Historia da litteratura portugueza ...

Capa
Chardron, successores Lello & irmão, 1907
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Índice

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 643 - Alma minha gentil, que te partiste Tão cedo desta vida, descontente, Repousa lá no Céu eternamente E viva eu cá na terra sempre triste.
Página 715 - De meus doces errores, me levasse Por as flores que vi da mocidade; E a lembrança da longa saudade Então fosse maior contentamento, Vendo a conversação leda e suave Onde...
Página 561 - Logo que vos figura o pensamento, Foge todo o trabalho e toda a pena. Só com vossas lembranças, Me acho seguro e forte Contra o rosto feroz da fera Morte, E logo se me juntam esperanças Com que, a fronte tornada mais serena, Torno os tormentos graves Em saudades brandas e suaves.
Página 376 - ... ser contente. Errei todo o discurso de meus anos; dei causa a que a Fortuna castigasse as minhas mal fundadas esperanças. De amor não vi senão breves enganos. Oh! quem tanto pudesse que fartasse este meu duro génio de vinganças!
Página 402 - Deixas criar às portas o inimigo, Por ires buscar outro 'de tão longe, Por quem se despovoe o Reino antigo, Se enfraqueça e se vá deitando a longe...
Página 627 - Está recitando a morte! Mas deixar nesta espessura O canto da mocidade! Não cuide a gente futura Que será obra da idade O que é força da ventura...
Página 111 - Eternos moradores do luzente Estcllifero polo, e claro assento, Se do grande valor da forte gente De Luso não perdeis o pensamento, Deveis de ter sabido claramente, „ Como é dos fados grandes certo intento, ' ''•' Que por ella se esqueçam os humanos De Assyrios, Persas, Gregos, e Romanos.
Página 732 - Aqui só verdadeiros gloriosos Divos estão ; porque eu, Saturno, e Jano, Jupiter, Juno, fomos fabulosos, Fingidos de mortal, e cego engano...
Página 63 - Vos bene audivistis qualiter papa habuit unum magnum animal quod vocatum fuit Elephas. Et habuit ipsum in magno honore, et valde amavit is illud.
Página 814 - O dia, em que nasci moura e pereça, não o queira jamais o tempo dar ; não torne mais ao Mundo, e, se tornar, eclipse nesse passo o Sol padeça.

Informação bibliográfica