Imagens das páginas
PDF
ePub
[graphic][merged small]

BIBLIOTHECA NACIONAL

OS BONS LIVROS

LUIZ DE CAMÕES

OS LUSIADAS

Edição Revista e Prefaciada

POR

THEOPHILO BRAGA

e illustrada com os retratos de
LUIZ DE CAMÕES E VASCO DA GAMA

LISBOA

Bereira & Amorim, editores
Escriptorio da Empreza, rua dos Fanqueiros, 312, 1.°

-

[blocks in formation]
[ocr errors][merged small][ocr errors][merged small]

A vida de Camões não é uma simples indicação de dados biographicos; ella está ligada a todos os accidentes historicos da nacionalidade portugueza. Nasceu no mesmo anno em que morria Vasco da Gama, em 1524, como se os grandes feitos realisados precisassem de ser completados pela eternidade da gloria. Fo ram seus paes Simão Vaz de Camões, segundo neto do trovador galléziano Vasco Pi res de Camões, e D. Anna de Sá e Macedo, da família dos Gamas do Algarve. Na vida do poeta sentem-se estas duas influencias ethnicas: no carácter passivo è ao mesmo tempo inquieto, como se nota no subjectivismo dos seus cantos lyricos, e nas tempestades constantes da sua vida que o tornam tambem per&sonagem da sua epopea.

[ocr errors]
[ocr errors]

Nascido no primeiro quartel do seculo XVI, na fecunda epoca da Renascença, Camões acompanha essa actividade dos espiritos como humanista conhecedor das litteraturas da an. tiguidade, das sciencias que se restabeleciam, e da jurisprudencia que se vigorisava pelo regimen parlamentar. Aeducação de Camões fez-se em Coimbra, parte no mosteiro de Santa Cruz, para onde convergiam todos os filhos da aristocracia portugueza, e na Universidade

Withdrawn

6

de Coimbra depois da reforma de 1537. A epoca da sua formatura fixa-se até 1542, data eloquente que nos mostra como escapou á esterilisadora acção dos jesuitas em Portugal, onde em 1555 se apoderaram do ensino publico, offuscando a fecundidade creadora dos Quinhentistas, matando nas consciencias das novas gerações o sentimento nacional, a ponto de se achar totalmente extincto em 1580, quando a nação recebeu o invasor Philippe II com arcos triumphaes.

Depois de 1542, Camões veiu frequentar a côrte de D. João ti, na qual o beaterio extinguira o esplendor dos serões do paço, em que a aristocracia portugueza revelara uma extraordinaria cultura; apenas em volta da Infanta D. Maria se formara, a titulo de distrahil-a, uma pequena côrte de senhoras, como as Sigeas, Angela Vaz, Paula Vicente, D. Leonor de Noronha, D. Francisca de Portugal. Foi n'este cenaculo que Camões teve os seus triumphos, tomando amores com D. Catherina de Athayde, filha do camareiro-mór do infante D. Duarte, D. Antonio de Lima. O odio do poeta aulico Caminha, provocou em volta de Camões intrigas de que o beaterio da rainha se valeu, dando em resultado ser Camões desterrado da côrte, e andar errante pelo Ribatejo até se resolver a ir militar em Africa, nas guarnições de Ceuta, depois de 1546. Em uma embuscada dos arabes perdeu o olho direito!

Em Africa começou a ver a decadencia do dominio portuguez, e ali sentiu a necessidade de eternisalo; quiz lançar-se em maiores empre

« AnteriorContinuar »