Imagens das páginas
PDF

—Anno de Christo de

[ocr errors][ocr errors]

que o recebeo de muy boa võ tade; porque quando Deos he autór da vocaçam facilita os meyos, & desfaz as difficuldades. Recebido na Cõpanhia

fe defcuydou o noviço, que ti

noviços, que ainda que fato os mais modetos, nam cotumam

[blocks in formation]

Balthezar Barreyra,logo na primeyra provaçam deo motras de feu epirito fer de prova: tomou os exercícios de nofo gloriofo Padre S.Ignacio, com grãde aproveyraméto de fua alma | & quando ele mais cuydadoto | andava neta fã&ta occupaçam,

nha a (eu cargo levarlhe o nocefario, por feater a outro (como por vezes tem fuccedido a

fer os mais cuydadofos) Eteo deyxou tres dias inteyros fem que a

trando a vifitalo o Mettre dos noviços,lhe pêrguntou(conforme feu cotume) como etava? confrangeofe o apotado exercitante,& repondeo com as palavras de Chrito a feus difcipulos.aspiritus quidem propius fi, caro antem infirma: namentendeo logo o Padre ofegredo da repota; porêm porque lhe pareceo, que nam carecia de myterio, lhe tornou a dizer, que fe declarafe mais entam fe explicou muy bem onoviço, dizendo, 4 * corpo pornam comer aquel

lestres dias etava fraco,porêm

que o efpirito com agraça dívina etava tam animado, q nam tornaria atraz no caminho começado,ainda que lhe fucedef

femorrerá puta fome:& dizen

do ito nam pode o noviço reter as lagrimas, que a devaçam, & por ventura que tambem a fome lhe caufava. Muy edificados ficâram os prefentes, ouvin

do femelhantere{oluçam, ajui

zando todos,que húa paciencia

tam generofa, em tam breves

dias de religiam demandava ao diante grandes progrefos na virtude. " " * *

..."? Nem fé enganâram ef

tas boas promefas,& tam bem.

fundadas e perãças, porque ete
foy aquelle Padre Balthezar
Barreyra, digno com rezam de
fer contado entre os mais bene-
meritos fogeytos deta Provin-

cia de Portugálete heaquele
F#4 illuf

—******

"Anno de Copanhia 17.

[ocr errors]
[merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small]

| prétas em nofo vulgar, & eu

abrazados defejos de conver- ·Anno da

ter Gétios,& de fartar a fede de falvar as almas, porque o mandáram ao Reyno de Angola,em Companhia do muy celebrado,& valente Portugues Paulos Dias de Novaes, que foy neto (como conta da proviam real que tenho em meu poder, paf, fada por elRey Dom Sebatiam no anno de 1571.) daquelle famofo defcubridor do Cabo de boa efPerança Bertholameo Dias de Novaes. - 2 - As milagrofas obras, que em Angola fez o Padre Balthezar Barreyra, & as prodigiofas victorias,gally alcãçou aquelle admiravel capitâm, demandam hum grande volume, poré porque atègora nam andam im

|Bilhezar Barreyra,me pareceo refeiralgüas breviffimamente,

de edificaçam, crefcêdo fempre

ças caufa a religiam naquelles,

aquime encontro com o Padre

poisem todas ele teve tanta party&pera ifo quero primeyro,com a me{ma brevidade dar algüanoticia deta monarchia Angouna, que ainda que a alguns pareça menos nóva, pofio afegura que nam ferá a menos cert & nos fervirâ muyto pera cornecimento dos bautif,

Cipanha I 7.

[ocr errors]

mos,que ez o Padre Balthezar

alcançou aulos dias de Novaes. A * * 3. Primeyramente a mo

Barreyra,& das victorias que |

narchia de Angola etâna nòva T= Ethio

[ocr errors]
[graphic]

Sitio do Reyno de Angola.

[ocr errors][merged small]

|rida. E nem por ifo deyxama

[ocr errors]

lhe nas partes aonde etam as

| mais fameterilifimas, como Íe

|ra Angola(como entre nòs cor|re)más conta de muytos como

[ocr errors]
[ocr errors]

Ethiopia, Norte Sul, entre o Reyno de Congo, & o de Benguela; Lete Oete cõ Pernambuco,na côta do Brazil, quafi nove graos de altura do pòlo Autral, debayxo da zona tor

quelas terras de fer muyto habitadas; antes potoque os lugares maritimos de Angola, vifinhos ao Coanza, por ferem apaulados,fejam doentios, com tudo o mais do Reyno bê pelo

veis,& temperados, de fermofas

|fontes,& ribeyras frefquifimas; | |guefes de chamar Angola a

& géralmente fam aquelas terras ferteis,& abundantes,fenam

minas de prata, que pera tudo o

a natureza ally meteffe todo feu cabedaljúto, pera fahir em fuas entranhas com hum parto tam preciofo, & por ifo fedef. cuydafe,ou efquecefe de produzir todos os mais fruytos, 4: Nam fe chama eta ter

Reynos,cujos naturaes por nóme commum fe chamam Ambundos, & tem feus Reys, ou Regulos, que fe dizê Sobas,que

tendo antigamente cada hum detes Regulos jurdiçam fobre

cia dos outros, fucedeo, que hú delles herdando o fenhorio do outro, ficou tam poderofo, que começou a conquitar feus vifinhos,cõ ajuda dos Portugue"

terras ao regate dos etcravos: ete Rey fe chamama Angola lenène, que quer dizer o grãde Angola,o qual appellido foram confervando os mais, que lhe fucedêram no Reyno (da maneyra que de hum Ptolomeo, os de mais Reys do Egypto (e chamàram Ptolomeos)& daqui tomàram occafiam os Portu

etes fenhorios. • 3 Por viados nofos Por

tuguefes,que jà etavam em Có

# Portugal noticia

[blocks in formation]

nam fe tem continuado nete défcubrimento pela refitencia, que a ifo fazê os naturaes, perfuadidos, que defcubertas etas minas, nòs lhe apanharemos a prata, & elles perderàm as terras. Houve tambem occafiam pera o Rey Angola Inéne ter algum conhecimento da fé de

por ele afim o pedir lhe foram mandados, por duas vezes, de

Sancto Thomè alguns facerdo.

lfeus vafallos, fem dependen.

[ocr errors]

tes,& entre eles hum religiofo

fes,que de Congo hiam a fuas

[ocr errors]

ete Rey,de fuas terras, & das

Chrito, & com etes intentos |

noticia houve das cou/as de Angola.

[ocr errors][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small][merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small]
[merged small][ocr errors]
[ocr errors]
[merged small][ocr errors][ocr errors]

... Parte Joganda. Livro

ferviço a Deos, contafe parti-
| da invocaçam de Sam Paulo

Companhia dos quaes hia por

[blocks in formation]

CAPITVLo xxviii. Chega a Angola o P. BaltheZarbarreyra,aondefiz muyto tularmentehum bau-o tifmo.

[merged small][ocr errors]

* Angola, da maneyra,que tenho dito,fe embarcâram na mefina nao, cõ o Go: vernador, alguns religiofos, da

fuperior o Padre Balthezar Barreyra, chegaram ao porto de Loanda da banda de dentro da

enfeada, no anno de 1 575. ou como acho efcrito pelo me{mo Padre Balthezar Barreyra, no fim do anno de 1 574. & achãdo o Governador,que era já falecido Dambi Angola, & que

hum prefente da parte delRey

bárbaros fe fabem alegrar,com dadivas que nam lhe cutam. dinheyro) & mãdou logo a pre

{obre as coufas de |

goar por todo o feu Reyno,que • fè tiveffe amizade, & boa col- | repõdencia có os Portuguefes."

[ocr errors]
[ocr errors]

fala C7, XXVIII 62;T

Com eta boa occalian |

começou logo o Padre Balthezar Barreyra a doutrinar aquel- |

les barbaros, aprendendo em breve afua lingoa, porq a muyta charidade o fazia muy dilgente: fez levantar húa Igreja

[merged small][ocr errors]

hum sò contarey aqui,por fer o primeyro,& deyxarey os outros porque foram innumeraveis.

3 Entre outros muytos Sobas, havia hum tido entretodos pelo mais prudête, defejava

muyto o Padre de o converter,

pera com feu exemplo mover [... a outros muytos. Foy Deos noff, Ho fenhorakim fervido, que af.

fim lhe fucedeo,porque paflando hum dia pela fua banza(que afim chamam ao lugar da ha|bitaçam do fenhor da terra) pondofe cõ ele às praticas,lhe dechou o Soba como avia dias que defejava fer Chritam, logo,

o Pa

*_____ +

muytos Regulos, que cóverteo,

[ocr errors][merged small][ocr errors]

Apontafe em particular hum bauti/mo,

[graphic]
« AnteriorContinuar »