Imagens das páginas
PDF
ePub

Discurso preliminar, e a Vida de Luis de Camoēs, saō extrahidos das Edições das Obras deste insigne Poeta, recentemente publicadas em Lisboa pelo senhor Thomas Joseph de Aquino.

As Estancias que servem de declarar o argumento de cada hum dos dez Cantos do Poema, saõ de Joao Franco Barreto, philologo notavel do xvi seculo, author tambem do Index dos nomes proprios, ajuntado no fim da Obra, no qual acha-se copiosa noticia da mythologia e historia que o Poeta

toca.

Em quanto ao Texto do Poema, temos seguido a famosa Edição de Manoel de Faria e Sousa...

Para que de huma vez cesse toda a

duvida, e tiremos toda a desconfiança, que possa haver sobre a certeza e legitimidade do Texto que nos deo nos seus exemplares este incomparavel Commentador (que, mais do que outro algum, foi quem, naō só nos patenteou as bellezas poeticas de Luiz de Camoēs, mas nos dispoz e illustrou para o seu conhecimento), daremos aqui aos nossos Leitores a noticia que achámos em documentos veridicos. No anno de 1569, voltando da India, chegou Luiz de Camoēs a Lisboa, e logo no de 1572 imprimio a sua Lusiada (*); e, ou fosse por culpa de Impressores ignorantes, ou por malicia de emulos do Poeta, sahio esta primeira Ediçaō com muitos erros, que em partes alteravao e desfiguravao consideravel

(*) Os Lusiadas he o titulo que Luis de Camoes deo a seu Poema ; A Lusiada he o que tem sido geralmente consagrado pelo

[ocr errors]

mente o sentido e contexto do mesmo Poema. Achando-se Luis de Camoes neste desgosto, e vendo-se nesta consternaçao, fez logo no mesmo anno de 1572 segunda Edição, á qual assistio com toda a vigilancia e cuidado, emendando nella todos os erros e defeitos da primeira. Esta segunda Ediçaō he a seguida por Manoel de Faria e Sousa; e esta a seguida pontualmente tambem por nós no mesmo Faria, nesta nossa Ediçaō. E se he licito altera-la, ou com as conjecturas de outros Editores, ou com as liçoēs várias de Manuscriptos, julguem-no os judiciosos. O mesmo Faria e Sousa teve suas conjecturas, teve seus Manuscriptos, e teve suas liçoes várias; mas como prudente, e judicioso, e como quem sabia tratar estas cousas, tendo por atrevimento alterar o Texto que o mesmo Poeta havia emendado e impresso, reservou tudo para o fim do Poema, onde separadamente o deo

aos seus Leitores. Isto mesmo he o que atéqui temos visto praticado pelos -Editores mais sabios, tanto com os Poetas Latinos, como com os vulgares das outras Naçoēs.

« AnteriorContinuar »