Imagens das páginas
PDF
ePub

16.

16.

f

2.n.18.

Amo" de, gerein obras de misericordia ; de boal munira deligencia' me avifam, fe alguma Anno da Gia Chrifto de vontade lhes daria as minhas mullas, cousa de sospeyca , the vem cér ás Cipanhia 1555 pera visitarem por mim o Bispado, orelhas. Pregum vi donariamente em

porque me parece fariam mais fruyco, feu Collegro, na , Sertdo eu prefen-
O ferviço a Deos do que eu faço. te muy catholicamente, com gran-

.'
5 Quanto áo terceyro je ajudam de fruyco,@q edificaçam do povo, o
Las Religioens: Se heno exemplo , nam havendo tantos letrados nest: Cidade,
ha duvida: Senam.que o dan muy bom, nam se achou nenhū erro em fwa don-
assim no falar como no trata.,da con trina; mas sempre muyra virtudes
versa, am fama muyra amigos das Relia fimpeza. Outro edeficar be o da , je
groens,louvadores dellas, aprovadores,gundo o que deza Apoftolof Samitigo.

Ep. Cat.ca. do que fazem & communicanas que: Oftendam tibi ex operibus fi

he final de paz e amer, Quanto ao : dem meam. Edificam muúyto com
proveyro desta: Cidade;& Bupado: Hey Jua fingeleza,simplecidade,chaneza, &
muytas graças ao Senhor, que fram muy, humildade fem engano " ifto poz por
uteis à republica chriftã, nam:fey; en grande prova de espirito de Deos Sam
cousa espiritual que mais padeja fena Toam na sua primeyra Epiftola carbu.
tir,que nam os ver neste Bypado.Atas

: mica,no capitulo quarto

. 8 Gharifi- 1.Epif.Can. segundo disse Sanęto Thomazs und mi nolite omni fpiritui crede. 6.4.n... republica ha mais desfalecidos, da virare,fed probate fpiritus fi ex Deo rude, que virtuoja, por isa se deram fint,nam multi pfeudopropheleys penses , & afsim nami be deepantæ exierunt in mundum,in hoc tar que haja iuytos murmuradores cognoscitur omnis spiritus; qui

O tenham adversarios que muyto confitetur IESVM Christum Mat.io.nu. The se chamaram ao Pay des familias in carne veniffe, ex Deo elt. es. Sipatré Belzebudo que tratem males de sua que Origenes escrevendo sobre Sam yocaverunt

, casa;nam he o fervo de melhor condi- Paulo na Epistola ad Romanos capi. geus domer- çam, nem mais privilegiado que seu le- litulo fexto, b aonde poem a mesma fén- Orig.Ep.ad icos cius. nhor, se me perseguiram a mim, diz tēça, declara desta maneyra:Omnis İoan. C. 15. Chrifto

, e tambem vos ham de perfe- Ipiritus, qui confitetur IESVM

guir a vós, fe o mundo vos avorrece, Chriftum in carne veniffe, ex dit ; fcitote lembrayvos ã por mim começou , fe vos | Deo eft, in quo non vtique is

fossers do mundo, a vos cõformasseis qui fyllabas iftas pronuntiavebis odio ha- com elle,o mundo estivera bem com vos | rit,& communem cõfefsionem

co, mas por eßo vos quer mal, porque | protulerit,Dei fpiritu agi videIoan. c:: vós vos declarais contra elle , & nam | bịrur, fed qui vitam fuam ita müdo fuif- Seguis sua bandeyra.

formaverit;& ita fructus operis O quinto se sam proveyrofos à artulerit,Chriftum in carñe ves iuum eller fan£ta Catholica? Do que está dito felnifle,& mortuum

elle peccato, colhe;mais especialmente sey eu, que collac Deo vivere ipsa operum suo

rum,

[ocr errors]

h

Rom.c.6.

[ocr errors]

B.18. si.

mů dus vos 0

[ocr errors]

quia me
priorč vo-

buit,&c.

e

cetis, mun-
dus quod

6

deligerec.

[ocr errors]
[ocr errors]

4.n,& fenfuum religione mõl- | |conferve,& o real estado de V. Alte. Anno da initio deftraverit,&c.

za. De Coimbra 16. de Agosto de Copanhia 135. 7. Neste mostrar por obras a ! | 1558.

16,
em que a mesma se edifica, o fazem
os Padres desta Companhia muyco ,

O Bispo Conde.
porque andam muyto fortificadost, er
moftram em rudo muyra humildade:

ram faceis ao povo, quando os requerē, 9 Efte foy o te stimunho
pera os confesar,& estar na hora da de tam grave,& tam Houro Pre-
morte,com os que estam em agonia,

agonia,& | lado, a quem por esto testimu-
com os padecentes ; @ assim foram nho tam authorizado, & pelo
dous Padres aferrados em fima: do muyto que sentia de bem de
carro com hem preco (que aqui atana noffa Religiam sagrada lhe de-
záram,& enforcáram os dias pasla vemos continuas lembranças,
dos)em roupeta, & fem barrete,por a & nos merece grandes obriga-
catamento do fanéto Crucifixo, que hia çoens:elle falava de nós como
diante,pegandolhe, @q esforçandoo à Prelado tam exemplar , & que
paciencia. O mesmo fazem com qual via nossas cousas com os olhos
quer outro padecente , & ifto com a da charidade, a qual tem ôlhos
legria,como gente que nam rem conta de aguia pera ver, & aprovar o
com mais , que com palavras, of bem alheyo: confusâm grande
obras mostrar a verdade de nossa pode ser nossa, senam fizermos
Sanéta catholica, e da vida eter hoje por desempenhar o bom

conceyto,que entam de nos
8 Ofexto se Sam apraziveis,& formava este doutilli.
sogeztos ás pessoas principaes nete Bif mo,& gravissimo
pado, ao menos pareceme,que nam hous

Bispo,
ve fidalgo,dos que nelle ha que se query
xaße delles fazerem cousa que nam de-
vessem fazer:mas com toda a brand-
ra, quietaçam, logerçam converfam
com todos: de mim nam fou acordado
requererlhes cousa espiritual

, que nam
fizessem; hum dia mandey mecer entre
elles hum meu Conego,que vivia folta-
mente, sahio edificado, ēr mortificado,

qualquer infiel, que se vem converter,o tem entre for enfinam, & fazemno com alegria . Neffo Senhor os

na.

СА

[ocr errors]

1555

por todos

I

Anno

Theologia,& o Padre Fr. Fran. Anno da Christo de CAPITVLO, XVI. cisco de Christo doutor

muy

Cipanhia

aslinalado da esclarecida Ordé 16. :? Da informaçam que des ados Hermitaens de S. AgostiVniverfidade de Coimbrë ne nho. Todos juntos de commũ

acordo deram por escrito hum Bent que el Rey Dom Toam lhe mă- notavel teftimunho da Compaa

dou perguntar a cerca nhia, o qual foy dado por modo
da Companhia.

authentico, em hum pergami-
nbo, sellado co o fello da vni-

versidade,& affinado
Am se contětou9|| seus Lentes , & Doutores,cujo
piedosiffumno Rey treslado de Latim em Portu-
co o testimunho guez he do teor seguinte.
tam abalizado de
de | ,

â Cartas do Serenissimo Rey Dom
Vniversidade Conimbricense, Toam o Terceyro deste nome com cują
que

delle feu juizo, acerca do a favor se vay alevõtando em tam prof.-
lencia da Companhia , pera co speros,felices augmentos, pergunta-
o parecer de tam labios dou: da a cerca da opinàm que dos Re-
cores de Coimbra, respõder ao ligiofos da Companhia de. IESUS(cu-
decreto dos Theologos Sorbo-joCollegio de quinze annos a esta parte,
nicos de Paris. Recebida a or- começando nesta Cidade de muy peque-
dem,ajuntou logo o Reytor da nos principios,eft à hoje tam aventaja-
Vniversidade (que entam era do, & amplificado ) deliberando sobre
unica em Portugal seu claustro este particular com maduro juizo,
pleno de gravissi vos doutores

como em cousas de importancia costu-
em todas as faculdades, entre ma fazer, se ajunton em conselho ,
os quaes forecia naquelle tem. || lugar

. acostumado. Considerando pois a itfignes i po o muy sabio, & celebre dou-|| Univerfidade o pio, & catholico-desejo

cor Martin de Alpilcueta Na-i del Rey noslo senhor de alevantar a Re

varro Cathedratico de prima | lagiam christă, favorecer as honestas de Coim- de direyto Canonico, & havia artes, & fciencias , & espalhar por

outros voroens de muyta Reli, todas as partes a semente de sua ca-
giam,& excellentes talentos, & tholica virtude,& piedade, pera a
muy conhecidas letras, qua! ifto mais se dilatalse, felicissimamě-
era o Patre Frey Martinho de te cresceße,recolhendo de muytas.par-
Ledesma da lagrada Ordem dos tes em seu Reyno, o favorecendo rva-
Prègadores, Lente de prima de roens religiofos , doutos, os quaes

[ocr errors]

Doutores

entam havin na Vni versidade

bra.

com

16.

Do que jul

gavao das

nho da Ini

Anna de

com sua diligincia pudessem ajudar ef obras de humanidade, & charidade, Anno da Christo de

te negoceo pera que haga muytos obrey comi mwyca diligencia , & cuydade, Copanhia I555. rospera a méße do Senhor; que a pop porque vemos de seus proprios bēs aju

Sam alımpar de toda a sizania , y co darem aos presos, encarcerados,cā-
mal animo, @ rençam recebeo, & fa- \\Polandoos juntamēte com fančtas amoe-
voręceo em seus Reynos. efla Compaa ftaçoens,& exertandoos a receber os obras de
nhia de IESUS,de cujo modo de vida, Sacramentos,quando, & aonde pera charidade

& proveyto pera que diga o que sente, ißo ouver oportunidade, e adminif- dos filhos
refponde , & teftifica a Vniversidade trandoos elles tambem.

daCompa

nhia. nos capiculos seguintes ; precedendo a s Item testimunho a Uniisto, como era conveniente,diligente, o versidade, que o principal intento desta maduro conselho.

Companhia he occleparse em obras que 3. Primeyramente - teftimu ajudam, aproveytam aos proximos

, Tellimu: "nho a Universidade que estes homens

e os incaminham, o levam á fileci. versidade ram virtuosos,modeftos,humildes, devo

dade, bemaventurança eterna.Por. de Coim -ros, benemeritos da Republica christă, que vemos o exercicio que tem de enfibra. o que resplandecem com exemplo

, & nar os mininos em bons costumes , vida religiofa. Affirma mais a Uni os estudantes em letras, & virtude, versidade, & assim o rem achado por tam longe eftà de lhe ifto fer impediexperiencia,virem nam somente a esta , mento, que ajudam notavelmente Cidade, mas tambem a todo o Reyno de augmentam' as eschólas, & Collegios

de Portugal grandes, & copiosos fruytos

letras, da vida, & exemplo,&

saudavel dow "! 6 Entende mais 'que fam nám trina desta Companhia , porque fazem pouco proveyrofos aos Bispos, delles fam amizades,concertando demandas, @r muytas vezes chamados

, os com grāpondo os discordes em paz , reprehende de fervor de espirito pregam ao povo, vicios,& peccados publicos, empregan ouvem confißoens,ajudam tambem com dose tambem com summa diligencia, fanétas amoestaçoens , & pios consezelo nas prégaçoens,& confissons,

Thos o rebanho do Senhor, nam movina adminiftraçam do Sanctissimo Sa dos do ganho, or das horas,@a louvor cramento da Eucharistia ao povo ; . popular. Nem sómente em Portugal assim a experiencia tem mostrado serê se exercitam nestas obras, mas també

Do 9 jul. os estudantes desta Vniversidade mais em as partes de Africă, vifiram os ca-Igavam de frequentes,& fervorosos em Je confesa || tholicos

, que em poder de infieis eft am nossos pro sar,& receber o Sanctissimo Sacra cativos, consolandoos, animandoos cedimēlos mento da Eucharistia,depois que aco

com os pro na , e alevantandoos à esperança, ximos

: panhia teve casa, & aßento nesta (i trabalham em seu resgate. Finalmente dade.

ci fumma expediçam, & prompridam 4 Item affirma a Vniversidade, vam á India, aonde com exemplo de vique esta fanéta Companhia entende em da,& edificaçam , plantam as virtu

des,

Chrifto de

Do que

ca dos

I

ز

Anno del des,ės arrancam os vicios, donde vem, i que lhe devemos, que a profef- Anno da

que nam impedem entrada de outras farmos a virtude g em nós viam. Copanhia 1555. Religioens , nem perturbam seu modo

16.
de proceder,anres se mostram seus con CAPITVLO XVII:
Servos,& cooperadores walcrofos

, et
diligétes em cultivar a vinha do Senhor. Do teftimunho que dêo nesta

z Ultimamente teftimunho
inlige acer-Universidade , que nem le recebem materia ofagrado Tribunaldo

que quaisquer nesta Companhia, fem haver S. Officio, & do bom fim que recebemos. nißo muyto deleto porque sabe seremse teve esta grande perse

dedicado a este instituto àlgūs estudan-
tes da sagrada Theologia,outros do di-

gucam.
reyro Canonico, O Civil, mancebos de
grandes partes, os bos costumes. An-

Eltes tam califi-
tes he cousa notoria que em Hespanha,

cados pareceres; es mancebos nobres, or illuftres, como

ultinamente ajūfilhos de Duques, & Condes , tem en.

temos o do Tritrado nesta Companhia,& por tanto a banal da S, Inquisiçam, a quem Vneversidade assim o fente , & julga, || (por lhe pertencer atentar pela y testifica, que esta Companhia se ha || pureza de nossa sācta Fè,& cutde receber com fumma honra, © com tumes que a encontram) rezâm toda a veneraçam se deve favorecer era,que Sua Alteza perguntasse como instituida milagrosamente, y da seu parecer, como por hūa sua da por Deos ao mūdo, em tem

mos tam carta escrita ao Tribunal de
trabalhosos. Em confirmaçam das Lisboa, mandou perguntar , no
quaes cousas todos assinamos, sella- | qual se cometeo a reposta ao
mos noslo teftimuho com o sello ordina- Inquisidor Pedralvez de Pare-
rio da Universidade.

des,g foy Arcediago da Lavra
8 També estimamos em & Conego de Evora, na qual
summo grao esta informaçam cidade primeyro tinha sido In-
da Vniversidade de Coimbra, || quifidor, & era homé de muy-
como dada por pessoas tam ca ta bondade, & de costumes an-
lificadas em virtude,& tam aba- || tigos:que se as cartas famn espe-
lizadas em letras ; & The mere-lhos d'alma, esta bem mostra a
cemos a boa opiniàm , que for- singeleza, & chaneza daquelle
mavam de nossas cousas, agra peyto Portugues . Diza
decendo juntamēre muyto tam

reposta desta ma-
abonado teftimunho, com que

neyra.
nos honraram, & obrigaram,
namn menos a termos a gratidam

TES

Сcc

« AnteriorContinuar »