Obras de Luis de Camões ...

Capa
Na Officina luisiana, 1779
0 Críticas
As críticas não são validadas, mas a Google verifica a existência de conteúdo falso e remove-o quando é identificado
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 27 - O tempo cobre o chão de verde manto, Que já coberto foi de neve fria, E em mi converte em choro o doce canto. E afora este mudar-se cada dia, Outra mudança faz de mor espanto, Que não se muda já como soía.
Página 77 - O choro não abranda esta aspereza, E meus olhos estão sempre chorando. Assi de dor em dor, de mágoa em mágoa, Consumindo-se vão inutilmente, E esta vida tambem vão consumindo. Sobre o fogo de amor inutil ágoa! Pois eu em choro estou continuamente, E do que vou chorando te vás rindo. Assi nova corrente Levas de choro em foro; Porque de ver-te rir, de novo chóro.
Página 185 - Deus, ao mundo, à gente e, enfim, ao vento, a quem já muitas vezes o contei, tanto debalde como o conto agora; mas, já que para errores fui nascido, vir este a ser um deles não duvido.
Página 252 - E com pouco trabalho destruimos A gente no curvo arco exercitada : Com morte, com incendios os punimos. Era a Ilha com aguas alagada, De modo que se andava em almadias; Emfim, outra Veneza trasladada. Nella nos detivemos sós dous dias, , Que forão para alguns os derradeiros, Pois passárão da Estyge as ondas frias.
Página 65 - Longo tempo apos si me trouxe cego, De vós me aparto, si; porém não nego Que inda a longa memoria, que me alcança, Me não deixa de vós fazer mudança, Mas quanto mais me alongo, mais me achego Bem poderá a Fortuna este instrumento Da alma levar por terra nova e estranha, Offerecido ao mar remoto, ao vento. Mas a alma, que de cá vos acompanha, Nas azas do ligeiro pensamento Para vós, águas, voa, e em vós se banha.
Página 386 - De varias cores sempre me vestia; De boninas a fronte coroava; Nenhum pastor cantando me vencia. A barba então nas faces me apontava; Na luta, na carreira, em qualquer manha, Sempre a palma entre todos alcançava. Da minha idade tenra, em tudo estranha, Vendo (como acontece...
Página 321 - Oh inimigo irmão, com cor de amigo ! Para que me tiraste ( suspirava ) Da mais quieta vida e livre em tudo, Que nunca pôde ter nenhum sisudo?
Página 83 - Is tentar da fortuna o movimento, E dos ventos cruéis a dura guerra? Ver brenhas de ondas? feito o mar em serra, Levantado de um vento e de outro vento? Mas já que vós partis, sem vos partirdes, Parta convosco o céu tanta ventura, Que...
Página 259 - Aqui contemplo o gosto ja passado. Que nunca passará por a memoria De quem o traz na mente debuxado. Aqui vejo caduca e debil gloria Desenganar meu erro co'a mudança Que faz a fragil vida transitoria. Aqui me representa esta lembrança Quão pouca culpa tenho; c m'entristece Ver sem razão a pena que m'alcança.
Página 135 - Llevadme a aquel lugar tan espantable, do por no ver mi muerte allí esculpida, cerrados Hasta aquí tuve los ojos. Las armas pongo ya, que concedida no es tan larga defensa al miserable ; colgad en vuestro carro mis despojos.

Informação bibliográfica