Imagens das páginas
PDF
ePub

hrifto de

[ocr errors]
[ocr errors]

Ad Phil.3.0.

20. Noftra autem con

f

I

pera os servos de

Eiceret accufare.

Anno de tambem me salio falso : Que bom Sam Paulo tinha nos céos.8 Anno da Superior este como andariam os

Cīpanhia 1555. subditos cõtétes?affim como pe CAPITVLO XXIIII. 16.

lo cótrario nam la mayor cruz
pera fubditos fieis

, que ter hum Como se houve o Padre Mi-
prelado fospeytoso, & hum su-

guel de Torres no officio de co- uerfatio sin perior desconfiado.

13 Sò gostava com a ver fessor da serenissima Rainha
dade averiguada co solidos fun- | Dona Catherina , & como em
damentos, &c della sò se conten-
tava,& tratava de tam de propo- || seu tempo se deo ao Collegio de
fito, que sentio muyto deyrarse Coimbra o mosteyro do Pedro-
algúas vezes levar das primey fo,do qual

se buma
ras informaçoens alheyas , &

breve noticia. muyto menos de imaginaçoēs

proprias, porque como judicioQuis inno-samente disse Seneca, quem fi.

Am fe fez a corte Eens si suf-caria innocente , se bastasse ler acusado? Nunca le notou cousa

Deos, quem quialguma, em que este bom Dou.

zer guardar a pietor deyxafle de seguir a verda-dade, dizia ainda hum Gende no sentido singello, & ver- tio,* ha de sahir do Paço, mais Luc. Pharr. dadeyro, lem pintar, nem còrar que de passo;a virtude que hum 1.8. (Extear as cousas que dizia : & daqui a- | Religioso ganhou na lua cella bs elle pius. chamos que lhe nascia ser muy

lhe nascia ser muy por muytos annos, perde com fôra de encarecimentos, como brevidade quando troca o mohomem recto, & fincero, questeyro pela corte. Suposta esta em tudo ajustava suas palavras verdade nam ha duvida que com a verdade das obras,pofto- merece mayor louvor qué metique nam deyxava de entender,|| do no Paçocentre cortefaós vique até os prudentes sabem dar ve como fancto entre folitarios. quebra a exageraçoens, & hy-1 Tallfoy o bom. Padre Miguel perboles ; porém o Padre Mi- de Torres,cuja virtude era tam guel de Torres com andar tan conhecida que havendo a feretos annos em Paço, como logoniflima Rainha Dona Catheriveremos, nam se deyxava levarna, molher delRey Dom loàm de termos polyricos, que an Terceyro, &hirmā do Empedam no trato humano de cor rador Carlos Quinto de tomar tėsaõs, pera mais le confor cõfeffor,escolheo ao P: Miguel mar,com a converfaçam, que de Torres, pela grande fatisfa

çam,

[ocr errors][ocr errors][merged small]

b

vanga op: Torres.

à n.3

2

Anno de

çar, que tinha de sua pessoa, de fumir o facratisli no corpo, & Amo da Chrifto de lua rara prudencia, muytas le langue de Christo senhor not. Cipuana 1558. ftras grande religiani', & autho-||1o.

16.
ridade. Mayro contra sua von 3. No meyo desta privan.
tade aceyrou o humilde Doue ça fe houve o Padre Miguel de

Moderá. tor esta dignidade, mas nam po-Torres.com tanta moderaçam, je houve : :

çamcoque de deyxar

de o-fazer, obrigado 1 que nem pera ly, nem pera os em sua pri
la carta de Sanéto Ignacio, delleus parentes, nem ainda pera
x.p.bg.c... que'a traz fizemos mēçâm, bellua religiam houve alguem que

crica ao Padre Diogo Mitám, lhe notasse que se aproveytava
quando se escufou de fer con- || de seu valimento: notavel exé-
feffor del Rey Dom - Isâm. - plo pera confeflores de Reys,&

2: Tratává muy a meude de Princepes. E nam falando jà
a fereniffima Rainha as cousas em sua pessoa, porque era muy-
de sua alma com seu confeflor, to pobre,&despresador de tudo,

como Princela muy esclareci- & queria viver conforme a sua
da em toda a virtude , & pieda- profislam. Em prova desta ver-
de, movendo com seu exemplo dade apontarey huma cousa, 9
ás senhoras Infantes Dona'lzá- neste tempo nos sucedeo em
bel, & dona Maria a térêmio o Padre Miguel de Torres, que
mesmo amor, & devaçam à Co nos governava, & os mais Pa-
panhia; gostava tanto esta fe- | dres consultores da Provincia,
nhora da devaçam, & modestia mostráram bem quanto mais ef-
com que o Padre Miguel de cimavam a humildade religioa,
Torres dizia mifla , que hindo que as dignidades do mundo.
algumas vezes com suas Damas 4 Ocaso foy, que vendo à
a visitar a Igreja de S. Roque; || serenissima Rainha o grāde ho. Rainha nos

lhe mandava primeyro recado, me de letras que os da Compà. quiż entre Cråde pico' que queria ouvir a lua missão | phia tinham em Portugal , par- gar as caidade da fizii lua Alteza com tam fin-ticularmente por entam le dar deyrasde

Coimbra. Rainha D. gulares mostras de charidade, principio á Vniversidade de

que

se ao entrar,ou ao fahir dal| Evora,& às eschòlas das Artes,
Igreja acertava de se dar' linal & de Larim,em Coimbrà com
a levãtar da hostia, ou ao entrar mestres tam insignes, como a-
no canon da misla, se ajoelhava traz contey, tratou a ferenifl:
lego em qualquer lugar que a ma Rainha coni o Padre Mi-
to naffe este final, seguindo luguel de Torres ( quando ella
real'exemplo toda a mais cor-governava estes Reynos)que le-
te, que a acompanhava; & alim

nia ferviço de Deos ; & del Rey
perfeverava até o facerdote cõ.

Domn Sebastiam leo neto, & bé

de

[merged small][ocr errors][ocr errors]

Como a

Carhen ina.

ܪ

Anno da

Chrifto de

16.

2.4.1.

Anno de de todos estes Reynos, encarre

o serenissimo Rey,& agora pe-
garse tambem a Copanhia das la mesma humildade do Padre Copan hia
1555. I liçoens, que ha da faculdade da Miguel de Torres, largamos as

sagrada Theologia , em a Vni- cadeyras da Vniversidade de
versidade de Coimbra. Porèm Coimbra, que nos dava a fere-
o humilde Provincial, depois nissima Rainha . Dehữa, & qu.
de render a sua Alteza as divi tra cousa se privâram os Padres
das graças , por tam singular com muy liberal vontade , esti-
merce, lhe pedio licença pera mando mais a humildade com
tratar deste particular com os que nos queremos sogeytar a
Padres, a quem pertencia dar todos que a hopra com que nos
na materia seu voto: a resolu pretēdiam aventajar a muytos:
çam da consulta foy semelhan- || principalmére havēdo no Rey-
te á que se tomou no tempo do no outros tam illustres sogey-
serenissimo Rey Dom loâm o tos , muy dignos daquelles tri-
Terceyro, quando com a mef bunaes,& tam merecedores de:
ma liberalidade, & confiança,

stas cadeyras.
nos quiz entregar os Tribunaes

6 Mas se havemos de di-
da Sancta Inquisiçam deste zer tudo,nam faltam ainda hoje
Reyno, & aflım lhe respondeo, entre nos algus , que ajuizando
que beyjava a mám a sua Alte-

as cousas, nam pelo que fam,
za, pela muyta honra que nisto mas pelo que parecem , & nam
queria fazer á Companhia , & pelo que entam eram, senam
pelo muyto que fiava de suas le- | pelo que depois foram,& vendo
tras, porém que a Companhia as voltas que o mundo tem da-
renúciava esta mercé nas reaes do , & os succeslos que depois
mãos de lua Alteza , por haver se occasionâram, antes quize-
no Reyno outros muytos reli ram os tribunaes , & as cadey-
giosos, a quem se podiam entre ras, que entam nos davam , pera
gar estas cadeyras, que â Com as governar, que a gloria,& pre-
panhia bastava o trabalho das ço, que nos acresce hoje, pelas o que jul-
eschòlas do Latim , & que pre nam aceyrar; porque d'aquelle games fo-
tendia escusarse da honra das nosso lanço de humildade,qua- bre era

nossa re.
cadeyras da Theologia. fia

que ninguem hoje se lembra,

nūciacam. Ś Desta maneyra, por hu por ventura que algus duviComo se'mildade do Padre Diogo Mi dem ; & se nos ficaflem os tripriváram câm,no anno de 1952. ficamos bunaes,& tivessemos as cadeyos Padres

perdendo em Portugal o cargo ras,âlem da honra,tambem nos elaquellas dos Tribunaes da Inquisiçam resultava o proveyto, que quancadeyras. Idelte Reyno, que nos offerecia do vem junctos, parece que se

[ocr errors]

&

nam

Anno de

nam devem recusar: porém no 1 pessoas reaes faziam à Compa. Anno da Christo de

que toca à renunciaçam dos nhia, conforme largamente te- Copanhia 1555. tribunaes do Sácto Officio,nam | mos visto nesta historia.

16. podemos deyxar' de a aprovar, 7 Quanto mayor era o pois foy encam com ordem de comedimento,& humildade do

noslo glorioso Patriarcha , co- confeffor da Rainha, & quanto 2.p.1.4.C.2. mo distemos; no que toca ás ca mais desenteresiado feu animo,

deyras de Theologia, nam hal & livre de toda a pretençam tē-
duvida que foy lanço de gran- poral, tanto com mayor vonta-
de humildade, pois no tempo, de se movia a serenissima senho-
em que aceytamos as da Gram ra a nos fazer mayores, & mais
matica, que tem o trabalho, re continuos favores:por esta cau-
geyrainos as da Theologia que fa pera levar a diante o noflo
cem a honra ; fazendo este ler- Collegio de Coimbra (que a li-
viço às outras fagradas religioēs, || beralidade delRey Dom loàn
pois tem mestres tam insignes, l seu marido, com real magnifi-
que com tanta authoridade, & licencia tinha traçado, & princi-
cam conhecidas letras, gover- ' piado, pera tanta gloria de Deos,
nam hoje estas cadeyras, fican- & bem das almas ) lhe deo de
donos por bastante honra con novo o mosteyro do Pedroso,co Doaçam
fessarmos que elles nos hõram: | fuas rendas, o qual está quasi
& aos que entre nós queriam duas legoas antes do Porto na drofo

. estas cadeyras,antes pera as ter,

Comarca da Feyra. E porque que pera as deyxar,respodemos, esta data foy de muyta conisideque estimem mais a humildade || raçam, & com que muyto

le de discipulos, que em nós que-acrescérou o Collegio de Coimria o Padre Torres, que a honra bra,me pareceo dar aqui hüma de mestres que nos dava a sere- breve noticia deste mosteyro, o niflima Rainha; pois he certo, a qual foy de Religiosos de Sam mais merece diante de Deos 0 || Bento,& naquelle tempo estava que quer ser discipulo por hu- quasi acabado , conforme diz a mildade, que o que pretende fer bulla da uniàm do Papa Pio mestre

ambiçam. E aos Quarto,& nam tinha mais que duvidarem deste fucceffo da of-hum Prior claustral, & tres, oa ferta dos Reys, & renunciaçam quatro monges,& por estar vados Padres,respõdo, que a mim go este molteyro ( da maneyra me basta contar a verdade, nem que diffemos do mosteyro de esta he a mais difficultosa delta S.Fins) nos fez doaçam delle a Chronica, a vista dos excessivos ferenissima Rainha, em nome |favores,que, naquellé tempo, as!! del Rey Ò. Sebastiam seu neco,

do mostey.

ro do pe

con:

[ocr errors]

Reyro do

lea

Anno de conforme se usava em todas as de Figueyredo, que está no cou Anno da Chrifto de

doaçoens,& mais obras, que fe to. De maneyra é mostra esta Cēpanhia 1555. fizrain no tempo da menorida- || escritura fer o mofteyro edifica-, 16.

de do dito Rey. Foram as bul- do desda era de mil, pouco
las pasladas em Iunho de mil || mais ou menos contando desda
quinhentos & ieffenta

, como se era de Celar, que foy antes que
verà, porque vay lançada no o nascimento de Christo qua-
fim desta obra.

renta & dous annos.
9
Era com tudo este mol-

10 Os primeyros, que de-
teyro antiquisfimo, & a sua fun ram principio a este mosteyro,

FundadoDáse cora domof

daçam (conforme as minhas acho que foram dous illuftriffi- ihes do moteyro do contas) foy antes que reynasse | mos calados,chamados Gondi

Pedroso.
Pedrofa. em Portugal o nosso muy bem | zindo Prolix, & Andaguina

afortunado Rey Dom Affonso Palla, filha do Duque Mendo
Henriquez, porque acho huma | Goterres, & de Ermezenda , ir-
escritura feyta em tempo del mā da Rainha Dona Elvira , re-
Rey de Caltella Dom Affonso ganda molher delRey de Leâm

avo, na qual Sizinando Al- Do Ordonho, Terceyro do no-
vres, residente em Coimbra,faz me,& máy do Princepe Rami.
certa doaçam ao mosteyro do rojo que

ro;o que diz a escritura por es-
Pedrolo , donde parece que se tas palavras : Antre os filhos, que
nam ha de dar credito a huma howerom assi foy hum filho Froyla,o
escritura del Rey Dom Ioám o qual nasceo aleyjado, & quando elles
Primeyro, em s diz, que elRey vírom a tal vizom, forráram seus ef
Dom Affonso Henriquez edi cravos , e fizeram de fuas Igrejas
ficou o molteyro do Pedroso certos mosteyros, que fosse Abbade
(postoque lhe podiam dar este Efterigo,&c.Advirto que
nome,por elle depois o dotar,

me Froyla tomaram occasiam
& por ventura reedificar..) E alguns pera cuydarem ser filha,
mais me confirmou nesta opi-. || & nam filho, & pelo conseguin-
niàm outra escritura,que achey te ser este mosteyro em sua pri-
do melmo Rey Dom Affonso meyra fundaçam de freyras,da
Henriquez, na qual diz, que os Ordem de S.Bento; mas nam ha
frades do mosteyro do Pedroso duvida ser nome de varám, co-
lhe deram setecentas libras por mo le mostra em o Rey Froyla
fazer aquelle couto, & que tro- | de Leàm. Depois alguns paren-
caram com elle, & lhe deram tes destes fidalgos ajuntâram
em descambo a quinta do Ca- outras rendas a este mosteyro;
nidêlo, & Almeâra , que estam delles se nomeam nas escrituras
no monte serpente pela quintal Flamula Prolix, senhora del

muytas

do now

« AnteriorContinuar »