Imagens das páginas
PDF
ePub

SOUSA VITERBO

ESTUDOS

SOBRE

SÁ DE MIRANDA

I

OS FILHOS DO CONEGO GONÇALO MENDES

COIMBRA

IMPRENSA DA UNIVERSIDADE

LOAN STACK

O presente estudo saíu publicado pela primeira vez n-O Instituto, vol.

XLII, n.o 11.

Tiragem deste folheto 50 exemplares, nenhum dos quaes é posto á

venda.

[graphic][merged small][merged small][merged small]

B

EM longe estavamos de pensar que teriamos de
escrever alguma cousa sobre a vida ou sobre as
obras de Sá de Miranda-presa a nossa attenção

por assumptos bem differentes-quando uma amavel carta do nosso presado e erudito consocio dr. Ribeiro de Vasconcelloz nos veio sollicitar a collaboração para o numero especial que o INSTITUTO consagrava ao illustre poeta, por occasião de solemnisar o quarto centenario do seu dia natalicio. Agradecemos immediatamente a immerecida prova de confiança que se depositava na nossa insignificante personalidade litteraria, mas respondemos que nos era difficillimo, senão impossivel, satisfazer a tão honroso pedido, por isso que outros trabalhos nos occupavam com esforço superior ao que permittiam a fraqueza e a ruina do nosso organismo.

984

Uma tradição de mais de tres seculos havia reconhecido e authenticado o dia 27 de outubro de 1495 como a data legítima do nascimento de Sá de Miranda e estava-se convencido no mundo litterario que a exploração dos archivos se achava exhaurida e que portanto seria inutil qualquer nova tentativa investigadora. Estas circumstancias pesavam de certo no nosso espirito e obrigar-nos-hiam ainda mais ao silencio, se não soubessemos por experiencia propria quanto são fallazes e injustificadas asseverações de similhante natureza, sobretudo quando formuladas tão categoricamente, como sentença irrevogavel. Já nos tem acontecido suppormos ter exgotado todo o veio que uma qualquer mina nos offerecia, e depois mais tarde, sob uma nova orientação, ou em presença de um encontro inesperado, ficamos surprehendido de como nos tivesse escapado á indagação ou fugido á vista o que despresámos levianamente ou o que não observámos com a devida attenção.

Apesar da nossa resposta á carta do sr. dr. Ribeiro de Vasconcelloz ter sido quasi absolutamente negativa, alimentavamos todavia a esperança de encontrar algum dia qualquer documento que viesse esclarecer o assumpto. Não depositámos, porém, a nossa confiança exclusivamente no acaso e não ficamos na simples expectativa, como o caçador, que, em vez de bater os bosques, se embusca no recesso de obscura moita á espera da alimaria, que lhe sirva de alvo á carabina. Resolvemos, para assim dizer, applicar o methodo experimental e deliberámos proceder a novas investigações. Foi-nos auxiliar precioso nesta arriscada empresa o nosso bom amigo Pedro de Azevedo, intelligente official da Torre do Tombo, tão intelligente como modesto e obsequiador. O resultado não foi negativo e a colheita, se não foi extraordinaria, como nos sete annos da abundancia pharaonica, foi todavia remuneradora e satisfactoria.

Tendo de partir em seguida para as Caldas da Rainha, onde iamos com a esperança de retemperar um pouco as

« AnteriorContinuar »