Pesquisa Imagens Maps Play YouTube Notícias Gmail Drive Mais »
Entrar
Livros Livros
" Tão temerosa vinha e carregada, Que pôs nos corações um grande medo; Bramindo, o negro mar de longe brada, Como se desse em vão nalgum, rochedo. "
Estudos camonianos - Página 25
por Sílvio de Almeida - 1925 - 203 páginas
Visualização integral - Acerca deste livro

Historia de Camões, Parte 1

Teófilo Braga - 1873
...nuvem que os ares escurece Sobre nossos cabeças apparece. Tão temerosa vinha e carregada Que poz nos corações um grande medo; Bramindo, o negro mar de longe brada, Como se desse em vão n'algnm rochedo.. . Eu sou aquelle occulto e grande Cabo A quem chamaes vós outros Tormentorio Todos...
Visualização integral - Acerca deste livro

Historia da litteratura portugueza, Volume 11

Joaquim Theophilo Braga - 1873
...nuvem que os ares escurece Sobre nossas cabeças apparece. Tão temerosa vinha e carregada Que poz nos corações um grande medo; Bramindo, o negro mar de longe brada, Como se désse em vão n'algum rochedo. . . Eu sou aquelle oeculto e grande Cabo A quem chamaes vós outros...
Visualização integral - Acerca deste livro

The Commentaries of the Great Afonso Dalboquerque, Second Viceroy ..., Volume 2

Afonso de Albuquerque - 1877 - 408 páginas
...escurece, Sobre nossas cabeças apparece. 38. Tão temerosa vinha, e carregada, Que poz nos corações hum grande medo, Bramindo o negro mar de longe brada, Como se desse em vão n 'algum rochedo. O ! Potestade, disse, sublimada ! Que ameaço divino, ou que segredo Este clima,...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusíadas

Luís de Camões - 1935 - 510 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

Ensaio de estudos práticos de litteratura

José Silvestre Ribeiro - 1880 - 292 páginas
...Huma nuvem, que os ares escurece, Sobre nossas cabeças apparece. Tão temerosa vinha e carregada, 124 Bramindo o negro mar de longe brada, Como se desse em vão n'algum rochedo. C'hum tom de voz nos falia horrendo e grosso, Que pareceu sair do mar profundo: Arrepiam-se as carnes...
Visualização integral - Acerca deste livro

Os Lusiadas

Luís de Camões - 1882
...os ares escurece, 'Sobre nossas cabeças apparece. XXXVIII Tão temerosa vinha, e carregada, Que poz nos corações um grande medo; Bramindo o negro mar de longe brada, Como se désse em vão n'algum rochedo. Oli Potestade, disse, sublimada! Que ameaço divino, ou que segredo...
Visualização integral - Acerca deste livro

Obras completas do cardeal Saraiva: (d. Francisco de S. Luiz ..., Volume 10

Francisco de S. Luiz - 1883 - 456 páginas
...Não he menos insensata a outra reflexão, que faz o critico a respeito destes versos da est. 33. a : Bramindo o negro mar de longe brada, Como se desse em vão n'algum rochedo. porque confessando, á pura força da verdade, que esta imagem hc grande e pomposa, logo deprime o...
Visualização integral - Acerca deste livro

Histoire de la littérature moderne, Volume 2

Marc Monnier - 1885 - 495 páginas
...escurece, Sobre nossas cabeças apparece. Tâo temerosa vinha, e carregada, Que poz nos coraçôes hum grande medo : Bramindo, o negro mar, de longe brada Como se desse em vâo n'algum rochedo. « O Potestade, disse, sublimada ! Que ameaço divino, ou que segredo Este clima...
Visualização integral - Acerca deste livro

Camões, Os Lusiadas e a renascença em Portugal

Joaquim Pedro Oliveira Martins - 1891 - 324 páginas
...escurece, Sobre nossas cabeças aparece. Tão temerosa vinha e carregada Que pos nos corações hum grande medo: Bramindo o negro mar de longe brada Como se desse ein vão nalgum rochedo. «O' potestade, disse, sublimada ! Que ameaço divino ou que segredo Este...
Visualização integral - Acerca deste livro

Nova selecta portugueza: colligida, annotada e acompanhada d'um tratado de ...

João M. Moreira, João M. Corrêa - 1902 - 479 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro




  1. A minha biblioteca
  2. Ajuda
  3. Pesquisa de livros avançada
  4. Transferir ePub
  5. Transferir PDF