Pesquisa Imagens Maps Play YouTube Notícias Gmail Drive Mais »
Entrar
Livros Livros
" Olhai que ha tanto tempo, que cantando O vosso Tejo e os vossos Lusitanos, A fortuna me traz peregrinando, Novos trabalhos vendo e novos danos: Agora o mar, agora exp'rimentando Os perigos... "
Obras de Luis de Camões ... - Página 235
por Luís de Camões - 1779
Visualização integral - Acerca deste livro

The Lusiads, tr. into Engl. verse by J.J. Aubertin, Volume 2

Luis Vaz de Camoens - 1884
...se alague cedo. LXXIX. Olhai, que ha tanto tempo que, cantando O vosso Tejo e os vossos Lusitanos, A fortuna me traz peregrinando, Novos trabalhos vendo...danos : Agora o mar, agora exprimentando Os perigos Mavorcios inhumanos ; Qual Canace, que á morte se condena, N'huma mão sempre a espada e n'outra a...
Visualização integral - Acerca deste livro

The Lusiads of Camoens, Volume 1

Luís de Camões - 1884
...se alague cedo. LXXIX. Olhai, que ha tanto tempo que, cantando O vosso Tejo e os vossos Lusitanos, A fortuna me traz peregrinando, Novos trabalhos vendo...danos : Agora o mar, agora exprimentando Os perigos Mavorcios inhumanos ; Qual Canace, que a morte se condena, N'huma mao sempre a espada e n' outra a...
Visualização integral - Acerca deste livro

Vida e obras de Luís de Camões--primeira parte

Wilhelm Storck - 1897 - 744 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

Lusíadas

Luís de Camões - 1913 - 398 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

Reminiscencias de d. Juan Francisco Ortiz (1808-1861): con prólogo de don J ...

Juan Francisco Ortiz - 1914 - 430 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

Os Lusíadas: poema épico

Luís de Camões - 1920 - 515 páginas
...batel se alague cedo. LXXIX Olhai que ha tanto tempo, que cantando O vosso Tejo e os vossos Lusitanos, A fortuna me traz peregrinando, Novos trabalhos vendo...o mar, agora exp'rimentando Os perigos Mavórcios inhumanos, Qual Canace, que á morte se condena (102), N'huma ma"o sempre a espada e n'outra a penna....
Visualização integral - Acerca deste livro

Revista, Volumes 3-4

Universidade de Lisboa. Faculdade de Letras - 1936
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

As armas nos "Lusíadas".

José de Oliveira Simões - 1933 - 221 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

La lirica del Camões

Camillo Guerrieri Crocetti - 1938 - 105 páginas
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro

Mensario do "Jornal do commercio" (artigos de collaboração), Volume 26,Parte 3

1944
[ O conteúdo desta página está restrito ]
Visualização de excertos - Acerca deste livro




  1. A minha biblioteca
  2. Ajuda
  3. Pesquisa de livros avançada
  4. Transferir ePub
  5. Transferir PDF