Conferências médicas, Volume 6

Capa
Imprensa da Univ. de Coimbra, 1945 - 144 páginas
0 Críticas

A Imprensa da Universidade de Coimbra, com o patrocínio da Angelini Farmacêutica e os apoios da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Saúde Mental e da Câmara Municipal de Estarreja, editou um fac-símile da obra “Conferências Médicas”, de Egas Moniz.
“Algo que sempre me intrigou foi tentar compreender como alguém que fez ciência inovadora dentro de país, um país com escassos recursos económicos e com escassos meios humanos e materiais. Estamos a falar, sobretudo dos anos 20 a 40 do século XX, anos de crise e anos que ficaram fortemente marcados pela 2ª Guerra Mundial”, referiu João Rui Pita na cerimónia de apresentação, acrescentando “Egas Moniz inovou dentro do país com escassos recursos, deu notoriedade a Portugal, foi grande dentro e fora do país; foi Prémio Nobel, produziu o novo”.
Segundo João Rui Pita, Egas Moniz ultrapassou as fronteiras da medicina. “Escreveu sobre a história do seu país, deixou-nos escritos sobre literatura e arte, trabalhou sobre a história da medicina. Exerceu política ativa com encanto e depois abandona com desencanto” e “manteve-se atento às grandes questões políticas e sociais em Portugal e no estrangeiro”.
Tal como escreve João Lobo Antunes no prefácio da obra, Egas Moniz foi “uma personalidade fascinante pela sua complexa modernidade, genial intuição e arrasadora vontade”.
“Conferências Médicas” teve a sua edição original editada pela Portugália Editora em 1945 e compila dois pequenos trabalhos do Prémio Nobel de Medicina e Cirurgia Egas Moniz. Mais concretamente “A geração humana e as doutrinas de Exeter” e “Os raios Rontgen na neurologia”. 

 

Opinião das pessoas - Escrever uma crítica

Não foram encontradas quaisquer críticas nos locais habituais.

Índice

Secção 1_
9
Secção 2_
67
Secção 3_
127
Direitos de autor

Outras edições - Ver tudo

Palavras e frases frequentes

Acerca do autor (1945)

Nada fornecido

Informação bibliográfica