pes mais rijo, sem de dentro lhe De bum
em acçam de graças do Senhor responderem;pelo que vēdo ser ritual

raptoespi-
que recebera. A tarde, no tem-1 necessario,âbre apressado a por- teve.
po das liçoens, tinha outra höra ta,& vio no meyo da cala ao P.
de òraçam de joelhos no seu cu-|| Leàm Henriques posto de joe-
biculo. A's demais horas repar-lhos, com os olhos no cèo, & co
tia pelo dia;& pela noyce', con os braços em cruz , tam absor-
forine as occupaçoens, & occa to,& transportado em Deos,em
livens. Todas as fete horas cam profunda contemplaçam,
canonicas do officiodivino, aia- 1 !que por mais estrondo que o
da depois de velho', tefava com Irmám fez abrindo a porta , &
ambos'os joelhos em terra , co falandolhe alto, em nada adver-
grande attençam , & reverécia, tia, mais que em Deos,com quê
& sempre ao cenipo 'acommo- estava tam divertido, que foy
dado, conforme a ordem da forçado o Irmàm pegar do Pa-
Igreja: & le rezavá -com algum dre,& fazerlhe força pera o ef-
companheyro'obrigavao a que pertar daqúelle roubo; o que
rezaffe assentado, continuando sucedeo sahindo o Padre com
elle de joelhos.

estas sentidas palavras, Deos vos 3. Custume he de Deos nof-perdoe lamàm: como focedia að tos favo-10 Senhor communicarse muy grande Antonio * no seu deserles quere to aquelles que se lhe entregam to,quando passando a noyte to- vita D.Ant. muyto', conforme a esta regra; da em ôraçam co os olhos fitos magni

. eram notáveis os favores que no Oriente, le queyxava côtra o Deos noflo Senhor repartia co Sol, q nalčēdo lhe feria os olhos este feu devoto servo, o qual al corporaes , & privava da suavilīm andava entre os honés, co- dade, que gozava,com os ter no mó fe' sempre estivesle abforto céo.Ou como a alma do Sancto em Deos . Vindo hum dia ao Samuel

que

le

queyxava de 1.Reg.c.28 Collegio de Coimbra o Bispo Saul pelo desenquietar de seu negare Conde Dom loàm Soarez visi- repouso. Levantouse o Padre me:&c. tar ao Padre Leâm Henriques, Leam Henriques bem contra o porreyro, depois de recolher sua vontade,& antes de lahir ao em casa a este grande Prelado, Bispo,mandou ao porteyro(que fe adiantou a dar recado ao Pa era o Irmam Sebastian Gondre Reytor pera o fahir a rece.||çalves, homem de grande vic

tude)

Dos muy

D. Athan.in

debia de Deos.

[ocr errors]
[ocr errors]
« AnteriorContinuar »