Imagens das páginas
PDF
ePub

destar coele em quanto esteuesse em terra, & leuaua sua cozinha, copa & cama, porque auia destar com grande estado, conforme ao cargo que leuaua, & acompanhauảno todos os capitães da frota em seus bateys, que yảo todos de festa. E ao mar ho forão receber por mandado del rey de Calicut muytos nayres com muytas trombetas & outros instormentos alegres & era todo ho mar cuberto de bateys, tones & almadias. E nisto foråo leuados os arrefens á nao de Sancho de thoar, que chegados entrarão com grande difficuldade pelo receo que ijnhão de os catiuare, & chegado Pedraluarez a terra achou gente sem conto que ho estaua esperando : & do batel foy tomado em hů andor que

el rey mandou pera isso, & foy leuado a hů çarame, que 'he casa terrea de madeyra que el rey mandou fazer pera se verem, por Pedraluarez não ir aos seus paços que era longe. Ho çarame estana todo alcatifado , & no cabo estaua hůa capela pequena em que el rey estaua assentado em bum estrado rico com hů dossel de veludo carmesim. Tinha eingido hum pano dalgodão branco finissimo, com muytas rosas douro que ho cobria da cinta ale os giolhos, & todo ho mais estaua nú, tinha na cabeça hùa cousa de brocado seyta a modo de capacete antigo, nas orelhas tinha arrecadas de diamães & perolas finas, os braços cheos de manilhas douro dos cotouelos ate as mãos com pedraria sem côto de muyto preço, & ho mesmo tinha nas pernas, & cubertos daneis os dedos das mãos & dos pés de fina pedraria. E por grandeza tinha no dedo polegar de hum pé hů anel com hû robi grande , que luzia como brasa. E toda esta pedraria não era nada em. comparação da que tinha em hảa ejnta que era cousa sem preço. E de todos os mēbros de seu corpo em se bolindo reberuerauão rayos. Estaua junto coele bữa cadejra real antiga toda de prata & douro laurada de pedraria , & da mesma maneira era hum andor: em que el rey fora leuado ao carame, ho cospidor em que cospia era de ouro, & do mesmo ouro estauão ali mugtos per

[ocr errors]

fumadores, de que saya muyto suaue cheyro. E por estado tinha acesas seys tochas mouriscas douro. Estauão no çarame vinte trombètas , de q dez & sete erão de prata & tres douro. Seys passos deste lugar em que el rey estaua, estauão dous irmãos seus que se chamão principes, porque herdão ho reyno: & mais afastados estauão Caymaeis Panicaeis & outros grandes , & todos em bé.

CAPITOLO XXXV.

De como Pedraluarez Cabral falou a el rey de Calicut.

Jotrado Pedraluares cabral neste carame onde el rey estava foy espantado de seu grande estado, & feyta sua reuerècia ao nosso modo, fezihe el rey muyto gasalhado com ho rosto, & mandou ho assentar junto dos Principes, que era a mayor honrra que se lhe podia fazer. E assentado deu hủa carta ao lingoa que a desse a el rey, que lha mandaua el rey dom Manuel escrita em lingoa Arabica , & em Portugues , feyta por hű fidalgo chamado Duarte galuão.

E dezia. Grand

rande & de muito poder Principe çamorim , per merce rey de Calicut. Nos dom Manuel por sua diuina graça rey de Portugal Daquem & dalem, mar em Africa Senhor de Guině. &c. Vos enuiamos muylo saudar como aquele que muyto amamos & prezamos. Deos todo poderoso, começo ,

meo & fim de todas as cousas, por cuja ordenança cursam os dias, tempos & feytos humanos, assi como por sua infinita bondade criou ho můdo & ho remio per Christo Iesu nosso saluador. Assi em seu grande & infinito saber ordenou muytas cousas pera os tempos que auião de vir, pera bem & proueito da geração humana, inspirando polo Spirito sancto nos corações dos homes, quando aquelas cousas ĝ por homês auià de ser feitas fossem postas em obra em tem

pos por ele limitados, & não antes nem despois. E por isto ser assi verdade & conhecida por experiencia, se com são & verdadeyro juyzo quiserdes considerar a grandeza & nouidade & inisterio da ida de nossas gentes & naujos que forão a vos & a essas vossas terras. Deueys de fazer nessas partes Doriente, o que todos fazemos nestas do ponente, que he darmos muytos louuores ao senhor Deos, porque em vossos dias & nos nossos fez tanta merce ao můdo, que por vista nos podessemos saber & ver & conhecer, & ajuntar & vizinhar por conversação, estãdo as gentes dessas terras & destas tão afastadas hûas das outras do começo do mundo ategora, & tão sem cuydado nein esperança disto, que ho senhor Deos quis que fosse, inspirando auera sessenta annos em hữ nosso tio vassalo nosso chamado ho Ifante dom Anrrique, Principe de virtuosa vida & sanclos costumes, que por seruiço de Deos tomou proposito inspirado por ele de fazer esta nauegação, & polos Reys nossos antecessores foy ategora prosseguida. E querendo nosso senhor darlhe ho fim por nos desejado , quis que estes nossos que ora la forầo de hủa só viagem fizessem outro tanto caminho ate chegar a vos, quanto estaua feito nas viagens passadas de sessenta annos, sendo eles os primeiros que pera la mandamos tanto que por graça de Deos tomamos ho regimento de nossos Reynos & senhorios. Assi que ainda que esta cousa seja feyla per homens, não se deue de julgar se não por obra de Deos a cujo poder he possjuel o que os homës não podem fazer. Porque do principio do můdo ouue em oriente & em occidente muy poderosos reys & principes , de que contão estoriadores terem grandes desejos pera fazerem esta nauegação: & leuarão nisso muyto trabalho : & não quis nosso senhor darlhe poder pera isso como agora nos deu, por ser assi sua vontade. E poys em quanto deos não quis que isto fosse não teuerão os passados poder pera ho fazerề, não deue ninguồ de cuydar que agora que ho ele quis ho possam homès contrariar, sen

do agora muyto mayor injuria contra Deos quérer resistir aa sua vontade tam manifesta do que dantes era perfiar conirela, que não era sabida , & antre as causas porque principalmente damos muylos louuores a nosso senhor neste feyto, he por nos ser dito que ha nessas partes gentes Christaãs, que foy & he ho nosso principal desejo, perá nos concertarmos com vosco em amizade, amor & conformidade, como ha antre os reys Christãos, porque bè he de crer q não ordenou ho senhor deos tà marauilhosa cousa como he esta nossa nauegação pera ser soměle seruido nos tratos & proueitos tem. porays dantre nos: mas tambè nos spirituaeis & saluação das almas que mais deuemos de estimar & de que ele he mais seruido , pera que a sua sancta fé seja cõmunicada antre nos como ho foy por todo ho mundo bě seyscentos annos despois da vinda de lesu Christo seu filho ate q por peccados dos homěs nacerão algúas seytas & heresias contra a fé Christaå, que lesu Christo disse priineiro que viessem, pera proua dos bốs & pera cõdenação dos maos que não auião de crer a verdade pera serem saluos. E estas seytas & heresias occupară antre essas vossas & nossas terras muyta parte da terra, por onde se impedio a aver por terra communicação das gèles de ca com as de lá, que agora se pode ter coesta nauegação, que foy descuberta por Deos a que nada he impossiuel. E conhecendo nos tudo isto, & desejådo de prosseguir & comprir como devemos o que nos ho muy alto deos todo poderoso mostra ser tanto sua vontade, mãdamos agora lá nosso capitão cô naos & inercadorias, & nosso feytor pera ġ la fique, & esté com vosso aprazimento. E mandamos pessoas religiosas & doutripadas na fee & religião Christaã, pera que celebrem ho officio diuino, & menistrem os sacramentos, pera que possais ver a religião & fé ĝ lemos, que foy instituyda per lesu christo nosso saluador : & dada a doze apostolos & a seus discipolos , per q foy geralınente pregada despois de sua sancta resurreição & recebida ē

todo ho můdo. E dous destes apostolos. s. sam 'Thome & sam Bertolameu pregarão nessas vossas partes da India, fazendo muytos grădes milagres, tirando essas gentes do erro da gentilidade & idolatria è que todo mundo estaua dãtes, & côuertendoas á verdade da sancta Christaã, que tambề ca foy pregada por algîs de seus apostolos : & consideradas estas cousas & as rezões q ha pera crermos que esta nossa navegação & ida de nossas gêtes a vos foy por vontade do muyto alto deos : vos rogamos como irmão ğ vos queirais conformar co seu querer & vontade , & por

fazerdes vosso proveito & de vossas terras assi spiritual como temporal tenhais por bề de receber nossa amizade, & de ajuntar a vossa com nosco, & assi trato & conuersação que vos tão pacificaměte apresentamos pera seruiço de nosso senhor: & queirais receber & tratar a nosso capitão & gěte cô aquele são & verdadeiro amor que volos mandamos: porợ em rezão domès cabe folgardes muyto cổ gente ĝ de lâo longe vay buscar vossa amizade , cõuersação & trato, & q vos leua låto proueito de nossas terras, que não podereis auer mais doutras nenhüas, posto que por algúas vontades danadas, que nunca falecem achassemos em vos ho contrairo: o que per toda rezão não podemos esperar de vossa virtude. E com tudo nosso proposito he seguir a vontade de nosso senhor Deos todo poderoso, antes que a dos homes, & não deixarnos por penhûas contrariedades de prosseguir & côtinuar esta nauegação, trato & conuersação nessas terras, tendo esperança em nosso senhor que nosso trabalho não seja debalde, porque firmemenie cremos & esperamos, que pois ele fez essas terras & volas deu a possuir & a gente dela, ele ordenará como no seu se faça sua vontade. E como não faleça què nelas acolha & receba nossa amizade, & nossas gentes que la vão tanto por sua vontade, & aque inarauilhosamente abrio caminho & deu poder pera

irë a elas & ele mesmo he sabedor quanto desejamos que seja antes

por
boa
paz
& amizade, E

praza

daruos

a ele

« AnteriorContinuar »