Pesquisa Imagens Maps Play YouTube Notícias Gmail Drive Mais »
Entrar
Livros Livros
" Ó gente ousada, mais que quantas No mundo cometeram grandes cousas, Tu, que por guerras cruas, tais e tantas, E por trabalhos vãos nunca repousas, Pois os vedados términos quebrantas E navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo há já que... "
Archivo Bibliographico - Página 10
por Universidade de Coimbra. Biblioteca Geral - 1877
Visualização integral - Acerca deste livro

Poesias selectas para leitura, recitação, e analyse dos poetas portuguezes ...

Henrique Carlos Midosi - 1884 - 320 páginas
...que por guerras cruas, taes e tantas, E por trabalhos vãos nunca repousas; Pois os vedados terminos quebrantas, E navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo ha já que guardo e tenho, Nunca arados d'estranho, ou proprio lenho; .' i . XLII Da natureza e do humido...
Visualização integral - Acerca deste livro

Histoire de la littérature moderne: La réforme, de Luther a ..., Volume 2

Marc Monnier - 1885 - 495 páginas
...que por guerras cruas, taes e tantas, E por trabalhos vâos nunca repousas : Pois os vedados terminos quebrantas, E navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo ha que guardo e tenho Nunca arados d'estranho ou proprio lenho : Apprends de moi quel est le châtiment...
Visualização integral - Acerca deste livro

Episodio do gigante Adamastor: Lusiadas, canto v, est. XXXVII-LXX

Jose Benoliel - 1898 - 48 páginas
...ameaças futuras contra Vasco da Gama ou sua nação. Diz a Estancia xu : Pois os vedados terminos quebrantas E navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo ha já que, guardo c tenho, Nunca arados d'estranho ou proprio lenho; Na narração arabe, aquelles «vedados...
Visualização integral - Acerca deste livro

Works Issued by the Hakluyt Society, Volume 55

1877
...que por guerras cruas, taes e tantas, E por trabalhos vaos nunca repousas : Pois os vedados terminos quebrantas, E navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo ha ja que guardo, c tenho, Nnnca arados d'estranho, du proprio leuho : 42. Pois vens ver os segredos escondidos Da natureza,...
Visualização integral - Acerca deste livro

A literatura portuguesa através dos textos

Massaud Moisés - 2000 - 686 páginas
...No mundo cometeram grandes cousas, Tu, que por guerras cruas, tais e tantas, E por trabalhos vãos nunca repousas, Pois os vedados términos quebrantas...navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo há já que guardo e tenho, Nunca arados de estranho ou próprio lenho: Pois vens ver os segredos escondidos...
Pré-visualização limitada - Acerca deste livro

Por mares muito antes navegados: a tradição de Camões na poesia colonial ...

Moema Cavalcante - 2001 - 237 páginas
...e Marte irão dar-lhes proteção. tu, que por guerras cruas, tais e tantas, e por trabalhos vãos nunca repousas, pois os vedados términos quebrantas...navegar meus longos mares ousas, que eu tanto tempo já há que guardo e tenho, nunca arados de estranho ou próprio lenho.*'5 Basílio da Gama afasta-se...
Pré-visualização limitada - Acerca deste livro

Mensagem

1967 - 108 páginas
...No mundo cometeram grandes cousas, Tu, que por guerras cruas, tais e tantas, E por trabalhos vãos nunca repousas, Pois os vedados términos quebrantas...navegar meus longos mares ousas, Que eu tanto tempo há já que guardo e tenho, Nunca arados de estranho ou próprio lenho, [Canto v, 41, 321-328] INTERTEXTO:...
Pré-visualização limitada - Acerca deste livro




  1. A minha biblioteca
  2. Ajuda
  3. Pesquisa de livros avançada
  4. Transferir ePub
  5. Transferir PDF