Obras completas de Luis de Camões, correctas e emendadas pelo cuidado e diligencia de J. V. Barreto Feio e J.G. Monteiro ...: Os Lusiadas

Capa
 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Índice

Outras edições - Ver tudo

Passagens conhecidas

Página 230 - Nesta pequena casa Lusitana : De Africa tem maritimos assentos, He na Asia mais, que todas, soberana, Na quarta parte nova os campos ara, E, se mais mundo houvera, lá chegara.
Página 117 - E se, vencendo a Maura resistencia, A morte sabes dar com fogo e ferro, Sabe tambem dar vida com clemencia A quem para perdel-a não fez erro.
Página 81 - Eis-aqui, quasi cume da cabeça De Europa toda, o reino Lusitano, Onde a terra se acaba, eo mar começa, E onde Phebo repousa no Oceano.
Página 175 - Fui dos filhos aspérrimos da Terra, Qual Encélado, Egeu eo Centimano; Chamei-me Adamastor, e fui na guerra Contra o que vibra os raios de Vulcano; Não que pusesse serra sobre serra, Mas, conquistando as ondas do Oceano, Fui capitão do mar, por onde andava A armada de Neptuno, que eu buscava.
Página xxxiii - D'ôter à Pan sa flûte, aux Parques leurs ciseaux ; D'empêcher que Caron, dans la fatale barque ; Ainsi que le berger ne passe le monarque : C'est d'un scrupule vain s'alarmer sottement, Et vouloir aux lecteurs plaire sans agrément.
Página 370 - No' mais, Musa, no' mais, que a lira tenho Destemperada ea voz enrouquecida, E não do canto, mas de ver que venho Cantar a gente surda e endurecida! O favor com que mais se acende o engenho, Não no dá a Pátria, não, que está metida No gosto da cobiça e na rudeza Duma austera, apagada e vil tristeza.
Página 116 - Traziam-na os horríficos algozes Ante o Rei, já movido a piedade; Mas o povo, com falsas...
Página 325 - Ha pouco que passar até o outono : A fortuna me faz o engenho frio, Do qual já não me jacto, nem me abono : Os desgostos me vão levando ao rio Do negro esquecimento, e eterno sono...
Página 374 - Ou fazendo que, mais que a de Medusa, A vista vossa tema o monte Atlante, Ou rompendo nos campos de Ampelusa Os muros de Marrocos e Trudante, A minha já estimada e leda Musa Fico que em todo o mundo de vós cante, De sorte que Alexandro em vós se veja, Sem à dita de Aquiles ter inveja. FIM DE "os LUSÍADAS" RHY TH MAS DE LVIS DE CAMÕES, Diuididas em cinco partes.
Página 119 - Bem puderas , ó Sol, da vista d'estes, Teus raios apartar aquelle dia , Como da seva mesa de Thyestes^, Quando os filhos por mão de Atreo comia ! Vós, ó côncavos valles, que pudestes A voz extrema ouvir da boca fria, O nome do seu Pedro que lhe ouvistes , Por muito grande espaço repetistes...

Informação bibliográfica