Imagens das páginas
PDF

PTTT XXXVITE

[merged small][merged small][ocr errors][ocr errors]

merecieu a Deos (acrecenta-
va) efando jà ás portas do in-
ferno,que fuá divina clemencia
me quizete livrar por lanço

que me deyxa confefado, &

quieto,mas ferido, & atravefa-
do de tam graves peccados.De-
tes, exemplosi pudéra contar

muytos;& pudéra referir muy-
tas coufas,que diffe d'ante mam
& depois focodéram, & parecê-
ram prophecias. #
9 Nam foram menores os

[ocr errors]

communicava a feu fervo por

hum notavel, & maravilhofo

tos&oytenra,no principio das
perturbaçoens, que defenquie-

|tàram ete, Reyno, por morte
do pijfimo Rey Dom Henri-

que, quando huns queriam

fogeytar Portugal aos Reys de |Catella, outros com os melhoIves letrados, bradavam pela (e

nhora Dona Catherina, outros

acclamavam ao fenhor Dom | | Antonio. Por eta caufa fe fa

[ocr errors][ocr errors]

Miguel de Soufa, applacar o
furor da divina jutiça, fez ex-
tam charitativo, & milagrofo, |
pela do Collegio o Sanctifi-

lemne prociflam, em que hiam

to devota, até chegarem à di

- que etava muy bem adornafavores que Deos nofo Senhor

meyo da àraçam, manifetandolhe a divina fabedoria com | luzes interiores muytos ficeffos futuros, que ao diante acontecèram.Deyxo muytos,porque namopofo contar todos, po|rèm nam deyxarey de referir

cato que lhe focedeo em Coim-
bra, no anno de mil quinhen-

grimas,pelo bem do Reyno, do

[ocr errors]
[ocr errors]

fejando o Reytor do Collegio
de Coimbra, que era o Padre

por em publico dentro da ca

mo Sacramento do altar, or-
denando por cafa huma fo-

duzentos Religiofos com lu-
mes nas mãos, & mufica muy-

ta capella, aonde fabre o altar,

do, fehavia de pór a Cutodia
do diviniffimo Sacramento, pe-
ra ahi (e ter ôraçam continua
de dia, & de noyte, fuceden-
do huns Religiofos a outros,em
certo numero , divididos por
fuas horas, como entre nòs fe
cutuma fazer em cafos feme-
lhantes.

[ocr errors][ocr errors][merged small][ocr errors]

1o Entrando pois a procifam pela capella, etava jà nella poto de joelhos o Padre Leâm Henriques, fazendo a Deos muy fervorofa àra

çam,com grande copia de la

qual tanto mais fentia as cala-
midades prefentes, quanto
mais conhecéra füas glorias
pafladas: coufa maravilhof,
que em aparecendo o Sanctifi-
mo Sacramento , que vinha
debayxo do pallio, no mayor
fervor de fuas lagrimas, quan-

do com mais affecto pedia a

[ocr errors]
[ocr errors]

come

[ocr errors][ocr errors][ocr errors][ocr errors][ocr errors]

começa a ouvir da Cutodia huma voz muy clara, & efpantofa, com que o Senhor vinha| | dizendo, Nam, nam, doxame, der|xame,que ho de cofigar, herde ofigar:Eitas palavrashia o Senhor |repetindo muytas vezes da por|ta da Capella até o altar, aonde |foy pôta a Cutodia. Eramas

vozes tam claras, que o Padre

| Leám Henriques ficou atonito,
|| & cheyo de temor, derraman-
| do muytas lagrimas, brádando

no intimo de feu coraçam ao
Senhor, pedindo com grande
inftancia mifericordia,mas nam

| tinha outra repota, mais que

aquele rigorofo Nam, que o
Senhor repetia dizendo: Zey-

|lhante occafiam refpondeo ao |

Propheta Hyeremias é quando

mais dobrava as vozes, & mul-||
|Davirtude que tinha contra
|odemonio, & quam facilmen-

tiplicava os gemidos, Tu ergo
nol orare propopulo hoc, nec */amas
pro tis laudem, @ orationem, @r

[ocr errors]

12 Atemorizado o fervo de Deos com tam fevero de

|fengano, recolhendofe afeu a-
pofento,chamou ao Polgnacio |

[ocr errors]
[ocr errors]

divinofegredo pedindolhe que

encomendaffe muyto a Deos o |
bem dete Reyno. Tudo ito
referio fielmente o efclareci-

cio Martins, dépois da mor

te do Padre Leám Henriques, &o deyxou e(crito de fua mam, |em hum caderno, donde ito |fetirou: nem entrenós ha duvida alguma da certeza deta! revelaçam; & afima ouvi contar, & prègar aos mais antigos, & autorizados Padres def. ta Provincia. E o tempo motrou,nos muytos trabalhos, que depois vimos nete Reyno, a verdade d'eta comminaçâm. Convem que vivamos

[ocr errors]

de tal maneyra, que pois jà vi

|mosos catigos fulminados por {Peccados, experimentemos os |favores, que fe alcançam por • • |merecimentos.

xame, Leam, que hey de cofigar, #
conforme ao que em feme-

[merged small][merged small][ocr errors]

5Vy proprio he do É mao efpirito en$\* contrar os varoens o epirituaes, pondo em campo todo o poder das

do varàm o Padre Metre Igna- ••?

LA- !..."...___ - - •• • r–––*-**

trevas, contra aqueles q buf cam o pay das luzes;antes como

he doutrina cõmua dos Sanótos

Padres,

*-+

[graphic]
[graphic]

Parte foguda. Livro quinto. Cap. XXXVII. 423

[merged small][ocr errors][merged small]
[ocr errors]

Padres (& em efpecial de Sam Gregorio o Magno) o diabo com mais teyma operfegue aos, que com mais valor lhe refité. Com tudo nem fempre em todos os varoens fanctos permitte Deos etas batalhas vizivelmente; & daqui vem que dife ficultofamente cremos etes fucefos, porque nam experimentamos eltes golpes. Mas afim como nem todos os San

étos fam igoaes nos merecimentos com Deos, afim ném todos fam femelhantes nos encontros com o demonio. Das perfeguiçoens, que ete commum inimigo caufou a Sancto Antonio o grande, dos açoutes que lhe deo, & medos,que lhe metia, nam nos fica já hoje rezàm de duvidar,porque àlem de San&to o Athanafi (a quem temos por oraculo) as contam Padres muy Sanétos: o mef. mo encontro fucedeo a muylos daquelles Sanctos folitarios: mas o diabonam fe contentando com perfeguir Hermitaens do deferto, tambem vem tentar moradores da Cidade, & em efpecial àquelles que nam fe fatisfazendo com a perfeyçam propria, procuram tãbem a falvaçam alheya. Bem feve que daqui nacia a continua guerra que o demonio fazia ao Padre Leâm Henriques,permetindoo afim Deos

nofo Senhor, pera mais apu

rar lua vida, & autorizar fua virtude. A 2 mente contar as notaveis injurias, & repetidas vexaçoens, que o demonio lhe fazia: tratando de o inquietar no temPo da óraçam, & quando rezava as fuas horas, apparecendolhe em medonhas figuras, & efpantofas vifagens. Rezando huma vez com elle de noyte as marinas o Padre Luis Serqueyra, Bipo que foy do Iapâm, eys que fubitamente lhe tira o efpirito diabolico diante dos ôlhos a candea que os

andar pela cafa defcorrendo de huma parte pera outra, fubindo agora pera o alto, & logo decendo pera bayxo, jà fazendo circulos, & logo carrendo em faltos; com taes mudanças, & com tantas fortes, que o companheyro nam fe atrevendo a continuar ( vendo femelhantes jògos, & diaboli. cas travefuras) fe fahio do cubiculo, o que o Padre Leâm Hériques muyto lhe etranhou, dizendolhe que nam tinha pera que haver medo daquelle(a quem rindo(e por zombaria, & defprezo chamava) diabinho. E nam foy eta a primeyra vez, que o demonio, como tam grande embuteyro, pretendeo perturbar com liviandades aos que nam pode

Nam (e podem facil

allumiava , & ambos a viam |

[ocr errors][merged small][merged small]

Nn 2 enga

[ocr errors][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small]

|pobre, & humilde cubiculo, (a que commummente chamá|vam do Padre Leám Henri| ques) no qual focedeo o cafo |

| em a fua cama; & conhecendo o hopede 4 tinhaiem caía, | tam fóra eteve o animofo:Pa-|

| eref, & valente humildade: e deytou debayxo da barradai|

[ocr errors][ocr errors]

do velho, aonde nos criamos, & viu os por muytas vezes o

feu inimigo , logo pera o con

feguinte . Abrio o Padre de noyte a porta da camara,hindo pera repoufar hum pouco : eys que ve o demonio em figura

de búgrande rafeyro, deytado

"re de tornar atraz com a vida detafoberbo inimigo, que antes entrando si&, hindo avante lhe dife: , Zeyxare ditar, na cama, que melhora mereces, que ", porque tu hit to vez peccaffe, y en muytas ofendia meu Senhor, Oizendo ito, com huma ge-i

camafobre que o demonio eftiva. Nam pode o foberbo e{->

pirito de Satanas efperar acto,

je tam profunda humildade |
do Padre, & logo de corrido fe ||fefiou a hum Irmăm, grave-

poz em fugida, faltando da ca

...a, dizendo pera o Padre com voz hamina, may inteligivel, @no e humilde Leím, a fim, pa= |

fundir, indo até a porta apos elle lhe diffe, Sou mais fiberto que tu; que talvez quando hum fervo de Deos fechama mais foberbo, entam na verdade fi ca mais humilde: & deta ma|neyra triumphou ete Leâm celete daquelle Cerbero infernal. ...

4 - Nam fe contentava o maligno efpirito com femelhantes disfarces, & mudangas de figuras, com que humas |vezes queria zombar, outras: epantar ao fervo de Deos:por

[ocr errors]
[ocr errors]
[ocr errors]

Deos , paflava dos epantos aos açoutes (como antigamente lhe aconteceo com obemaventurado Sancto Antám) & chegou ao epancar, & a lhe dar o bofetadas no roto. De tudo ito temos boas tetimu

ros que ouviam femelhantes golpes, mas no me{mo Padre

que por vezes com licença de ,

nhas, nam sò nos companhey

Leám Henriques, que o con

mente perfeguido, & acofado dete dragâminfernal,o que fucedeo deta maneyra. Sendo elle Reytor em Evora, havia hum Irmâm coadjutor

rece, de vencer por Avaidade a

[ocr errors][ocr errors]
[ocr errors]

[]O

Irmam AndrèAn |

mes muy

perfeguido do diabo. .

{ { i

*-

|

[ocr errors][merged small][merged small]

Parte fogunda. Livro quinto. Cap. XXXVII.

no Collegio, chamado Antrè Annes, homem fimples,filho de lavradores ricos,de grandes,& de notaveis forças, & de nam menor animo, cuja vocaçam,& perfeverança na Companhia em tam robuta idade, pelo valor da pefoa,por fua valentia,& notavel etatura, foy pelo commum inimigo muy encontrada,tanto que no noviciado,permittindoo afim o Senhor,pera mais prova, & mere|cimento feu,o enchia de açoutos,& carregava de pancada,&

alto pera o ar,fendo homem agintado,groflo,& corpulento;& era coufa maravilhofa, que fendo tam carregado, & dãdo tam grandes báques, nam lhe fazia mal algum;parece que o diabo por ver a ete Irmâm tam valête em forças as queria provar cõ elle; mas o pobre do Andre Annes era mais acutumado a fojugar o árado,que a lutar com o demonio; & a{sim andava continuamente afombrado, & atropellado de tam perverfo cõpetidor: acudia à ôraçama, recorria ao confefor, & dava |conta ao Superior.

| Vendofe huma noyte muy afligido,& acofado dete Infernal tyranno,foy demandar ao Padre Braz Gomes feu confeffor , pedindolhe remedio

vou ao Padre Leâm Henriques."

muytas vezes o lançava muyto
|Senhor que hoje recebi na mfa, que

42.y que era Reytor do Collegio; recebeo o bom Prelado ao affligido filho com grande afabilidade, repetindolhe etas palavras, Tende bom animo Irmám, nenhum medo, nem repeyto tenhaes 4 e/e cam infermal, que Zeos omni

potente tem prezo, @r nam faz mais que ladrar, nem pôde acometer mais que quanto o Senhor lhe lar"ga a trela, oupera execuçam de cafigo contra os maos, ou pera coroa de premiopera com os bons. Nam cuydels, Irmăm, que fois só, porque companheyros tendes na batalha, confolypos comigo, que vos afirmo pelo

todos os dias que me /queço de fazer certa devagam , @ de me armar muy de propofo contra e/a befaunfernal, que aqui na cama me

enche depancadas, @r me bofe. tadas , nem tenho outro remedio mais que levantarme, Çr recorrer

[ocr errors]

pera eu tormento; ele o le

Mandoulhe logo que trouxef. fe ally a cama pera dormir no me{mo cnbiculo, como fez; alcançando d'ally por diante a defejada quietaçam por via dete grãde fervo de Deos o Padre Leâm Henriques, ao qual,ainda que o diabo muytas vezes inquietava,tambem muytas vezes o reverenciava, antes por ifo tanto o perfeguia, porque t4IltO O CCUT)13. 6 O tempo em que mais de propofito o inimigo o per

feguia,& em que jugava de fuas

[ocr errors]
[merged small][ocr errors]
« AnteriorContinuar »